Ideia de jerico | Fábio Campana

Ideia de jerico

Do Carlos Alberto Pessoa para a Ideias

O ministro da saúde do governo Dilma sugeriu aumentar os impostos sobre cigarros e bebidas para financiar esta dolorosa, problemática área; é espécie de grande roque em relação à má idéia do excelente dr. Adib Jatene: imposto sobre transações financeiras – CPMF ou imposto do cheque – para o mesmo fim. Aqui entre nós, mais uma ideia de jerico, para desenterrar velha expressão popular.

O Brasil tem uma das cinco maiores cargas de impostos do mundo, mundo, vasto mundo: perde apenas para os escandinavos e França: não precisa de mais um imposto por mais nobre que seja a sua finalidade. E não precisa, entre outras razões, pelo maciço fato do desperdício amplo, geral, irrestrito. A marca registrada do (des)serviço público nas suas três áreas administrativas. A mais superficial eliminação de gorduras proverá o ministério da Saúde do dinheiro indispensável. Que tal começar por um corte dos ministérios? E vir descendo?

Em tempo: o maior investimento em saúde pública no mundo é em saneamento básico – água e esgotos tratados; cada dólar investido aqui poupa três dólares em medicina curativa. É outra ideia ao ministro da Saúde.


5 comentários

  1. Jango
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 16:58 hs

    Outra ideía para contribuir:

    Alteração do dispositivo da Constituição que permite a tal “publicidade oficial”, não raro “propaganda do governo ou do governante de ocasião”, ralo onde bilhões, em todos os níveis governamentais, são escoados (para gáudio de terceiros) sem criar um emprego sequer, produzir uma obra pública sequer, instituir um serviço públicos decente sequer.

    Essa excrescência está tão disseminada que até nossa Câmara Municipal foi tomada de surpresa e obrigada a trabalhar para apurar um caso de favorecimento por tal verba de publicidade.

    Bilhões sobrarão para saúde, e também para educação e segurança.

    Mãos à obra – OAB, CNBB, ABI – não à corrupção e às verbas de publicidade.

    Obs.: espera-se que as empresas de publicidade que querem o bem do país aprovem e que tal ! poderiam elas iniciar essa ação contra esse desperdício do dinheiro público e a corrupção !

  2. ricardo crovador
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 17:30 hs

    Jango, a publicidade é um dos princípios constitucionais básicos: “legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”… Pra mudar isso tem que eleger uma assembléia constituinte.

  3. tony
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 18:39 hs

    Mas como é que vamos investir em saneamento básico? Ninguém quer pagar pela água, e muito menos pelo esgoto. De onde tirar dinheiro então? A estatal da água e do esgoto está quase falida, porque quando se fala em atualizar o preço da tarifa gritamos feito louco. E ninguém aparece com o milagre da multiplicação dos Reais para financiar o saneamento básico. Que para cada centavo investido em saneamento, se economiza um Real em tratamento médico, todo mundo já sabe, mas ninguém faz nada para mudar isto. Tony

  4. SAMURAI
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 21:58 hs

    Aumentar mais ainda a nossa carta tributária é no mínimo a maior
    bestialidade que estamos vendo novamente. Chega de tantos impostos.
    O governo precisa é investir urgentemente o que arrecada, isto é in-
    vestir para fora do bolso dos políticos.

  5. Ditão
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 22:45 hs

    Milagre da multiplicação???? Chama o Palocci.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*