MP convoca Zara para assinar acordo sobre trabalho escravo | Fábio Campana

MP convoca Zara para assinar acordo sobre trabalho escravo

Da Agência Brasil

O Ministério Público do Trabalho (MPT) notificou a marca de roupas Zara para comparecer a uma audiência no próximo dia 18 para assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). O acordo busca regularizar a cadeia produtiva da grife espanhola e reparar os danos causados aos trabalhadores flagrados em regime de trabalho semelhante ao escravo em São Paulo.

Em junho, as investigações do MPT e dos fiscais do Ministério do Trabalho descobriram 51 trabalhadores (46 bolivianos) em condições degradantes em uma confecção da empresa em Americana, interior paulista. No mês seguinte, foram encontrados 14 trabalhadores bolivianos e um peruano em situação análoga à escravidão em duas confecções na cidade de São Paulo.

Ao prestarem esclarecimentos em audiência na Assembleia Legislativa de São Paulo, os representantes da marca, Enrique Huerta Gonzales e Jesus Echeverria, alegaram desconhecer que funcionários trabalhavam em regime escravo em confecções contratadas pela marca.

Segundo o procurador Luiz Carlos Fabre, o fato de a produção ser terceirizada não exime, entretanto, a marca espanhola da responsabilidade pelas condições dos trabalhadores. “A Zara deve fiscalizar as relações de trabalho na sua cadeia produtiva com o mesmo zelo com que fiscaliza a qualidade dos produtos de seus fornecedores”, ressaltou.

Caso a grife se recuse assinar o TAC, que ainda não teve os termos divulgados, o MPT adiantou que ajuizará uma ação civil pública contra a empresa. “Com pedidos indenizatórios contendo valores muito maiores do que aqueles propostos no acordo”.


2 comentários

  1. tony
    quinta-feira, 10 de novembro de 2011 – 20:50 hs

    Não se espantem não, a Zara é useira e veseira no uso deste tipo de trabalho. E não é só aqui em PIndorama, não. Gostaria agora de ver a cara das compradoras e compradores que, faceiras e faceiros, saem das suas lojas com aquelas sacolas enormes, sem saber que as roupas compradas foram confeccionadas com trabalho escravo. ACarlos

  2. Escritor
    quinta-feira, 10 de novembro de 2011 – 20:55 hs

    Ontem fui comprar um tênis.
    Enquanto olhava as marcas, lembrei de como a Nike tinha sido denunciada no mundo todo pelo trabalho escravo com crianças e em como eu jamais iria comprar um tênis dessa marca novamente.
    Enquanto refletia, lembrei de que muito pouco adiantava eu fazer isso, pois afinal, quantas pessoas ali dentro tinham essa mesma consciência?

    Nisso, após alguns minutos, dois rapazes ao meo lado olham os modelos e um deles fala:
    – Veja esse nike.
    O outro responde:
    – A nike expolora trabalho escravo, nao compro isso.

    Eu, que estava ao lado e me achava sozinho nessa luta, acabei sorrindo e dizendo para mim memso que existiam outras pessoas vendo o que ocorria no mundo, por menos que ainda sejam.

    Isso significa que eu jamais comprarei uma roupa dessa marca, se ganhar de presente, queimo, não ouso nem presentar alguém, sua grife representa o atraso de nossa humanidade e que precisamos superar.

    Se todo mundo fizer isso, oiu as empresas mudam ou fecham.

    Se todo mujndo deixar de ir ao McDonalds, eles deixam de explorar seus funcuionários. Eu, nao vou la faz muitos anos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*