Steve Jobs e o culto da carga | Fábio Campana

Steve Jobs e o culto da carga

De Rubens Campana para a Revista Ideias

Nos anos que se seguiram imediatamente à Segunda Guerra Mundial, uma série de movimentos milenaristas varreu a Melanésia: eram os chamados “cultos da carga”. Na Oceania, a extremo oeste do Oceano Pacífico e a nordeste da Austrália, nas várias ilhas próximas a lugares como as Molucas, Nova Guiné, Vanuatu e Fiji, surgia um novo tipo de religião, que aparecia na esteira do contato intenso entre os nativos e os soldados dos exércitos japonês e norte-americano que por ali passaram durante o curso da Guerra.

Continue lendo na Revista Ideias de novembro.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*