Buenos Aires de graça | Fábio Campana

Buenos Aires de graça

Da Rádio Serpente

Entre os membros da chapa que concorre aos Conselhos da Universidade Federal do Paraná, UFPR, cuja eleição acontece nesta quarta-feira, está o jornalista Fernando Oliveira, ligado ao PT. Ele foi agraciado com uma viagem para Buenos Aires no célebre escândalo da Farra das Passagens Aéreas do Congresso Nacional em 2009, conforme nota divulgada neste blog em 23/04/2009, com o título “Quem foi, com quem foi e para onde foram”.

Esquerda nas Universidades

A eleição dos Conselhos da UFPR, amanhã, reprisa no Paraná o mesmo sistema de instrumentalização do PT, Psol, PSTU e PCdoB nas universidades públicas brasileiras. O PSOL e o PSTU já ganharam a eleição para o Sinditest (sindicato dos técnicos administrativos) e, agora tenta eleger seus representantes para os Conselhos. Além disso, se prepara para disputar, e levar, a eleição do poderoso DCE, Diretório Central dos Estudantes da UFPR.


12 comentários

  1. Mirian Waleska
    terça-feira, 22 de novembro de 2011 – 20:44 hs

    Veja só Campana, depois a gente não sabe porque o Governo Federal faz o que bem entende e nada acontece, quem no passado era voz de respeito no Brasil, OS ESTUDANTES, agora são monopolizados pelos mesmos corruptos que destroem nosso país. Desde que o Lula firmou uma verba destinada á UNE o ilícito se estabeleceu, e tudo passou a valer.
    Voce se lembra do caso Color? por bem menos ele foi tirado do governo, com a força da UNE, dos caras pintadas, que também não resistiram e se deixaram corromper. Culpa de quem?
    Culpa de nos mesmos que não politizamos nossas crianças, jovens e adolescentes, enquanto dava-mos brinquedos eletrônicos do Paraguay e deixava-mos inertes em frente á jogos de computador, não percebemos que estavamos criando uma geração de fracos, ausentes e indiferentes ás questões de moral e conduta, principalmente com relação ao nosso país.
    15 anos de descomprometimento de nossa parte, foi o suficiente para termos hoje uma geração totalmente alheia aos valores fundamentais para se eleger um representante.
    Penso que precisamos olhar pelos pequeninos, mostrar a realidade de hoje, se os livros de História não contam os fatos atuais, ainda se prendem em falar sobre a família real que veio de Portugal, teremos nos pais, que mostrar-lhes essa parte suja, corrupta, mas fundamental para a formação de cidadãos justos e de opinião, principalmente cidadãos não corruptíveis, que é o que precisamos para representar nosso país amanhã.
    Não sei até que ponto podemos contar com os jovens de hoje, digo de 15 á 25 anos, eles são daquela época que os brinquedinhos á pilha, o bichinho virtual que pedia comida, era mais importante e a única responsabilidade que tinham. Alimentar o bichinho virtual, não deixar ele morrer. Sem saber matáva-mos uma geração inteira de verdadeiros lutadores.

  2. Anônimo
    terça-feira, 22 de novembro de 2011 – 22:12 hs

    MEDO DA DEMOCRACIA, SÓ PODE!!!

  3. Valter Antonio Maier
    terça-feira, 22 de novembro de 2011 – 23:07 hs

    Não leio normalmente o seu instrumento de informação que julgo bastante distorcido, que de imparciarlidade não tem nada. Coisa que deve deixar tristes os jornalistas. mas provocado que fui pela notícia infundada dada no seu noticioso não me sofrou outra alternativa que me lançar a temerária tarefa. O que menos eu senti foi asco e mais foi nojo mesmo; pela falta de pesquisa e investigação jornalística. Eu sou membro da chapa Mobiliza UFPR, estou nesta casa de ensino a completar 30 anos no próximo dia 15 de dezembro e jamais, friso jamais, fui usado como massa de manobra. A discussão política é o que ainda salva as nossas instituições públicas de ensino superior do marasmo. Coisa que na imprensa oficial abunda. Peço que deixe de lado a UFPR. Aqui você nunca veio e quando trata desta instituição sempre foi para denegrí-la. Esqueça que ela existe asssim como nós sabemos pouco da sua passagem pelo mundo.
    Sem cordialidade
    Valter Antonio Maier

  4. marcos
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 9:26 hs

    já se não bastasse os problemas da UFPR, ainda aparecem esses sujeitinhos

  5. Martins
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 9:58 hs

    Que bom que este blog está ligado nesta questão da UFPR. Isto é muito bom para a sociedade paranaense. Quando é que os partidos de centro esquerda vão olhar para as Universidades? Quando for tarde demais?

  6. Mirian Waleska
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 16:03 hs

    VALTER ANTONIO MAIER,

    Para mim o senhor pode ser membro da chapa que quiser, pode ser até o manda-chuva dessa instituição, mas, isso não lhe dá o direito de querer se sobrepor ás notícias aqui lançadas. O que lhe parece distorcido, na verdade não é a notícia, é o teor delas, a informação nos chega, e custamos á acreditar, tamanha manobra existente nesse governo do PT, as vezes custamos crêr. Seu inconformismo não reside na forma que o Campana expõe ás noticias, seu inconformismo está na forma com que o governo conduz o país. E isso refléte em todos os setores do país, inclusive na educação, tão mal representada por Fernando Hadad. Nós jornalistas, encontramos no Campana um auxílio, uma fonte de informações em tempo real, se o senhor não está gostando das notícias publicadas aqui, a culpa não é do Campana, é de quem se faz notícia, e lhe digo, o PT e segmentos do governo federal, não nos dão outra alternativa.
    E quanto á esse negócio de dizer, ” Esqueça a UFPR, deixe-a de lado” Isso já acabou senhor membro da chapa tal, pra começar ninguém mais barra a imprensa, temos livre ascesso onde quer que a notícia esteja, e tem outra, como podes assim, sem pedir licença, usar o espaço do Campana para querer se promover, dizendo ser membro da chapa tal? Que coisa feia!
    Mais respeito quando invadir esse espaço.

  7. Politiquinha
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 16:19 hs

    O collor foi tirado do poder por causa da manipulação de massa, a mesma q o elegeu, para elege-lo deram uma título “Caçador de Marajas” e para retirá-lo da presidência encontraram uma elba. O pc farias devia saber quem era o dono. Os caras pintadas foram uma geração politizada, hauhauhau. Miriam, vc é uma piadista!

  8. Politiquinha
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 16:34 hs

    E outra coisa, não precisamos mostrar a parte suja, corrupta, isso é consequência da ignorância. Substituir a parte da família real por “constituição brasileira” e “poderes da federação” já seria o suficiente. Aprendemos que Cabral foi o herói que “descobriu” o Brasil no caminho para as Índias (sabemos que indias ele queria). Não aprendemos qual a diferença de um deputado e um vereador e isso é matéria das mais importantes a serem ensinados em uma escola. Pelo menos nisso acho que concordamos.

  9. Mirian Waleska
    quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 17:32 hs

    Politiquinha,
    Precisamos mostrar sim, eu mostro a parte suja do Governo PT todas as vezes que tenho a aportunidade, se voce prefere passar á seus filhos e netos, a história apenas do início do Brasil, eu prefiro contar tudo, quem foram os ladrões da pátria amada. Nossa, para aprender a diferença de um deputado e um vereador, numa aula de 45 minutos se liquida o assunto.
    Sabe Politiquinha, Voce deve ser uma daquelas jovens que davam comidinha pra um bichinho virtual…

  10. Valter Antonio Maier
    quinta-feira, 24 de novembro de 2011 – 8:49 hs

    Senhora Mirian Waleska
    A senhora se diz jornalista, deve ter se formado em alguma uniesquina. Esqueceu as regras básicas da ética profissional? Ou será que nunca aprendeu? Imparcialidade. Essa palavra a senhora pode até consultar, hoje em dia, na internet. A senhora quando trata dos partidos políticos já trabalha com uma pré-concepção. A sua visão assim não é noticiosa, a senhora representa que manda que a senhora escreva. Invadir o seu espaço. Desculpe, não o farei mais. A patente de bajuladora da moral e dos bons costumes pode ficar com a senhora.

  11. Politiquinha
    quinta-feira, 24 de novembro de 2011 – 14:17 hs

    Miriam, piadista, para explicar a diferença entre vereador e deputado são necessários apenas 45 minutos? Pô, então tá fácil, levando em consideração seu vasto conhecimento de pedagogia, acredito que em uma palestra de uma tarde resolvemos o problema de ignorância política do Brasil. E ainda da tempo de fazer o “coffe break”, alimentar o bichinho virtual, e dar uma tweetada. Perfeito! Continuamos ensinando que Cabral é um herói, e deixamos “Constiuição Brasileira” e “Poderes da Federação” para advogados, políticos e jornalistas sabichões. Eu achei que a situação era mais crítica, imaginava que 500 anos de ignoranica, manipulação e exploração foi mais complicado de se mudar, mas parece que não. Vai ver é minha cegueira esquerdista. Deve ser, talvez pq ouvia muito Raúl Seixas quando era criança.

  12. Martins
    quinta-feira, 24 de novembro de 2011 – 15:59 hs

    Tem gente perdendo linha e esquecendo do verdadeiro debate.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*