PF prende suspeitos de integrar máfia israelense; carro de jogador paranaense é apreendido | Fábio Campana

PF prende suspeitos de integrar máfia israelense; carro de jogador paranaense é apreendido


Foto ( Divulgação): Carro do jogador Kleberson é apreendido na operação

da Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) prendeu 13 pessoas suspeitas de integrar uma organização criminosa acusada de explorar máquinas caça-níqueis e de ter ligações com a máfia israelense. Um jogador do futebol paranaense, que não teve o nome ou o time revelado, teve o seu carro apreendido. Até o momento, a PF não aponta indícios de envolvimento do atleta na organização.

O grupo também é acusado de contrabandear veículos de luxo seminovos, comercializar ilegalmente pedras preciosas e de adulterar o hodômetro de carros antigos para vendê-los como novos. As ações da PF são feitas em 14 estados e no Distrito Federal.

A PF classificou o grupo como uma bem estruturada organização criminosa transnacional. Entre os presos hoje (7), há dois israelenses acusados de pertencer ao Clã Abergil (Abergil Family), envolvido em esquemas ilícitos em diversos países, como agiotagem, prostituição, jogo ilegal e tráfico de drogas.


Apesar de procurado nos Estados Unidos e no Uruguai, um dos israelenses tem um filho brasileiro e, portanto, pôde permanecer no Brasil, onde vinha sendo monitorado desde 2006, quando chegou ao país. Também foram presos um policial militar do Rio de Janeiro na ativa e dois reservista que atuavam como segurança de um conhecido bicheiro carioca, envolvido no esquema.

A PF garante ter provas consistentes de que revendedoras de veículos e despachantes de seis diferentes estados importavam veículos irregularmente a fim de regularizar (lavar) o dinheiro obtido por meios ilícitos. O comércio de pedras preciosas por empresas e pessoas físicas e uma empresa de fachada de agenciamento de artistas também estavam envolvidos.

Deflagrada na manhã de hoje, a Operação Black Ops é feita pela PF, em conjunto com a Receita Federal e o Ministério Público Federal. A 3ª Vara Federal Criminal do Estado do Rio de Janeiro expediu 22 mandados de prisão e 119 de busca e apreensão. Além disso, cerca de R$ 50 milhões em bens dos envolvidos serão bloqueados e veículos importados irregularmente, apreendidos.

Se as acusações forem confirmadas, os envolvidos responderão por crime contra a economia popular, formação de quadrilha, crimes contra ordem tributária, lavagem de capitais, evasão de divisas, podendo ser condenados a, no mínimo, dez anos de prisão.


6 comentários

  1. Renato
    sexta-feira, 7 de outubro de 2011 – 15:40 hs

    Fábio,
    O carro é do jogador Kleberson, vinculado ao Flamengo, mas jogando pelo Atlético Parananaense e foi apreendido esta manhã, em sua casa, em Curitiba, sob a suspeita de ter sido importado ilegalmente.A matéria completa está no site G1 da Globo.

  2. João Paulo
    sexta-feira, 7 de outubro de 2011 – 15:41 hs

    O jogador citado é o Kleberson do atlético…

  3. Borduna
    sexta-feira, 7 de outubro de 2011 – 18:12 hs

    Só podia ser do Atlético…..

  4. S Y N F R O N I O.
    sexta-feira, 7 de outubro de 2011 – 18:51 hs

    E uma barbaridade, nesse ano todo acontece com o furacao.

  5. tony
    sexta-feira, 7 de outubro de 2011 – 20:51 hs

    Indignado diz: em Pindorama tudo é possível, aposto que já na semana que vem esta galera estará toda de volta às ruas. E as suas atividades habituais como, traficar drogas, agiotagem, lavagem de dinheiro e tantos outros delitos. Como somos um País de gente de bom coração, e temos uma legislação que dá abrigo e guarida para tudo quanto é bandido, recebemos então gente do náide deste israelense, do assassino italiano Bastiti e do banqueiro, também italiano, Cacciola. Não será já hora de mudarmos a nossa legislação?

  6. pina
    sábado, 8 de outubro de 2011 – 0:27 hs

    policia federal tem que ir em cianorte a lavagem de dinheiro e agiotagem tomou conta hoje e capital das drogas e dos agiotas

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*