Polícia apura queixa de aluna que diz ter sido agredida por ser negra | Fábio Campana

Polícia apura queixa de aluna que diz ter sido agredida por ser negra

Do G1 PR:

A Polícia Civil investiga um caso de racismo contra uma adolescente de 15 anos que foi agredida dentro de uma escola de Curitiba. A garota diz que sete colegas bateram nela dentro do banheiro do colégio. Segundo a mãe da garota agredida, a adolescente sofre bullying por ser negra.

Em entrevista ao Paraná TV, da RPC TV, a garota disse que as colegas deram chutes, socos e pularam em cima dela, até ela cair no chão. “Eu sei que saí com o nariz sagrando, todo mundo viu”, contou. A estudante ainda disse que as provocações racistas e xingamentos acontecem há pelo menos cinco meses. Além disso, ela afirma que as colegas se referem a ela como “macaca”.

Depois do episódio de agressão, uma das garotas ainda fez referência à estudante agredida em uma rede social na internet usando o termo “macaca”.

Segundo a diretora auxiliar da escola, os pais da garota agredida e da outra estudante que provocou a briga foram chamados para conversar e que tudo havia sido resolvido.

A mãe da garota agredida transferiu a filha para outro colégio e registrou um boletim de ocorrência na Delegacia do Adolescente. “Quero mostrar pra milha filha que não tem motivo pra ninguém agredir ninguém por ela ser diferente, pela cor dela ser diferente de outras. É muito triste isso”, relatou a mãe.


10 comentários

  1. quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 15:10 hs

    ATÉ QUANDO..ISSO VAI ACONTECERPARA QUE O SER HUMANO APRENDA QUE AO ACABAR O JOGO VAMOS TODOS PARA DENTRO DA CAIXA INDEPENDENTE DE COR ;;CRÉDO..OU $$$$$$$$$$$$$$

  2. Ernesto
    quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 16:30 hs

    Esse é o preço do reacionarismo que impera nas mentes curitibanas e nos partidos de direita.

  3. cidadão
    quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 16:42 hs

    Que colégio é este?

  4. Dyler Thunder
    quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 18:38 hs

    Minha linda Curitiba.

  5. quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 22:15 hs

    Profundamente lamentavel tal situação, pobre garota, impressionante que o crime partiu de adolescentes que sequer vão ser punidos, tantos pelos pais destes como pelas otoridades que se encontram com as mãos e os pés atados pelo ECA, na minha vida já vi muios casos parecidos e sei o quanto o racismo marca as pessoas,
    induzindos a sofrimento e a depressão, sera que a culpa não esta na instituição de ensino da garota.

  6. Borrachada
    quinta-feira, 27 de outubro de 2011 – 23:28 hs

    Lamentavel sob todos os aspectos. Uma vergonha que fatos assim ainda aconteçam.
    Lamentaveis tambèm as generalizaçôes de dois blogueiros ai em cima .

  7. sexta-feira, 28 de outubro de 2011 – 1:28 hs

    alguém sabe a identidade das agressoras, bem como os links dos seus perfis em redes sociais? preciso disso, para instituir um bullying virtual contra essa canalhada. cambada de gente ridícula!

  8. JOSÉ LUIZ
    sexta-feira, 28 de outubro de 2011 – 10:26 hs

    Isto é horrível,deplorável,são sêres humanos sem príncipios familiares e cristãos se é que possamos chamar de sêres humanos
    .Proponho um exercício prático de vida:vamos pegar um papel branco e outro escuro,queimemos ambos e misturemos suas cinzas e após procuremos separar as cinzas de ambos.

  9. ELOHIN
    sexta-feira, 28 de outubro de 2011 – 11:59 hs

    Na minha família tem gente branca, amarela, preta, vermelha, as brancas, eu e minhas filhas, as amarelas o meu genro o Japuka e meu primo e sobrinhas, o preto meu irmão o Negrão e seus filhos, as vermelhas meus primos que são ingleses Jonathan , Jeckie que nós chamamos de gringos e os vários polacos e italianos, alemães, os Bugres que compõem essa quadrilha que chamamos de família , agora fico me perguntando qual e a cor da filha dessa senhora? Será verde, laranja, para ser diferente!
    A nossa raça é a humana, nossa essência e a mesma, o que nos diferencia é a educação, as atitudes na vida , ética, moral, a solidariedade para com seu semelhante, o resto é penduricalhos.
    E quanto ao Bullying , existem limites para agressão seja ela verbal ou física, mas quem não foi aporrinhado pelos amigos na adolescência , por ser baixinho , ou alto demais , gordinho , ou magrelo, cabelo liso ou crespo, na realidade tudo era motivo para te infernizar a vida, isso lhe ensinava a lidar com as diferenças e se aceitar e aceitar os outros, principalmente a lidar com o contraditório das nossas vontades, acho que a preocupação deveria ser, não criar crianças em estufas pois uma hora ou outra a vida cobra seu preço.

    E Ernesto bom mesmo e o pensamento de esquerda, veja o pessoal do Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores.
    No início de 1918, um partido chamado Freier Ausschuss für einen deutschen Arbeiterfrieden (Comitê livre para uma paz dos trabalhadores alemães ) . ESSE È EXEMPLO DA ESQUERDA.
    E por fim se Curitiba e nos curitibanos somos tão ruins assim vá para Cuba ou Venezuela, China quem sabe lá seja mais sua cara.

  10. Língua de Krocodillo
    sexta-feira, 28 de outubro de 2011 – 16:10 hs

    Situação comum nas escolas de Curitiba, os professores e gestores desses estabelecimentos não foram preparados pra enfrentarem tais situações. A cidade “culta e branca” se imagina uma Pretória, falta somente marcar as faixas de uso para que os não brancos as utilizem.

    Vejam as escolas privadas de Curitiba, não existem, ali, alunos negros, vez ou outra um pardo. Nem na Suécia temos um apartheid nesse nível.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*