Nova FIEP debate propostas e define estratégias | Fábio Campana

Nova FIEP debate propostas e define estratégias

Foto: Rubens Nemitz Jr.

Mais de 40 integrantes da Nova FIEP se reuniram na noite desta terça-feira (19) em Curitiba para debater propostas, traçar estratégias e definir metas da campanha de eleição da FIEP para os próximos dias. Participaram do evento industriais de todas as regiões e setores do Estado.

“Estamos animado com a receptividade que as nossas propostas vem recebendo dos industriais do Estado. Nos propomos a fazer uma gestão participativa com o foco no aumento da competitividade e no fortalecimento dos sindicatos ”, afirmou o presidente da Nova FIEP Ricardo Barros.

A necessidade da melhoria da gestão do SENAI, do SESI e do IEL, a administração voltada aos interesses efetivos dos industriais, a transparências nas contas, a criação de cursos de qualificação para formar profissionais adequados para as empresas, a reforma do estatuto, o impedimento do uso da FIEP para política partidária, a inadimplência da contribuição sindical e outros assuntos foram debatidos durante mais de duas horas de reunião.

“Foi uma ótima conversa que nos ajudou a definir melhor as propostas e traçar as estratégias para os próximos dias”, disse Barros, ao afirmar que já tem programado encontros com sindicatos de Curitiba e Região Metropolitana e viagens para apresentar as propostas aos industriais do interior.

VOTOS EM DISPUTA – Ricardo Barros também aproveitou o encontro para apresentar a análise das duas chapas que mostra que há, no mínimo, 30 votos em disputa.

De acordo com ele, dos 99 sindicatos, que compõe o colégio eleitoral da Federação, 38 estão com nomes somente na chapa da situação, mesmo com o seu candidato em campanha há 7 meses. Outros 31 participam estão apenas na Nova FIEP, “mesmo com a montagem da chapa em apenas 3 dias”, lembrou Barros.

Há ainda 11 sindicatos com industriais nas duas chapas e 19 sindicatos que não indicaram nomes para nenhum dos lados. “No mínimo temos 30 votos em disputa”, reforçou Ricardo Barros.


5 comentários

  1. quarta-feira, 20 de julho de 2011 – 11:22 hs

    Nova FIEP ?
    É brincadeira né?

  2. PICA PAU
    quarta-feira, 20 de julho de 2011 – 13:56 hs

    Tá lá na IDEIAS de julho, palavras do Hauly:
    “…A arrecadação per capita do Rio Grande do Sul é bem maior que a arrecadação do Paraná. Essa situação é algo que nos assusta, nos deixa bastante preocupados. Não porque continuamos atrás dos gauchos, mas porque algo está errado. O que está acontecendo com o meu Paraná, que tem 6% do PIB e 5,4% de arrecadação? É sonegação? É planejamento fiscal? O que é? Incentivos fiscais demais? Mas se o RS também dá incentivo e Santa Catarina também? Algo tá muito errado. E eles só tem 300 mil habitantes a mais que o Pr.

  3. Sindicando
    quarta-feira, 20 de julho de 2011 – 14:26 hs

    Três dias. Os três mais longos dos dias.

  4. Sadi Melchiades
    quarta-feira, 20 de julho de 2011 – 15:01 hs

    “Nova FIEP” ? Pelas fotos da reunião deu para ver ali alguns empresários que não têm nada de novo. São aqueles que falam muito em modernidade mas que são os primeiros a adotar as velhas práticas do mofado empresariado paranaense. Alguns nem seriam mais empresários se não tivessem ao longo do tempo as benesses dos governos. Que mal pergunte: nova em que ?

  5. JDECIO
    quarta-feira, 20 de julho de 2011 – 18:40 hs

    Nova em que? Nova em comando, nova em idéias, nova em propostas, e tem mais, afinada com os governos estadual e federal, precisamos é de competência, dinamismo, arrojo, e isto o Ricardo tem, para que o Novo Paraná aconteça temos que mudar, a hora é agora, senão ó…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*