Juízes podem ter aumento já; servidores da Justiça, nem no ano que vem, diz vice-líder do governo | Fábio Campana

Juízes podem ter aumento já; servidores da Justiça, nem no ano que vem, diz vice-líder do governo

Mariana Jungmann e Iolanda Lourenço da Agência Brasil

Os juízes podem ter reajuste salarial ainda este ano, mas o aumento para os servidores do Judiciário e do Ministério Público está descartado até para 2012. Segundo o vice-líder do governo no Congresso, deputado Gilmar Machado (PT-MG), existe uma reserva de R$ 500 milhões no Orçamento de 2011 para atender às demandas salariais dos juízes de todo o país. Apesar de, até o momento, o projeto que garante o reajuste não ter sido aprovado, ele acredita que a liberação dos recursos possa sair ainda este ano.

O deputado, contudo, ressalta que a reposição salarial dos juízes é referente ao Orçamento deste ano, e não do ano que vem. “Não é que nós não queremos dar, é que não há previsão [no Orçamento de 2012]. Nós recebemos a peça [orçamentária], não veio nada previsto para eles [servidores da Justiça e do Ministério Público]. No caso dos magistrados, também não há nada previsto para 2012. O que eles estão conversando ainda é algo previsto para 2011, que já está aqui. Nós estamos tratando ainda do Orçamento deste ano”, esclareceu o deputado.

Sem qualquer projeto de lei que preveja reajuste salarial para os servidores do Judiciário e Ministério Público, o Congresso está impedido de incluir a questão no Orçamento da União do próximo ano. Segundo Machado, o prazo para que eles tivessem chance de serem atendidos em 2012 terminou em 31 de agosto deste ano.

“Você tem que ter um projeto e o Artigo 78 da Lei de Diretrizes Orçamentárias diz que as propostas que não chegarem aqui e não fizerem parte do Anexo 5 [da peça orçamentária] até dia 31 de agosto, não poderão ser contemplados. Só a partir de 2013”, explicou Machado.

Da mesma forma, os servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas da União deverão aguardar até 2013 para receber aumentos salariais. De acordo com o vice-líder do governo, também não foram apresentados a tempo projetos nesse sentido. “O Poder Legislativo, que é o Poder que tem autonomia para propor, não o fez dentro do prazo”.

No Poder Executivo, a maioria dos funcionários já havia negociado, por meio de sindicatos, a reposição salarial com o Ministério do Planejamento. Nesses casos, o acordo será mantido e os reajustes estão previstos no Orçamento enviado pelo governo.


2 comentários

  1. Orlando Pessuti
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 10:15 hs

    O meu desligamento definitivo da Assembleia, depois de muitas confusões, foi em 16.12.2010. Agora só foi a a publicação de um novo decreto para esclarecer melhor a decisão adotada, a meu pedido, já naquela ocasião. Quanto a licença no Instituto Emater É SIM SEM VENCIMENTOS.Se existir dúvidas a respeito disso é só ir lá e conferir. Abrs. do Pessuti

  2. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 10:37 hs

    Esse é o país que distribui renda…para os bancos, para a companheirada, para os escalões vips. Para a ninguenzada, crédito arreganhado, bolsas, vales e cotas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*