Governo Federal libera arquivos para caça a torturadores | Fábio Campana

Governo Federal libera arquivos para caça a torturadores

O Ministério da Justiça liberou totalmente o acesso ao Arquivo Nacional para 12 representantes de perseguidos políticos e familiares de mortos e desaparecidos durante o regime militar, que, segundo o governo, procuram identificar torturadores e assassinos da ditadura. Os pesquisadores são ex-ativistas ou parentes de atingidos pelo período autoritário.

O pedido de acesso foi feito há cerca de um mês pela Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, entidade civil, ao ministro. O trabalho começará na próxima semana e não poderá sofrer nenhuma restrição do Estado.

A decisão consta da Portaria 1.668, de 20 de julho de 2011, do ministro José Eduardo Martins Cardozo, publicada no Diário Oficial de quinta-feira (21). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


14 comentários

  1. Ocimar
    sábado, 23 de julho de 2011 – 18:00 hs

    TA,E OS ASSASSINOS DA ESQUERDA QUE HOJE INFESTAM O PODER,VÃO SER PROCESSADOS TAMBÉM?

  2. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 23 de julho de 2011 – 18:06 hs

    Resta saber, quem foi torturado e porque foi torturado.
    Pelo que sei através de meu sábio pai que viveu na época da Ditadura militar e jamais foi torturado ou perceguido, quem realmente apanhava eram anaquistas, COMUNISTAS, assaltgante de bancos e formadores de quadrilha. A UNE, juntamente com os quadrilheiros da VALPALMARES e COLINA, queriam implantar o regime COMUNISTA no Brasil, esta era a razão da perseguição e tortura.

    Analisemos pois, o que é pior., a ditadura militar ou a DITADURA POPULISTA DE LULA e HUGO CHAVES?

    PT, O CÂNCER DO BRASIL.

  3. Vigilante do Portão
    sábado, 23 de julho de 2011 – 18:41 hs

    Por PORTARIA?

  4. M.A.S
    sábado, 23 de julho de 2011 – 21:16 hs

    Como se isso fosse mudar alguma coisa nesse país, encharcado de ladrões e vagabundos.
    Vão ter que dizer primeiro o que essa gente fazia naquela época para merecer o fim que tiveram.
    O que realmente vão fazer é revirar as tumbas.
    Chega de papo furado e tratem de colocar esse país nos eixos e acabar com esse bando de vagabundos e ladrões

  5. OSSOBUCO
    sábado, 23 de julho de 2011 – 21:47 hs

    Olha Caçador, seu sábio pai não lhe disse que nem todos que eram contra a ditadura eram comunistas, que nem todos os que foram presos ou torturados eram anarquistas, a grande maioria era composta por democratas, estudantes, artistas e cidadãos comuns.

    Quem era a favor da ditadura eram os fundamentalistas cristãos, Opus Dei, entreguistas do patrimônio público e militares inescrupulosos.
    Muitos militares que quiseram restaurar a democracia e se recusaram a torturar e praticar atentados também foram presos e rebaixados.

    A ditadura militar foi uma forma de governo autoritário onde só quem tinha vez e voz eram os militares. E todo governo autoritório tende a calar as pessoas que são contrárias a esse regime.

    Os jovens articulavam planos de como tirar o poder, faziam passeatas e encaram os policiais. Os artistas faziam protestos em forma de música e teatro. Os trabalhadores faziam greve e passeatas a fim de obter melhorias salariais.

    Muitos artistas forma exilados . Um deles foi Chico Buarque( que escreveu a música Cálice) e Caetano Veloso( Que escreveu a música Alegria, Alegria). E o inesquecível Geraldo Vandré ( Para não dizer que não falei das flores)

    Roberto Carlos homenageou Caetano Veloso com a música Debaixo dos carocóis dos seus cabelos.

    Muitas pessoas que ameaçam o poder foram exiladas, presas e torturadas.

    O filho da Zuzu Angel, por ter contestado o regime, foi morto de forma cruel: penduraram os braços dele junto a um carro e ele morreu em consequencia do esfolamento da pele.

    Enfim, foi um marco infeliz da nossa história.

  6. OSSOBUCO
    sábado, 23 de julho de 2011 – 21:50 hs

    Quem era terrorista?

    À falta de outros argumentos e propostas, com um mínimo de consistência, os opositores reiteram a imagem de “terrorista” de Dilma.

    Quem era terrorista: a ditadura militar ou os que lutavam contra ela? Dilma estava entre estes, o senador José Agripino (do DEM, ex-PFL, ex-Arena, partido da ditadura militar), entre os outros.

    O golpe militar de 1964, apoiado por toda a imprensa (com exceção da Última Hora, que recebeu todo o peso da repressão da ditadura), rompeu com a democracia, a destruiu em todos os rincões do Brasil, e instaurou um regime de terror – que depois se propagou por todo o cone sul do continente, seguindo seu “exemplo”.

    Diante do fechamento de todo espaço possível de luta democrática, grandes contingentes de jovens passaram à clandestinidade, apelando para o direito de resistência contra as tiranias, direito e obrigação reconhecidos pela Declaração Universal dos Direitos Humanos.

    Enquanto muitos se alinhavam do lado da luta de resistência democrática contra a ditadura, os proprietários das grandes empresas de comunicação – entre eles os Frias, os Marinhos, os Mesquitas -, os políticos que apoiavam a ditadura – agrupados na Arena, depois PFL, agora DEM, como, entre tantos outros, o senador José Agripino –, grandes empresários nacionais e estrangeiros, se situavam do lado da ditadura, do regime de terror, da tortura, dos seqüestros, dos fuzilamentos, das prisões arbitrárias, da liquidação da democracia.

    Quem era terrorista? Os que lutavam contra a ditadura ou os que a apoiavam? Os que davam a vida pela democracia ou os que se enriqueciam à sombra da ditadura e da repressão? Os que apoiavam e financiavam a OBAN ou aqueles que, detidos arbitrariamente, eram vitimas da tortura nas suas dependências, fuzilados, desaparecidos?

    Quem era terrorista? Os militares que destruíram a democracia ou os que a defendiam? Quem usava a picanha elétrica, o pau-de-arara, contra pessoas amarradas, ou quem lutava, na clandestinidade, contra as forças repressivas? Quem era terrorista: Iara Iavelberg ou Sergio Fleury? Quem estava do lado da Iara ou quem estava do lado do Fleury? Dilma ou Agripino? Quem estava na resistência democrática ou quem, por ação ou por omissão, estava do lado da ditadura do terror?

    Mandela era considerado terrorista por ser contra o sistema, a grande maioria dos brasileiros seria considerado terrorista por gente ignara como você.

  7. OSSOBUCO
    sábado, 23 de julho de 2011 – 21:56 hs

    E vivi o final da ditadura e lembro de D. Helder Câmara também amparava quem era contra a ditadura, apesar de sua idade avançada. D. Helder dizia que ” quando dou pão aos pobres, chamam-me de santo, quando pergunto pelas causas da pobreza, me chamam de comunista”.

  8. FDPs
    sábado, 23 de julho de 2011 – 22:15 hs

    Esses comentarios ai acima, mostram como sao os reacionarios os curitibanos que rondam esse blog. Pena que ele ao inves de se transformar em um instrumento de noticias politicas, se transformou num palco dos adoradores da CADEIRA DO DRAGAO. Falam isso pq nao sabem o que é ser TORTURADO, HUMILHADO e MORTO sem que a familia saiba o paradeiro. Sao uns FDps….

  9. Irada
    sábado, 23 de julho de 2011 – 22:54 hs

    E sei nao!!

  10. elvis gimenes
    domingo, 24 de julho de 2011 – 10:19 hs

    Internautas de extrema direita, não há mais lugar no mundo a tese de voces. Os torturadores eram agentes do estado pagos para dar proteção aos cidadãos e não para torturarem e matarem os cidadãos, eta é a diferença entre polciia e bandido num estado denmocrático de direita, a policia, ou seja, o estado, deve proteger o cidadão independente do que ele fez. As leis penais ditam as penas e estas devem ser respeitadas. Os agentes do estado durante a ditadura eram bandidos, pois, apoiados em poderes delegados pelos cidadãos agiram acima do que a lei permitia, assim, a diferença entre os estudantes que voces chamam de terroristas e o agentes d do estado é esta: os estudantes utilizavam seu direito de protestarem contra um governo e este governo utilizava de métodos terroristas para frear estas manifestações legitimas de um povo, daí os estudantes apelaram, daí rpa comunsita a uma grande diferença, pois nomes que voces defendme e votam autalmente como José Serra, Aloisio Ferreira, FHC, e outros foram todos guerrilheiros, não era questão de ideologia, era questão de sobrevivencia.

  11. domingo, 24 de julho de 2011 – 12:42 hs

    Abra os ‘arquivos’ para os familiares dos que foram “assassinados” pela ‘elite’ política de hoje – os corruPTos do PT – estes sim, os verdadeiros traidores e assassinos.
    Queriam derrubar a ditadura para implantar as Delles, o que tentam até hoje.

  12. OSSOBUCO
    domingo, 24 de julho de 2011 – 16:17 hs

    Caro Moisés, vá se informar com historiadores sérios e não na mídia tradicional que apoiou a ditadura.
    Até mesmo quem apoiou o golpe se arrependeu depois quando os militares não quiseram mais entregar a rapadura e deram início ao período mais negro da histporia brasileira.
    Quanto ao resto, deixe de ser teleguiado, não fale do que não viveu ou não sabe, senão seu carma vai ficar ainda mais pesado,

  13. CAÇADOR DE PETISTAS
    domingo, 24 de julho de 2011 – 17:48 hs

    É isso ai Moises, á isso ai.
    Os quadrilheiros e a UNE, queriam derrubar a Ditadura militar para implantar a Ditadura de Chaves, Morales, Fidel e outros COMUNISTAS.

    Pau no PT.

  14. Ocimar
    domingo, 24 de julho de 2011 – 22:05 hs

    OSSOBURRO VAI ESTUDAR DEPOIS VENHA DAR PITACO,OK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*