Corte de NY liberta Strauss-Kahn após reviravolta no caso | Fábio Campana

Corte de NY liberta Strauss-Kahn após reviravolta no caso

O Tribunal Penal de Nova York libertou nesta sexta-feira (1) o ex-diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional) Dominique Strauss-Kahn, que estava há um mês e meio em prisão domiciliar em um caso de crimes sexuais contra uma camareira de um hotel na cidade.

O canal de TV americano CNN diz ainda que há algumas condições para a libertação do francês, que continua sem o passaporte e deve voltar para novas audiências. As acusações não foram derrubadas e ele continua sendo processado.

A TV mostrou imagens de Strauss-Kahn deixando a corte, sorrindo, ao lado da mulher.

O caso de Strausss-Kahn sofreu uma reviravolta na noite de quinta-feira quando o jornal “The New York Times” revelou, com fontes ligadas ao caso, que havia fortes suspeitas sobre a credibilidade da vítima.

Estas suspeitas teriam sido apresentadas na audiência desta sexta-feira, o que teria resultado na libertação do francês.
Mary Altaffer/Associated Press
Dominique Strauss-Kahn chega a tribunal de NY para nova audiência em caso de crimes sexuais
Strauss-Kahn chega a tribunal de NY para audiência na qual foi libertado

Strauss-Kahn, 62, foi preso em 14 maio sob suspeita de abuso sexual, tentativa de estupro, ato sexual criminoso, aprisionamento ilegal e toque violento contra uma camareira de 32 anos do luxuoso Hotel Sofitel, em Nova York. Ele nega as acusações.

O escândalo o levou a renunciar ao cargo no FMI e acabou com suas chances de concorrer à Presidência francesa em 2012, à qual era um dos favoritos.

Na noite de quinta-feira, contudo, o “NYT” afirmou, com base em fontes anônimas, que a suposta vítima mentiu sobre o incidente repetidas vezes.

Os advogados de defesa apuraram que a camareira recebeu depósitos que somaram US$ 100 mil nos últimos dois anos –em suposta evidência de que ela teria sido paga para inventar a acusação.

Os promotores teriam ainda conversas gravadas da camareira com indivíduos sobre o pagamento pela acusação de agressão sexual, destaca o jornal.

A polícia descobriu ainda supostos vínculos da vítima, uma guineana de 32 anos, com atividade criminosa, incluindo lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. A mulher também teria mentido para obter seu visto de permanência nos Estados Unidos.

Segundo o “New York Times”, as novas evidências poderiam resultar na libertação de Strauss-Kahn.

“É um desastre, um desastre para ambas as partes”, disse um funcionário ao jornal.


11 comentários

  1. Sergio silvestre
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 15:13 hs

    Esse sr foi vitima do anão sarkozi.

  2. Anônimo
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 15:32 hs

    Eis uma prova da inveja do sucesso, da riqueza e dos bons-de-cama. Um homem rico, bem sucedido, casado com uma mulher ainda cem vezes mais rica que ele, sedutor, etc: tudo que desperta a inveja, a vilania, a cobiça e os mais recônditos ressentimentos de terceiros, quartos e quintos. O papel da imprensa no caso foi vexaminoso e nojento. Agora o mundo vai ter engolir, já que a camareira não quis engolir. Sujou a gola.

  3. Dreyfuss
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 15:46 hs

    Qualquer pessoa de bom senso e inteligência mediana questionaria um fato como esse. Um homem que ocupou as mais altas magistraturas na França , ocupava a chefia do FMI e era tido como um forte candidato à presidência de seu país não iria se sujeitar a assediar ou mesmo violentar a camareira de hotel. Antes que os politicamente corretos e intelectuais da classe média gritem, não há qualquer menosprezo à camareira, mas de óbvia constatação.

  4. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 15:54 hs

    Os comentaristas afoitos levaram um contragolpe.

    E eu continuo acreditando na inocência do goleiro Bruno, do Flamengo.

  5. vigilantes do peso
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 17:21 hs

    que situação, detonou a vida e a estrutura da familiar do Dominique.. que tera que ser reparados concerteza…

  6. tony
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 17:28 hs

    É isto aí cara, tem que dar risada mesmo. Agora quero ver a cara dos que puseram o cara na cadeia, não devem estar dando risadas. A coisa vai feder, e muita gente vai ter um péssimo final de semana. Mas a vida é assim mesmo, a desgraça de uns, é a felicidade de outros. tony

  7. ATA DA ILHA
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 18:25 hs

    E NOSSA IMPRENSA LIVRE E NOSSA JUSTICA LEIA-SE MP,
    SEGUEM A PASSOS LARGOS AOS AMERICANOS.
    LEMBRAM DO JUIZ QUE FOI ACUSADO DE ENVIAR CRIANÇAS PARA A ITALIA ATRAVES DE ADOÇÃO ILEGAL??
    TÁ MILIONARIO COM AÇOES DE DANOS MORAIS,COM A PALAVRA O SBT,GLOBO ETC.
    HOJE É PROFESSOR NA USP POR HOBBY.
    COMO DIZ O ANONIMO ACIMA; SUJOU A GOLA!
    (ATADAILHA DIRETO AO ASSUNTO)

  8. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 19:57 hs

    Podem conferir,

    Logo que a história foi divulgada,
    CANTEI a PEDRA.

    Nesse mesmo BLOG,

    Fiz um comentário, dizendo que achava muito estranha a versão da camareira.

    Não estava sozinho na dúvida.
    Outros tantos, em outros meios, tinham a mesma opinião.

    Tive um professor de Direito que dizia:

    DUVIDE, quando tudo estiver MUITO CERTINHO….

  9. Dizao
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 20:09 hs

    Da santo , esse cara nao tem nada. Cantou a camareira, mas so que essa tbém era malka, tirou proveito da situação, mas que houve a intençao de houve, independente da condição da vítima.

  10. Dizao
    sexta-feira, 1 de julho de 2011 – 20:09 hs

    errata

    Da santo , esse cara nao tem nada. Cantou a camareira, mas so que essa tbém era malaka, tirou proveito da situação, mas que houve a intençao de houve, independente da condição da vítima.

  11. Jango
    sábado, 2 de julho de 2011 – 10:00 hs

    A grande questão da incriminação de Strauss-Kahn é essa: cui prodest ? (a quem aproveita ?)

    Sêneca utilizou essa expressão em “Medea”: “cui prodest scelus, is fecit”, ou seja, aquele a quem aproveita o crime é quem o cometeu.

    Cherchez donc le criminal !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*