Nossa herança ibérica | Fábio Campana

Nossa herança ibérica

Do Rodrigo Ferreira Do Amaral

Pero Borges, quando era corregedor da Justiça, em Alvas, Portugal, foi encarregado de supervisionar a construção de um aqueduto. A obra parou pela metade, quando se levantou um clamor popular para saber por que o aqueduto não havia sido concluído. Houve uma comissão de inquérito, praticamente uma CPI, e se chegou ao empreiteiro, porque as obras eram construídas em regime de empreitada. O empreiteiro informou que deu a metade do dinheiro para ele. Pero Borges foi julgado e condenado. Uma de suas condenações foi nunca mais exercer um cargo público. Isso se deu em 1546 e, em janeiro de 1547, foi escolhido primeiro ministro da Justiça do Brasil.


4 comentários

  1. Zangado
    sexta-feira, 19 de agosto de 2011 – 18:45 hs

    Ora pois, vamos mandá-lo de volta a Portugal !!!

  2. CAÇADOR DE PETISTAS
    sexta-feira, 19 de agosto de 2011 – 19:35 hs

    E A HERANÇA MALDITA QUE DEIXOU LULA DA SILVA?
    ABRE A BOCA DILMA OU VOCÊ VAI CAIR COMO COLLOR CAIU.

  3. Romão Miranda Vidal
    sábado, 20 de agosto de 2011 – 0:43 hs

    E por acaso mudou alguma coisa? Ora, pois,pois. Continua na mesma e cada vez pior.

  4. Osiris Duarte de Curityba
    sábado, 20 de agosto de 2011 – 3:44 hs

    INTERESSANTE NÉ … !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*