Beto prefere Ghignone a Francischini no comando do PSDB de Curitiba | Fábio Campana

Beto prefere Ghignone a Francischini no comando do PSDB de Curitiba

Elizabete Castro do Estado do Paraná

Presidente estadual do PSDB, o governador Beto Richa (PSDB) prefere indicar o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone, para comandar o partido em Curitiba. Ele convidou o deputado federal Fernando Francischini para ser vice-presidente e o deputado estadual Mauro Moraes para ocupar a secretaria geral do PSDB de Curitiba, onde o diretório está sob intervenção desde março deste ano.

Em reunião com Moraes, o governador também revelou que pretende chamar um vereador, o líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal, Emerson Prado, ou o líder do governo na Câmara, Serginho do Posto, e o chefe do gabinete da Casa Civil, José Carlos Campos Hidalgo, para compor a executiva, onde também já tem lugar garantido o secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto.

Mas o governador ainda tem que resolver um impasse antes de anunciar a nova executiva. Francischini acha que a presidência do partido deve ser de um tucano com mandato. O deputado federal tucano argumentou com o governador que a presidência poderia ficar com ele mesmo ou com Moraes.

O governador acha que não é estratégico ter um parlamentar à frente do partido. Moraes disse que a justificativa de Beto é que um nome de fora do circuito parlamentar causa menos disputa interna. “O governador acha que um de nós que não tenha mandato terá uma condução mais imparcial do processo”, afirmou.

“Vou conversar com o Francischini porque ele tem mantido a posição de que o presidente do partido deve ser um parlamentar. Eu gostaria que ele fosse o presidente, mas não vejo problema em que seja o Ghignone”, disse Moraes.

O governador pretende reativar o diretório de Curitiba após os feriados de Sete de Setembro. Em março, a direção estadual destituiu o comando do diretório em Curitiba quando o vereador João Claudio Derosso se preparava para mais um mandato como presidente. À época, o ex-deputado federal Gustavo Fruet ainda estava no partido e tinha a esperança de assumir o comando do diretório municipal para construir sua candidatura a prefeito.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*