Caso Strauss-Kahn: relatório comprova que camareira foi estuprada | Fábio Campana

Caso Strauss-Kahn: relatório comprova que camareira foi estuprada

A revista francesa “L’Express” revelou hoje que a camareira do hotel Sofitel de Nova York, que acusou de abuso sexual o ex-diretor do FMI Dominique Strauss-Kahn, foi vítima de estupro de acordo com os médicos que a atenderam no dia. Nafisatou Diallo, a camareira, foi examinada no dia da suposta agressão (14 de maio) pelos médicos do hospital St. Luke’s Roosevelt de Manhattan.

O diagnóstico do relatório divulgado pela “L’Express” foi de agressão e estupro. Na última página do relatório, o médico descreve as agressões constadadas na parte interna do órgão genital da camareira. O advogado de Diallo, Kenneth Thompson, disse ter ficado surpreso com a Promotoria, que não deu muita importância para estes dados no início investigação, informações que comprovam o estupro.

O advogado acrescenta ainda, na estrevista que concedeu à “L’Express”, que “não existe” a conversa entre Nafisatou e um amigo preso por tráfico sobre os benefícios que poderia tirar do julgamento contra Strauss-Kahn.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*