Flagra do Capetta na Marcha das Vadias | Fábio Campana

Flagra do Capetta na Marcha das Vadias

O fotógrafo Osvaldo Capetta fez essa foto na Marcha das Vadias, na rua XV, em Curitiba.


28 comentários

  1. M.A.S
    domingo, 17 de julho de 2011 – 1:25 hs

    O que falta mesmo é coragem para se expor dessa forma.
    Mulher que se preze não se expõe á ridículo como isso aí.
    Pra quem não term o que fazer, ou aliás, para quem tem o que fazer é um prato cheio.
    Me desculpe as mulheres, mas isso é uma demonstração de leviandade, que jamais deveria ser permitido.
    Se até marcha da maconha eles queriam fazer, para liberar esse câncer que destroe as famílias.
    ]Brincadeira

  2. RICARDO
    domingo, 17 de julho de 2011 – 10:36 hs

    QUEM QUER RESPEITO SE DÁ AO RESPEITO…

  3. Cezarneski
    domingo, 17 de julho de 2011 – 12:06 hs

    Caramba a marcha estava boa – perdi!

  4. S Y N F R O N I O.
    domingo, 17 de julho de 2011 – 12:07 hs

    Olha Fabio, por isso que eu admiro as meninas da Madame MIRLEY, ELAS
    sao carinhosas, dignas, estao ai para nos proporcionar o AMOR, e nao se
    expoem ao ridiculo, como essas verdadeira VA D I A S.

  5. Pedro Malazartes
    domingo, 17 de julho de 2011 – 12:19 hs

    Na casa da Otília, as “meninas” eram mais comportadas.

  6. Dizao
    domingo, 17 de julho de 2011 – 12:24 hs

    Sabe que gostei dessa marha

  7. Ludmila Nascarella
    domingo, 17 de julho de 2011 – 13:58 hs

    “As mulheres de respeito não ficam em casa, vão pra rua fazer valer seus direitos.”
    Stéphany Mattanó

  8. Julio
    domingo, 17 de julho de 2011 – 14:21 hs

    Esses comentários são puro despeito..

  9. Talitha B.
    domingo, 17 de julho de 2011 – 14:38 hs

    Inacreditável o ridículo machismo dos comentários.

  10. patricia
    domingo, 17 de julho de 2011 – 14:47 hs

    Vcs não entenderam nada! Procurem se informar, porque essa foto fez o papel dela : chamar a atenção.

  11. domingo, 17 de julho de 2011 – 15:49 hs

    A quem comentou antes…
    Desde quando mostrar o peito é feio, desrespeit, vcs não mamaram, não???

  12. Kaley
    domingo, 17 de julho de 2011 – 16:22 hs

    1)Vcs acham que faltou coragem para essas pessoas que foram pra rua revindicar as questões da violência doméstica, sexual e saúde feminina?
    2)”Se dar ao respeito” como disse um ali, é deixar que um homem espanque uma mulher, deixar que crianças sofram estupro, ou talvez reclamar do sofá? É isso?
    3)Posso até parecer um pouco com sua mãe, mas sinto muito amigos, não sou prostituta. Tenho 26 anos e sou arte-educadora, produtora cultural, pós-graduada em psicologia.
    4)Se eu fosse vcs, disfarçaria minha ignorância, lendo o manifesto da Marcha das Vadias pra vcs não passarem por este papel triste de alienados machistas.
    5)O que vc está fazendo para trasnformar a realidade do país? Vc quer um mundo melhor pros seus filhos, ou vc acha que uns estupros e espancamentos não fazem tão mal assim: A CADA 24 SEGUNDOS UMA MULHER NO BRASIL É ESPANCADA.
    6)Fiz, faço e farei tudo para que esta luta contra violência não acabe com a marcha, vcs ouvirão falar muito desta organização de mulheres, fortes, independentes, decididas e atuantes na sociedade para mudanças EFETIVAS.
    BOM DOMINGO À TODOS! :)

  13. Kaley
    domingo, 17 de julho de 2011 – 16:23 hs

    Espero que meu comentário seja publicado, seria muito covarde publicarem este comentários alienados, ignorantes, machistas e ofensivos, mas não o meu.

  14. Renata Luciana
    domingo, 17 de julho de 2011 – 17:10 hs

    Quando o dedo aponta o céu, o idiota olha o dedo!

    É exatamente isso que idiotas como vcs estão fazendo, olhando os peitos e não a causa! É obvio que vcs preferem que as suas “donas” fiquem em casa de boca calada e peito escondido, subjulgadas, enquantos os senhores saem por ai subjulgando outras mulheres, as meninas da Otilia, por exemplo.

    Vocês, machistas, não merecem o respeito porque não sabem dar. O corpo da mulher é dela e ela faz o que bem entender.

    Engraçado que todos os peitos e bundas expostos nas bancas de revistas da cidade nenhum de vcs falam nada, compram e se masturbam escondidos.

    Podres: é isso que vcs são.

    Quero ver, Fabio Campana, vc ter coragem de divulgar nossos comentários! Chupa essa manga!

  15. romulo barroso miranda
    domingo, 17 de julho de 2011 – 18:10 hs

    Ser humano que se preze, em pleno século XXI, respeita a natureza e a vida, faz alguma coisa pra salvar o planeta e RESPEITA A DIVERSIDADE. Machistas medievais, o mundo não é mais de vocês………… Viva as vadias, as assumidas, as pessoas que fazem algo pra mudar.

  16. Sarah
    domingo, 17 de julho de 2011 – 20:30 hs

    Tá aí nos comentários o porque temos que fazer mais e mais manifestações como essa. Pra esse tipo de babaca machista acabar com essa história de ´mulher tem que se preservar´.

    Se preservar, de que? de quem? Só se for do machismo de vocês, que nos querem objetos, mostrando só o que e quando vcs autorizarem. No BBB pode, na playboy pode. Porque lá é porque voces querem, pq vcs escolhem.

    Homem pode sair sem camisa, homem pode até tirar o pau pra fora na rua. Mulher tem que se preservar.

    Se não vem outro babaca achando que se mostrou os peitos, mostrou as pernas, quer dar pra qualquer um.

    E quem as marchas aconteçam todo dia.

  17. krika
    domingo, 17 de julho de 2011 – 20:51 hs

    Pra mim tanto faz com fez…Elas que façam a marcha delas,tem seus direitos,o espaço planeta Terra é de todos.Vou seguindo minha vida e me preocupando com o que de fato me importa.

  18. ricardo crovador
    domingo, 17 de julho de 2011 – 21:05 hs

    Rapaziada complexada, sigam o conselho do velho Chico Buarque: “por trás de um homem triste / há sempre uma mulher feliz/ e atrás dessa mulher / mil homens sempre tão gentis / por isso para o seu bem / ou tire ela da cabeça / ou mereça a moça que você tem”….

  19. Cidinha
    domingo, 17 de julho de 2011 – 21:51 hs

    kkkkk…. e elas querem respeito….
    Primeiro tem q se respeitar pra pedir respeito…

  20. leitor
    domingo, 17 de julho de 2011 – 22:15 hs

    pelo nível da reação se vê o tamanho do preconceito. aposto que os indignados acima não aguentam uma mulher dessas em casa. em qualquer acepção do termo.

  21. Luiz Bertazzo
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 1:24 hs

    Sério mesmo? Peitos causando esse tipo de polêmica? Peito à mostra é falta de respeito? Os meus ficaram à mostra a marcha inteira… Curitibanos liberai os seus suvacos.

  22. Ludmila Nascarella
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 9:54 hs

    Fabio campana,
    Apesar de meu texto não ter sido postado,
    Estou muito orgulhosa, da sua posição de liberar o direito de resposta!
    Respeitosamente meu muito obrigada,
    Se possível liberar o texto da Anaterra Viana,
    Jornalista e tbém uma das organizadoras da marcha.
    Bom começo de semana,
    Ludmila

  23. Pingo no I
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 10:42 hs

    Sem sombra de dúvidas, a razão, ou razões pelas quais as mulheres da marcha se expõe desta maneira é mais que legítima Kaley, acho que isso, nem o mais machista consegue negar!
    Agora, a forma como se faz este protesto é sim questionável! Ser contra a forma da manifestação não quer dizer que a pessoa é a favor aos temas que você elencou (estupro, violência domésticas, etc).
    Da mesma forma que as mulheres podem manifestar contra aquilo que entenderem errado, é direito das pessoas não concordar com a forma de que este protesto se externa.
    Não discuto sequer se é certo ou errado mostrar os seios, ou sei lá mais o que fizeram na tal marcha, fato é que certo ou errado, a reivindicação poderia ser feita de outra forma, para não agredir aquelas pessoas mais conservadoras que não concordam com isso, afinal, o direito de um vai até onde começa o de outro.
    Por favor não digam que sou machista, só estou expondo o que penso.

  24. Aroldo Felberg
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 12:41 hs

    A marcha das vadias parece sugerir que o que era não é mais. De qualquer modo a pessoa que se diz “arte-educadora, produtora cultural, pós-graduada em psicologia” deveria ter conteúdo a transmitir, um evento culturarl(não curtura) a apresentar e ter capacidade para ajudar pessoas com dificuldades psicológicas e não ser ela mesma uma perturbada. …Cenas dos próximos capítulos?

  25. Eu Docia
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 14:35 hs

    É pela arte que saem as verdades.
    Curitiba sai, finalmente, do armário, ponto!

  26. Mariana Santos.
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 17:23 hs

    Pingo no I,

    Me desculpe, mas é machista SIM condenar a manifestação por “agredir” as pessoas mais conservadoras, posto que tal conservadorismo é que é o responsável pela violência e desrespeito contra a mulher.
    Não fosse o conservadorismo que você tanto defende e a mulher não seria vista como mero pedaço de carne.
    Não fosse o conservadorismo que você tanto defende e a mulher não seria tratada como objeto do homem, sujeita portanto à violência física e moral.
    Não fosse o conservadorismo que você tanto defende e a mulher poderia sair à rua com a roupa que bem entendesse, sem se preocupar se o comprimento da sua saia ou o tamanho do seu decote signifiquem (em algum dialeto primitivo) “OI, ME COMA À FORÇA”.
    É o conservadorismo religioso, político, moral que faz com que essas estruturas da sociedade sejam mantidas, que os privilégios masculinos sejam perpetrados, que a mulher continue “em seu devido lugar”.

  27. Ricardo
    segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 17:45 hs

    Resposta a Pingo no I:

    Os conservadores não tem o direito sobre o corpo do outro, então não faz sentido isso aqui:

    “Não discuto sequer se é certo ou errado mostrar os seios, ou sei lá mais o que fizeram na tal marcha, fato é que certo ou errado, a reivindicação poderia ser feita de outra forma, para não agredir aquelas pessoas mais conservadoras que não concordam com isso, afinal, o direito de um vai até onde começa o de outro.”

    Se não incomodamos, não estamos fazendo certo o que nos propomos a fazer. Os conservadores não foram agredidos, foram apenas incomodados, questionados. Os direitos deles não foram desrespeitados.

    Como é uma marcha sem incomodar? Ela é inexpressiva, nula.

    Como fazer uma marcha que agrade aos conservadores, aos que “não concordam com isso”? Fácil, não faça marcha.

    Portanto, não é fato que ela poderia ser feita de outra forma.

    E no final das contas é isto que acaba sendo o conteúdo da sua postagem: “não façam marcha”. És um sério candidato a machista.

  28. Lúcio
    terça-feira, 16 de julho de 2013 – 1:42 hs

    Lendo os comentários, me pergunto, querem as mulheres igualdade?! Ou querem as mulheres uma imposição perante os sexo oposto. O mundo caminha sempre a passos lentos, pouco a pouco a sociedade vai se moldando e aprimorando. É extremamente visível as mudanças que ocorreram em relação aos sexos ao decorrer da história. Sou completamente a favor da luta pelos direitos de igualdade, mas super exposição é algo desnecessário. Obvio que isso chamara uma atenção porém acaba por se desviar da causa, adianta mesmo mostrar os seios ou a bunda ou o pênis ou o que for!? Vai chamar
    Atenção não é, mas para onde!? Pare causa!? É algo a se refletir. Prefiro juntar 2, 10, 100, 1000, 10000 pessoas e lutar pelos meus direitos e pelos direitos de igualdade sejam no quesito sexos, etnia e etc, com causas bem pautadas de forma civilizada e sem super exposição que possa causas um desconforto desnecessário do que com super exposição de “membros” que a sociedade pudoriza. ;)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*