Perdemos Ciro França | Fábio Campana

Perdemos Ciro França

Dia de tristeza nesta Travessa dos Editores. Morreu Ciro França. A qualidade de seu caráter, o brilho de suas ideias, seu amor pela vida e o culto da amizade estão nos textos saborosos das crônicas que publicou nos últimos meses na revista Ideias, aqui da casa. Também se revela no talento de seus filhos, três jornalistas, Cris, Rodrigo e nossa colunista Isabela.

O bravo Ciro França será velado nesta sexta-feira (15) das 9h às 16h na Capela Vaticano e depois será cremado.

Leia as crônicas de Ciro França no site da Revista Ideias


5 comentários

  1. Jose maria correia
    sexta-feira, 15 de julho de 2011 – 11:15 hs

    Fui amigo de infancia e juventude de Ciro alem de dono de um grande texto provavelmente herdado do poeta Serafim Franca Ciro tambem tinha muito talento musical e foi um grande artista plastico deixando um belo acervo. Era um cavalheiro tambem e agravel proseur.Nos fara muita falta e deixa saudades.

  2. Luiz Fernando Pereira
    sábado, 16 de julho de 2011 – 9:26 hs

    Isabela
    Meus pêsames. LF

  3. Isabela França
    domingo, 17 de julho de 2011 – 1:53 hs

    Obrigada, Fábio. Sua paciência e ternura nesses meses tão difíceis foram inestimáveis. Isabela

  4. terça-feira, 26 de julho de 2011 – 17:51 hs

    Ciro,

    Não há poesia nem naturalidade na morte. Há o silêncio e a obscura ausência. E eu que não conheci sua voz, meu amigo virtual? Mas você desanuviou as horas de enfado, com suas frases de humor. Ri, rimos muito, regalados com sua atrevida presença. Inteligente, dramático, irônico, tecia sem medo diálogos rebuscados com quem tivesse competência para acompanhar seu raciocínio célere. E quem ama as palavras e o brilhantismo descansava o verbo para se tornar seu leitor. Adeus, meu amigo!

    Teresa

  5. Vanessa
    sexta-feira, 29 de julho de 2011 – 15:55 hs

    Tive o prazer de conhecer o Ciro em uma de minhas andanças virtuais.
    Lamento muito sua partida. E espero que Deus conforte a família, os amigos do convívio diário e aqueles que como eu puderam apreciá-lo nas letras e no bom humor.

    Que ele descanse em paz.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*