Beto ressalta cooperação para combate à pobreza no Sul | Fábio Campana

Beto ressalta cooperação para combate à pobreza no Sul


Foto: Arnaldo Alves / AENotícias

Da Aen

O governador Beto Richa ressaltou nesta sexta-feira (14/10), em Porto Alegre, que a cooperação entre os Estados do Sul do país é fundamental para a realização de ações de combate à pobreza e à miséria.

Richa participou na capital gaúcha do lançamento do Plano Brasil Sem Miséria na Região Sul, do governo federal, e assinou com a presidente Dilma Rousseff e os governadores Tarso Genro (RS) e Raimundo Colombo (SC) o Pacto Sul do programa para combate à pobreza.

Segundo ele, o programa estadual e o federal são complementares e já há entendimentos entre o Governo do Paraná e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome para utilizar as ações previstas no projeto paranaense em favor das famílias brasileiras em vulnerabilidade social.

A presidente Dilma Rousseff explicou a importância dos projetos de resgate da cidadania nos três estados, que contabilizam 716 mil pessoas em situação de vulnerabilidade social, e fez um balanço das ações do governo federal de combate à pobreza no País.

O acordo assinado pelos governadores dos Estados do Sul e o governo federal prevê a compra de sementes da agricultura familiar para distribuir a agricultores muito pobres, principalmente indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária. Serão adquiridas 53,5 toneladas de sementes de milho de 400 agricultores familiares de três cooperativas: Coarpa, de Santa Catarina, Bionatur, do Rio Grande do Sul, e Coofaeco, do Paraná.

O governador paranaense destacou que no Estado o fortalecimento da agricultura familiar é uma das prioridades. Ele afirmou que o Paraná tem programas importantes nesta área, como a Fábrica do Agricultor e o Armazém da Família.

Outra medida anunciada em Porto Alegre foi a adesão de supermercados da região Sul a um programa de compras da produção da agricultura e da agroindústria familiar.

REINSERÇÃO – Com o objetivo de desenvolver uma agenda conjunta com o governo federal, o Estado lançará o programa Família Paranaense para fortalecer as políticas sociais e reduzir o número de paranaenses em situação de pobreza extrema. Com a implementação de um conjunto de ações de reinserção social, o programa quer diminuir o grau de vulnerabilidade social de cerca de 100 mil famílias. Elas terão acesso prioritário à políticas sociais para que alcancem autonomia profissional e financeira para não precisar de programas oficiais de assistencialismo.

A intenção é que as famílias beneficiadas recebam mensalmente R$ 50 por mês em alimentos por um período de dois anos, tenham acesso a cursos educativos e profissionalizantes, a microcrédito, programas de economia solidária, qualificação profissional para jovens, acompanhamento no programa Mãe Paranaense e recebam melhorias nas condições habitacionais (construção de casas, pavimentação, esgoto, água, titulação da terra). Inicialmente, os municípios contemplados serão os com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com grandes concentrações de favelas e áreas de risco habitacional.

INVESTIMENTOS – O Governo do Paraná o prevê o investimento de R$ 170 milhões em políticas públicas, nas áreas de assistência social, habitação, educação, saúde e agricultura, para ajudar a melhorar os indicadores de desenvolvimento humano. Os recursos serão 60% do Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid) e 40% do Estado.

Na capital, um programa semelhante foi realizado para atender a população em situação de pobreza extrema. O Família Curitibana foi lançado em 2009 e atualmente participam 2.555 famílias. A previsão é de aumentar mais duas mil famílias em 2011 e até 2012 atingir a meta de intervenção integrada de proteção social de 7.000 famílias.


4 comentários

  1. OSSOBUCO
    sábado, 15 de outubro de 2011 – 18:35 hs

    Explica bem direitinho Dilma porque os tucanos têm uma dificuldade imensa em entender essa matéria.

  2. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 15 de outubro de 2011 – 18:38 hs

    A coisa (Dilma), sabendo que o PT esta a beira do abismo, agora tenta se agarrar ao PSDB a fim de se sustentar no poder.
    Sábia decisão.

  3. salete cesconeto de arruda
    domingo, 16 de outubro de 2011 – 17:42 hs

    Caçador de Petistas
    Você chama as mulheres de sua família de COISA?
    Interessante.
    Talvez você faça delas cassa feito bicho. Né? Não?!

  4. Mirian Waleska
    segunda-feira, 17 de outubro de 2011 – 20:19 hs

    Salete, tem mulheres que devem ser chamadas de COISA, envergonham a nossa raça, a Dilma é uma delas. Creia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*