Gleisi abre o coração em entrevista para a revista Marie Claire | Fábio Campana

Gleisi abre o coração em entrevista para a revista Marie Claire

No blog do Josias

Senadora de primeiro mandato, Gleisi Hoffmann construiu uma fama que a precedeu na Casa Civil da Presidência. Os colegas a apelidaram de “Pit-bull do Senado”. Sob a retórica àspera e os olhares faiscantes escondem-se, porém, glândulas lacrimais cuja atividade contrasta com a reputação de durona.

Em entrevista à repórter Marina Caruso, veiculada pela revista ‘Marie Claire’, Gleisi contou o que se passou na noite da véspera de sua posse no Planalto. Convidada por Dilma Rousseff para substituir Antonio Palocci, trocou ideias com o marido, o também ministro Paulo Bernardo (Comunicações).

“Eu dizia: ‘Paulo, tenho dúvidas. Não me sinto preparada’. Mas ele me pedia para refletir. Naquela noite, eu chorei. Chorei mesmo. Era muita responsabilidade.” Na manhã seguinte, foi ao encontro da presidente decida a recusar o convite. Deixou o gabinete como chefe do ministério mais proeminente do governo.

No Leia Mais, os trechos mais significativos, que revelam a outra face de Gleisi, mulher que chora em privado e cultiva gostos efêmeros:

– As qualidades: Duas características foram essenciais na minha vida: determinação e disciplina. Meus pais me deram isso. Eles sempre foram rígidos na educação e nos impuseram humildade.

– As mulheres no poder: Acho bárbaro quando os homens dizem que nós nos preocupamos muito com os detalhes. Essa é uma avaliação crítica recorrente, inclusive que alguns fazem à própria presidente. Dizem que a gente fica muito preocupada com detalhe e que temos de pensar no macro. Só que o diabo mora nos detalhes.

– A Casa Civil sem política: Nenhuma concentração é boa. Desde o governo do presidente Lula, havia a Secretaria de Relações Institucionais, responsável pela articulação política. A Casa Civil é articuladora e facilitadora das ações de governo. Trabalhar em equipe é sempre mais seguro e eficaz. Não me atrai a atitude heroica.

– O convite: Quando a presidenta me convidou para ser ministra-chefe da Casa Civil, eu gelei. Foi um susto. Tive dúvidas se deveria aceitar. Pensei: “Meu Deus, é muita responsabilidade”. Ela me chamou um dia antes da posse, e eu fiquei muito preocupada. […] Falei para o Paulo [Bernardo]: “Acho que não devo aceitar. Não me sinto em condições”. E ele disse: “Reflita bem”. Naquela noite, eu chorei. Chorei mesmo.

– A conversa com Dilma: Sentei na frente dela decidida a falar que eu achava melhor não assumir, porque não me sentia preparada para desafios tão grandes. Mas ela foi falando, falando, falando e no final eu disse: “Tá bem, presidenta” (faz voz de menina e solta uma gargalhada). Pensei: “Se Deus me pôs aqui é porque eu devo poder fazer algo diferente para ajudar o Brasil. Não é fortuito”.

– A reação do marido: Para ele, foi um susto também. Não acredito que o tenha afetado. Mas ele tem reclamado que eu trabalho demais. Saio de casa antes dele e chego depois. Mas ele vai ter de ter paciência e cuidar um pouco mais das crianças. Ele sempre foi a pessoa pública, e agora sou eu que estou mais em evidência. No dia da minha posse, o telefone de casa tocou às 6 horas da manhã. Ele atendeu, ainda sonolento. Era uma jornalista de uma rádio perguntando: “Alô, é o assessor da Gleisi?”. Ele costuma ser mal-humorado de manhã, mas foi espirituoso: “Claro que não. É o marido dela. O assessor de imprensa não dorme aqui em casa!”.

– Os apelidos – “Pit-bull do Senado” e “Barbie da Dilma”: Nunca mordi ninguém. Defendia o governo porque acredito nele. E se me chamam de Barbie é porque me acham bonitinha e vazia como uma boneca, não ligo. Não me acho bonita e cuido de minha aparência como a maioria das mulheres. Ser como a Barbie, embora longe da realidade, me envaidece.

– A compulsão pelo choro: Já chorei muito na vida. Já cheguei em casa, me tranquei no quarto e chorei, chorei, chorei. Os apelidos não me afetam muito. Mas, quando um projeto não dá certo, falha, eu me frustro muito. Sou muito perfeccionista e não gosto das críticas que não são construtivas.

– As plásticas: Sou cuidadosa como toda mulher. Fiz uma plástica nos seios, depois de amamentar, e apliquei Botox no rosto, para atenuar as rugas. Se eu pudesse, pediria ao tempo para andar mais devagar.

– O sonho de consumo: Adoro bolsa e sapato. Eu olho na vitrine e me dá vontade de levar. Adoraria ter uma bolsa Louis Vuitton. Não é nem pela marca, pelo estilo mesmo. Acho tão bacana, gosto do design. Uma vez pensei em comprar uma no Paraguai, mas achei melhor não [risos].

– O gosto musical: Chico Buarque, que adoro, e grupo ABBA. Por conta disso já assisti a Mamma mia umas seis vezes.

– O DNA politico: Entrei [na política] quando fazia movimento estudantil, com 19, 20 anos. Meu primeiro partido foi o PCdoB. Conheci o PT depois, em 1989, e nunca mais o deixei. Trago o compromisso de dedicar-me àquilo que efetivamente melhora a vida das pessoas e busca justiça social. Deixei para trás a visão romântica de esquerda.


15 comentários

  1. Paula
    sábado, 30 de julho de 2011 – 12:29 hs

    O apelido de “Barbie da Dilma” é o único que eu conhecia. O problema do PT é que todos “deixaram para trás a visão romântica de esquerda.” e se jogaram no lado podre da social democracia, aquele lado que não investe os recursos que arrecada no que devia e para quem deveria. tsc tsc tsc

  2. Vigilante do Portão
    sábado, 30 de julho de 2011 – 12:34 hs

    Claro que chorou.

    Sabia que havia sido eleita com uma MENTIRA.

    A tal da “aposentadoria” das donas de casa.

    Cadê o projeto?
    Aposentar pessoas, SEM TEREM PAGO, é uma afronta aos que passaram anos e anos PAGANDO.

    Aliás,

    Da. Gleisi foi eleita, com milhões de votos, para ser SENADORA por 8 (oito) anos.

    Em poucos meses, abandonou a missão e foi ser minitsra.

    Lembram, quantas vezes ela criticou o Beto Richa, pois havia sido eleito prefeito e “abandonou” o cargo para ser GOVERNADOR…?

  3. Alessandro
    sábado, 30 de julho de 2011 – 13:01 hs

    Agora, quando aparece Teresinha Nerone na jogada, o choro é nosso?

  4. Marcos
    sábado, 30 de julho de 2011 – 13:07 hs

    Será que ela chora quando recebe dinheiro da Sanchez Tripoloni?
    Teresinha, uhuhuh!!!

  5. sábado, 30 de julho de 2011 – 13:33 hs

    Agora conta a do papagaio, Gleisi… kkkkkkkkkkkkkk

  6. mauricio
    sábado, 30 de julho de 2011 – 14:34 hs

    Quem devia chorar somos nos.

  7. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 30 de julho de 2011 – 15:37 hs

    E COMUNISTA tem coração?

    Nunca antes do Brasil houve tanta corrupção sem punição e, dentro do partido desta Senhora acima.
    Enquanto no Brasil, 80% ficarem inertes as roubalheiras do PT, este pais não vai a lugar algum senão.

    Não acredito nesta mulher.

  8. ALBERTO
    sábado, 30 de julho de 2011 – 16:21 hs

    Ra Ra Ra cadeia para comunista coração de papelão
    o lugar de Gleisi e Bernardão é C A D E I A

  9. Maria luisa
    sábado, 30 de julho de 2011 – 17:27 hs

    Nossa o ciume e algo que prejudica a vida das pessoas. Vocês ai não consegue ver o lado bom da vida das pessoas, só sabem fazer criticas, e não são capazes de fazer uma boa avaliação da politica brasileira, dos 500 anos da vida do Brasil e como foi comandado por todo este tempo o nosso pais. Eu fico lendo isso que vocês escrevem, nos blogs e me pergunto este povo não conhece a historia do Brasil.

  10. A Bela
    sábado, 30 de julho de 2011 – 19:38 hs

    Gleisi pode ate ter ganho poder, mas perdeu a dignidade que a levou ser uma defensora da democracia, da luta pelo bom e pelo justo de quando foi lider estudantil. Daquela Gleisi nem pó resta mais…Infelizmente o Brasil está carente de estadistas

  11. João Gabriel
    sábado, 30 de julho de 2011 – 20:06 hs

    Gleisi NÃO é nem nunca foi preparada para esse cargo, quem deveria ter ganho era RICARDO BARROS esse sim tem capacidade.

  12. ETACT
    sábado, 30 de julho de 2011 – 21:16 hs

    Gleisi Como tem gente maldoso neste Paraná vc representa nosso Estado tenho muito orgulho de ser Paranaense e quando os nossos conterâneos são chamados para ocupar cargos importantes neste nosso Brasil, só criticam as pessoas que são de mal com a vida, que tem ciúme, pessoas pessimistas, não gostam que o Paraná apareça, parem de falar besteiras todos devemos ter orgulho quando qualquer Paranaense assumir algo importante, ajudem a divulgar as coisas boas do nosso Estado e não Criticando qualquer um que seja: Aos pessimitas vamos Ignorar Vamos torcer pelo Brasil e pelo Nosso Paraná.

  13. ivanowski
    sábado, 30 de julho de 2011 – 21:17 hs

    . Tem razão a GLESI. Ñ tá preparada pra ocupar esse Cargo.
    . O Cargo já foi ocupado por gente sem preparo, a ex. dde : Dilma, Erenice e por último Palocci. (Palocci preparado pra outras “coisas”).

    . Por isso, esse Ministério é o + “proeminente” da República, segundo o colunista Josias. Tanto é que foi ocupado, últimamente, por figuras ‘PROEMINENTES’.

    . Que piada, tudo isso …melhor ñ levar a sério, senão agente CHORA, a exemplo da GLESI. rsrsrs

  14. Vigilante do Portão
    domingo, 31 de julho de 2011 – 11:22 hs

    Ela é boa nisso,

    Entrevista em revista de abobrinhas.

    Quero saber do Ramal do Trem Bala, aquele que viria até Curitiba;

    Quero saber do túnel, em mão dupla, para tirar os trilhos do Cristo Rei;

    Quero saber da APOSENTADORIA das donas de cas, SEM PAGAR INSS.

    Todas, foram promessas da Gleisi.

  15. Canelas
    segunda-feira, 1 de agosto de 2011 – 12:37 hs

    Será que eu acredito nessa sra.? Alguém com lucidez acha que ela´não tem uma bolsa Louis Vuitton comprada em Paris?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*