À beira de um ataque | Fábio Campana

À beira de um ataque

Do Giba Um

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, afastada da cena política, depois das denúncias aéreas sobre ela e o maridão Paulo Bernardo (Comunicações), está à beira de um ataque de nervos. Não agüenta mais o volume de denúncias que assola o casal 20 do governo. A última envolve a mulher de seu chefe de gabinete, Carlos Carboni, que tem uma empresa de lobby para atender prefeitos que são recebidos na Casa Civil. Seus médicos já lhe receitaram Lexotan, depois Rivotril e agora, estão testando Frontal.


8 comentários

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 20:45 hs

    Eu sugiro que ela tome:

    “SIMANCOL”.

    Devolva aquela grana da Itaipu.
    Explique as revoadas nos jatinhos de empresários.

  2. SAMURAI
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 21:50 hs

    Nada disso funciona. É bom usar a famosa MARACUJINA.
    Por favor não confundam com MARACUTAINA…

  3. Gerson Martins
    terça-feira, 6 de setembro de 2011 – 22:52 hs

    É INCRIVEL – TODOS FARINHA DO MESMO SACO.

    Será que não tem ninguem sério, honesto e corrreto ……

  4. Luiz
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 0:05 hs

    Eu já tive que tomar Rivotril. Assim, sei que a coisa está feia mesmo.

  5. borrachada
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 1:04 hs

    Se o Frontal não resolver, entupam a Barbie de “cachação” que aí tudo fica bem. Com o “sapo barbudo” dá certo até hoje!

  6. SAMURAI
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 8:41 hs

    Sugiro utilizar MARACUJINA.
    Não confunda com MARACUTAINA…

  7. Zé do Coco
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 11:53 hs

    Se ela vai de Frontal ou de Lateral, isso é o de menos. Interessa saber se ela está apenas por acaso interessada em apelar para a realidade, ao invés dos sonhos. Por enquanto, no mundo da política, ninguém conseguiu ainda inventar um sucedâneo para o lado real da vida….

  8. Anônimo
    quarta-feira, 7 de setembro de 2011 – 12:14 hs

    A vida dura de Barbie. O sucesso não é fácil, minha filha.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*