Juízes federais do Trabalho entram em greve dia 30 de novembro | Fábio Campana

Juízes federais do Trabalho entram em greve dia 30 de novembro

Da Agência O Globo

Os juízes federais vão paralisar suas atividades no dia 30 de novembro, em defesa de uma política remuneratória e previdenciária, melhoria das condições de trabalho, por mais segurança, saúde e previdência. A decisão foi tomada em assembléia geral da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), realizada na sexta-feira (14).

A paralisação se dará durante a semana nacional de conciliação. A proposta é realizar o movimento em conjunto com os 3,6 mil juízes trabalhistas brasileiros representados pela Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), que vão paralisar nacionalmente neste dia.

Também foi deliberado pela AGO que os processos de interesse da União nas Varas Cíveis e de Execução Fiscal terão as suas intimações e citações totalmente represadas, a partir desta semana, até serem remetidas para a Advocacia Geral da União em bloco somente no dia 29 de novembro, em operação padrão. O presidente da Ajufe, Gabriel Wedy, considera o saldo da Assembléia muito positivo.

“Precisamos de uma agenda positiva do Poder Judiciário junto aos demais Poderes. As associações, em face do vácuo de liderança na presidência do STF também constatado pela Anamatra, estão assumindo um papel que nunca assumiram ao longo da história e agora estão estrategicamente exercendo este protagonismo indo além dos movimentos paredistas”, declara, em nota, o presidente, ressaltando que este não é o momento de fazer greve, mas, de paralisar por um dia com os 3,6 mil juízes trabalhistas, em sinal de protesto por mais respeito às reivindicações que visam garantir um Poder Judiciário independente.

“Os juízes trabalhistas nos apoiaram na paralisação que realizamos no ano 2000, agora é hora de retribuirmos o apoio na paralisação do dia 30 de novembro e marcharmos juntos, em uma luta que é, acima de tudo, nossa”, destaca Wedy.

A medida estratégica e adicional de represar as intimações e citações nos processos de interesse da União vai ser uma forma efetiva e inteligente de pressão, mais eficaz que greve, sem molestar a sociedade.

“Não podemos perder tempo, precisamos de mais segurança para trabalhar – vejam o caso da juíza Patrícia Acioli, brutalmente assassinada no Rio de Janeiro -, estrutura de trabalho, simetria integral com o Ministério Público e de uma política remuneratória urgente. Neste período vamos esclarecer os colegas e fazer visitas nos Estados para mobilizar a carreira”, justifica Wedy.

O represamento de intimações e citações dos processos de interesse da União, em especial de Execução Fiscal, ocorrerão até o dia 29 de novembro.

“É ilusório e utópico pensar que conseguiremos algo ainda este ano com diálogos formais e sem pressão. A indignação está aumentando na carreira, é crescente, não estamos sendo ouvidos pelo demais Poderes e em especial precisamos de maior empenho do presidente do STF. Fez bem a categoria ao decidir desta forma democraticamente. Queremos um Judiciário cada vez mais ágil que leve uma justiça mais rápida e acessível à população e que no aspecto criminal não admita a impunidade e a corrupção no nosso país”, ressalta o presidente da Ajufe.


8 comentários

  1. Anônimo
    terça-feira, 18 de outubro de 2011 – 16:48 hs

    Vai fazer diferença apenas para quem reclama na justiça, para os advogados e para as empresas que terão sossego, sem penhoras online. O resto do Brasil nem vai notar.

  2. TONHÃO 2012
    terça-feira, 18 de outubro de 2011 – 17:10 hs

    É PRECISO MESMO MOVIMENTO PAREDISTA. O SALÁRIO LES NÃO DIVULGAM PRA NINGUÉM. VIVERIAM UM MES COM SALARIO MINIMO PAGO A GRANDE MAIORIA DOS TRABALHADORES?. É HORA DE TRABALHAR SENHORES. OU DAR O LUGAR PRA QUEM QUER TRABALHAR. E OS PROCESSOS PARADOS, A QUEM RECORRER?

  3. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 18 de outubro de 2011 – 17:40 hs

    Quem vai adorar são os empresários, que vão ditar e rolar.

  4. Dona INjusta
    terça-feira, 18 de outubro de 2011 – 23:43 hs

    Eles deveriam vir a publico com seus holeriths em praça publica e expor para toda população apoiar – que tal 6 da manha nos terminais do guadalupe e boqueirao?? fica a sugestão – se não forem linchados é pq merecem o aumento- Quanto afinal ganha um juiz desse??

  5. João pedro
    quarta-feira, 19 de outubro de 2011 – 0:50 hs

    Absurdo o salário mínimo deles e’ miserável!

  6. SAMURAI
    quarta-feira, 19 de outubro de 2011 – 5:53 hs

    O grande saldo negativo que a democracia nos deixa são as greves.
    Apesar dos direitos de cada classe profissional as greves são de “en-
    cher o saco” do cidadão comum. Bancários, médicos, correios, juizes,
    funcionários públicos e … O “zé povinho” que é a grande maioria da na-
    ção deveria fazer greve também. Não greve de fome porque fome já
    passam a vida inteira para sobreviver com o SALÁRIO MÍNIMO BRASI-
    LEIRO !!!!

  7. PAULO TARSO
    quarta-feira, 19 de outubro de 2011 – 15:39 hs

    Senhores juizes…. por favor…. aglizem os processos de auxilio doenca afinal os coitados dependem desse auxilio para tratamento de saude….

  8. quarta-feira, 23 de novembro de 2011 – 10:23 hs

    É uma piada !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    TRabalhando todos os dias já é devagar quase parando, imaginem em greve!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*