Serviços bancários somaram R$ 38 bilhões até setembro | Fábio Campana

Serviços bancários somaram R$ 38 bilhões até setembro

Kelly Oliveira da Agência Brasil

Os lucros dos três maiores bancos do país com prestação de serviços e tarifas bancárias somou quase R$ 38 bilhões, de janeiro a setembro deste ano, segundo dados divulgados nos balanços contábeis do Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Bradesco, referentes ao terceiro trimestre. Em relação a igual período do ano passado, quando o lucro com essas receitas chegou a R$ 34,1 bilhões, o crescimento foi 11,4%.

No caso do Banco do Brasil (BB), as receitas com prestação de serviços (cartão de crédito e débito, conta-corrente, administração de fundos e outros) e tarifas bancárias (pacote de serviços, operações de crédito, transferência de recursos e outros) chegaram a R$ 13,215 bilhões no período de janeiro a setembro deste ano, um crescimento de 11,4% em relação ao ano passado. Somente as receitas com cartão de crédito e débito do BB chegaram a R$ 2,337 bilhões e com pacotes de serviços, a R$ 1,979 bilhão.

O Itaú Unibanco apresentou receitas com prestação de serviços e tarifas bancárias de R$ 13,960 bilhões, de janeiro a setembro de 2011, alta de 10,7% em relação ao mesmo período do ano passado.


O balanço do Bradesco, divulgado recentemente, mostrou que as receitas com a prestação de serviços e tarifas chegaram a R$ 10,816 bilhões no acumulado até setembro deste ano, crescimento de 12,3%.

Para a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), “não há grande alteração de padrão de comportamento” das receitas de prestação de serviços e tarifas. Essas receitas têm crescido ao ritmo de cerca de 14% ao ano, segundo levantamento da federação com os cinco maiores bancos e os de capital aberto, representantes de 82% dos ativos do Sistema Financeiro Nacional.

A explicação da Febraban é que esse ritmo de crescimento está relacionado ao aumento da inflação (6,97% em 12 meses encerrados em outubro) e à expansão dos negócios dos bancos. Segundo a entidade, o número de contas-correntes desses bancos cresceu em média 8% ao ano, nos últimos nove anos, e o de cartões de crédito, 17%.


4 comentários

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 15 de novembro de 2011 – 18:46 hs

    E o pessoal reclamando das taxas do DETRAN.

  2. carlao
    terça-feira, 15 de novembro de 2011 – 21:14 hs

    Eu concordo com taxas alta para automomeis para diminuir um pouco esse transito, todo pobre querendo andar de carro, e carro velho que só serve para atrapalhar o transito, para pobre tem onibus

  3. Questionador
    quarta-feira, 16 de novembro de 2011 – 8:22 hs

    -Este ano os lucros dos banqueiros será maior que o ano passado, que foi maior que 2009 e 2012 será maior que 2011!!!
    -Até quando a sociedade perceberá seu empobrecimento às custas de consumismo desefreado e supérfluo com longos financiamentos e dívidas que privelegiam apenas o setor bancário????
    -Sem entrarmos no mérito dos juros abusivos que os maiores de todos os países???

  4. VLemainski -Cascavel-PR
    quarta-feira, 16 de novembro de 2011 – 11:10 hs

    38 bilhões transferidos do setor produtivo para o setor especulativo. Uma vergonha do tamanho do nosso país….
    Não gosto de falar mal dos bancos pois gostaria imensamente de ser dono de algum… rsss

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*