Fernanda Richa, Jackie Kennedy e o bom gosto | Fábio Campana

Fernanda Richa, Jackie Kennedy e o bom gosto

Fernanda Richa nunca gostou de ser chamada de primeira dama. Primeira dama não é cargo, função, título ou honraria, raciocina. Quer ser reconhecida como secretária da Família e Desenvolvimento Social, onde desempenha seu trabalho.

Quem também não gostava desse tratamento era Jacqueline Kennedy, mulher do presidente dos EUA, John Kennedy. Dizia ela em entrevista agora diculgada a Arthur Schelessinger que primeira dama, além de ser um tratamento estranho, é de mau-gosto, pois lembra nome de cavalo de corrida.


6 comentários

  1. Sergio silvestre
    segunda-feira, 19 de setembro de 2011 – 18:50 hs

    Sempre achei a f richa uma jackie kennedy…………, do avesso

  2. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 19 de setembro de 2011 – 20:30 hs

    Tão exagerando…
    Comparar a Fernanda com a Jackie,

    É APELAÇÃO.

  3. Zangado
    segunda-feira, 19 de setembro de 2011 – 21:16 hs

    Elas estão totalmente certas !
    A partir dessa percepção muita coisa positiva pode ocorrer !
    A sociedade só terá a ganhar, até porque as primeiras-damas podem ser as grandes personagens atrás ou ao lado dos governantes.
    E como estamos precisados !
    Eu disse: e como estamos precisados !

  4. Lucas
    segunda-feira, 19 de setembro de 2011 – 22:46 hs

    Já se comparar à Jacqueline Kennedy…é de uma pretensão desmedida!!!!!!!!!!!!!!!

  5. André
    terça-feira, 20 de setembro de 2011 – 7:09 hs

    aloprou de vez.

  6. Walter
    terça-feira, 20 de setembro de 2011 – 17:41 hs

    Era Patricinha, agora é dondoca. Nada mais do que isso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*