Paraná adere à nova campanha nacional de desarmamento | Fábio Campana

Paraná adere à nova campanha nacional de desarmamento

Beto Richa durante encontro com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Foto: Ricardo Almeida

O governador Beto Richa assinou nesta segunda-feira (15), em Brasília, o termo de adesão do Paraná à nova campanha nacional de desarmamento. A assinatura aconteceu durante encontro com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki.

“Nesta terça vamos apresentar importantes medidas do programa Paraná Seguro para combater a criminalidade e o desarmamento é uma parte importante na tarefa de reduzir a violência”, destacou o governador Beto Richa. “O governo federal tem sido um parceiro importante e não abrimos mão desta parceria. Sozinho, o Estado não tem condições de realizar todas as ações necessárias para enfrentar o crime”.

Para José Eduardo Cardozo, o governo federal trabalha em sintonia fina com o Paraná porque muitas das propostas na área de segurança pública são coincidentes. “Queremos dar prioridade ao trabalho conjunto com o Paraná porque encontramos no Estado um ambiente de cooperação muito favorável. Temos uma parceria muito produtiva”, afirmou o ministro.

O governador Beto Richa reforçou na reunião no Ministério da Justiça a necessidade de apoio do governo federal para a construção de novas penitenciárias no Paraná. O Estado abriga em delegacias 15 mil dos 55 mil presos brasileiros que atualmente estão detidos em distritos policiais.

DESARMAMENTO – Segundo dados do Ministério da Justiça aproximadamente 10,5 mil armas já foram entregues em todo o País nos postos de coleta da Campanha Nacional de Desarmamento que funcionam desde maio. No Paraná a entrega pode ser feita nos quartéis do Corpo de Bombeiros e do Exército.

Quem entrega a arma não precisa mais se identificar. Basta preencher um formulário que pode ser acessado nos sites www.dpf.gov.br e www.entreguesuaarma.gov.br para que possa transportá-la com segurança até os locais de coleta. Nas versões anteriores da campanha cerca de 550 mil armas foram recolhidas.

Na entrega da arma a pessoa recebe um documento com números de protocolo e senha para sacar a indenização nos terminais de autoatendimento do Banco do Brasil. A liberação do dinheiro acontece num prazo de até 30 dias. Os valores variam de R$ 100 a R$ 300. O governo reservou R$ 10 milhões para as indenizações.

Dados do governo mostram que mais de 70% dos homicídios no País são cometidos com arma de fogo de fabricação nacional, sobretudo o revólver calibre 38. Boa parte das mortes decorre de acidentes domésticos e de causas banais, como brigas de trânsito.

Ainda na tarde desta segunda-feira Richa visitou o escritório de representação do Paraná em Brasília. Acompanhado dos secretários da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, e da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes, ele foi conhecer a infraestrutura do local que passou a ser gerenciado pelo ex-ministro e ex-deputado federal Alceni Guerra.

No final do dia o governador paranaense tem agenda com o ministro da Defesa, Celso Amorim, para tratar da integração das forças policiais do estado com o Exército e a Força Nacional de Segurança para combate ao tráfico e contrabando na região de fronteira.


7 comentários

  1. anonimo
    segunda-feira, 15 de agosto de 2011 – 17:36 hs

    O governador está com uma cara de maus amigos ou de sono????

  2. Alcides
    segunda-feira, 15 de agosto de 2011 – 17:38 hs

    Entregue sua arma e os bandidos agradecem.
    Mande que todo o povo da área rural entregue sua arma, quero ver se a segurança do Estado vai inibir os bandidos…

  3. Dyler Thunder
    terça-feira, 16 de agosto de 2011 – 0:43 hs

    O governador claramente não gostou de ser tocado por um ministro, ainda mais por ser do partido opositor.

  4. Jorge Ventura
    terça-feira, 16 de agosto de 2011 – 7:33 hs

    Tenho certeza que deve ter uma fila enorme de bandidos querendo entregar as suas armas, afinal de contas, os bandidos são bonzinhos e só praticam latrocínio porque o Brasil não ganhou a Copa do mundo.
    Lamento por estas atitudes de marketing político, pois os brasileiros já deixaram claro para o governo que quem deve ser desarmado são os bandidos e não os cidadãos, porém como sempre, a classe política ignora a opinião da população e insiste em coisas imbecis para tentar resolver um problema que é proveniente da péssima gestão da segurança.
    Por que o nosso governador não cobra do Ministro da Justiça um maior policiamento nas fronteiras?
    Por que o nosso governador não ataca de forma correta as drogas, que são responsáveis por mais de 80% dos homicídios?
    Será que o governador acredita que o alto índice de assaltos, homicídios e outros crimes graves são praticados por pessoas que têm família e possuem uma arma de fogo?

  5. Lucas Garcia
    terça-feira, 16 de agosto de 2011 – 8:46 hs

    Eu entrego minha arma desde que os seguranças do Beto Richa parem de andar armados.

    Tiro no pé do governador. 70% da população paranaense votou contra
    o desarmamento. Queimou o filme!!!

  6. Estatística
    terça-feira, 16 de agosto de 2011 – 10:34 hs

    Bandido registra arma? Bandido compra arma em loja autorizada? Bandido tem porte de arma? Bandido faz curso de tiro?

    Houve um plebiscito sobre a venda de armas. A resposta da sociedade foi um sonoro NÃO. Estão controlando e proibindo assim mesmo. De que valeu a consulta à sociedade?

  7. Street
    terça-feira, 16 de agosto de 2011 – 11:27 hs

    Quando eles falam em desarmamento eles querem dizer desarmar os bandidos certo????????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*