Um novo plano para o turismo | Fábio Campana

Um novo plano para o turismo

Cataratas de Foz do Iguaçu

Matéria publicada na Revista Ideias Economia – julho 2011

Plano de desenvolvimento turístico prevê a concessão para a iniciativa privada de alguns serviços dos parques estaduais, como estratégia para a recuperação das áreas de conservação.

Inspirado no modelo de gestão do Parque Nacional do Iguaçu, na região Oeste do Paraná, o governo estadual estuda reestruturar a forma de uso das 28 áreas de conservação abertas à visitação no Estado e desenvolver novos produtos turísticos em parceria com o setor privado.

Entre as possibilidades estão a exploração de turismo de aventura e ecoturismo (caminhada, trilhas, rappel, rafting, entre outras) e concessões de serviços como transporte interno e refeições. A proposta é liberar licenças em acordo com o plano de manejo de cada área para que empresas ofereçam novos serviços nos parques.

A novidade faz parte do Plano de Desenvolvimento Turístico e Uso Público em Unidades de Conservação do Estado que está sendo elaborado pela secretaria do Turismo (Setu) e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) Segundo o secretário do Turismo, Faisal Saleh, estão sendo realizados estudos de viabilidade econômica, ambiental e social dos novos produtos turísticos, que servirão de base para a normatização das licitações. Os licenciamentos levarão em conta as medidas necessárias para a manutenção dos ecossistemas das áreas de conservação e para a conscientização da população.

“O lazer é uma opção turística viável nessas áreas, como atividade de cunho educativo que integra o homem à natureza, por meio de atividades esportivas ou apenas contemplativas”, disse Harvey Schlenker, do Departamento de Unidades de Conservação do IAP.

Para a Organização Mundial do Turismo (OMT), o setor turístico tem impacto sobre 52 atividades econômicas. “Hoje o turismo é a maior indústria empregadora do planeta e com o menor custo de geração de emprego. A atividade está diretamente ligada ao desenvolvimento socioeconômico de uma comunidade”, diz o secretário estadual do Turismo, Faisal Saleh.

De acordo com o secretário, na primeira unidade a operar neste novo cenário deve ser o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa. A seguir virão os parques do Guartelá (Tibagi), do Monge (Lapa) e da Ilha do Mel (no Litoral).


VILA VELHA –
O Parque Estadual de Vila Velha está em uma área de 3.803,28 hectares na região dos Campos Gerais. Em 2010, o parque recebeu 59.940 visitantes no complexo que reúne três atrativos principais: Arenitos, Furnas e Lagoa Dourada.
O parque oferece ao turista infraestrutura de alimentação, recepção e informação com serviços de monitoramento e acompanhamento nas trilhas. Para percorrer toda a extensão da área é disponibilizado transporte interno com ônibus especial adaptado.

Foz do Iguaçu
Foz do Iguaçu sediou em junho um dos mais importantes eventos do setor de turismo do país. Faisal Saleh destacou o papel do governo estadual no fomento e desenvolvimento turístico.
O evento é considerado o maior do segmento já realizado no Paraná. Foi promovido pela Fundação Parque Tecnológico Itaipu e pela De Angeli Feiras, com o apoio do Governo do Estado.
O ministro do Turismo do governo federal Pedro Novais disse que o turismo representa 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e que o governo federal trabalha para ampliar essa participação com investimento e parcerias. “Precisamos do trabalho feito em Foz do Iguaçu porque isso contribui para que o País alcance um novo patamar de turismo internacional”, afirmou.

Para o diretor geral da Itaipu Binacional, Jorge Samek, o turismo em Foz vive um momento de desenvolvimento e o festival confirma a importância das parcerias para o fortalecimento turístico dos três países da fronteira. “Juntos cresceremos para cada dia receber mais turistas e estarmos preparados para a Copa do Mundo”, disse Samek.

Estados se unem por integração turística

Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul querem atuar em bloco para atrair mais recursos e desenvolver os atrativos turísticos da região Sul. Para isso vão articular relações políticas para conseguir melhores linhas de créditos do governo federal e ganhar mais visibilidade no cenário nacional.

Esse é o resultado do encontro dos secretários de Turismo dos quatro estados. “Precisamos nos unir para que o Sul seja reconhecido como um grande destino do turismo brasileiro”, disse Faisal Saleh, secretário paranaense.

Para Abgail Pereira, secretária de Turismo do Rio Grande do Sul e coordenadora da Comissão Permanente de Turismo do Codesul, a região precisa de união para fortalecer o setor. “Podemos ter uma participação mais competitiva no cenário turístico nacional e internacional. Temos interesses legítimos e precisamos de um espaço no Ministério de Turismo para defendê-los”, disse Abgail.


Um comentário

  1. Vanessa
    segunda-feira, 25 de julho de 2011 – 10:40 hs

    Resumo da ópera: vão vender nossos parques.
    Esse é o choque de gestão prometido?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*