Aposentadorias de servidores da Assembleia contêm irregularidades | Fábio Campana

Aposentadorias de servidores da Assembleia contêm irregularidades

Esse é o resultado de um levantamento divulgado pelo presidente da Casa, Valdir Rossoni (PSDB), e pelo 1º secretário, Plauto Miró (DEM), na manhã desta terça-feira (19)

Fernanda Leitóles e Karlos Kohlbach da Gazeta do Povo

Aproximadamente 90% das 302 aposentadorias de servidores da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) contêm alguma irregularidade. Esse é o resultado de um levantamento divulgado pelo presidente da Casa, Valdir Rossoni (PSDB), e pelo 1º secretário, Plauto Miró (DEM), na manhã desta terça-feira (19).

Na maior parte das aposentadorias irregulares, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) não foi consultado para a concessão dos benefícios – conforme prevê a Constituição.


As aposentadorias de Abib Miguel (Bibinho), ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná, e de Severo Sotto Maior, diretor legislativo da Casa, estão entre as irregularidades.

Bibinho foi um dos acusados pelo Ministério Público do Paraná de participar de um esquema de contratação de funcionários fantasmas e lavagem de dinheiro na Assembleia e foram denunciados pelos crimes de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Essas irregularidades foram denunciadas pelo jornal Gazeta do Povo e pela RPCTV na série Diários Secretos.


Outras irregularidades

Segundo a assessoria de imprensa da Alep, houve casos de servidores que ingressaram no cargo de segurança e se aposentaram no cargo de procurador – o qual tem o salário mais alto da Casa de Leis.

Entre outras situações, pessoas se aposentaram como procuradores sem ter registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Análise das denúncias

A documentação sobre as irregularidades constatadas na Alep será entregue ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE), às 15 horas, e à Paranaprevidência, no fim desta tarde.

Caberá a esses dois órgãos analisar as denúncias e determinar ou não a correção ou suspensão das aposentadorias.

O montante gasto pela Alep com as aposentadorias é de R$ 3 milhões e 447 mil por mês. A estimativa inicial de Rossoni é de que – se forem feitas correções nos valores dos benefícios – a economia poderá ser de até R$ 1,7 milhão mensais.


7 comentários

  1. Marco
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 14:18 hs

    Queremos a lista, cade ROSSONI??????????????

  2. cristina
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 14:43 hs

    Nomes, por favor nomes.

  3. Tchê
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 15:52 hs

    Cade os nomes ??? são servidores público tudo tem que ser transparente e público.

  4. S Y N F R O N I O.
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 16:39 hs

    Maisa final, existe alguma coisa na ALEP, SEM IRREGULARIDADE;

  5. lvan
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 17:11 hs

    . VALDIRZÃO, POR FAVOR, NOMES. Ñ Fuja da raia. NOMES….

  6. Divanir
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 18:50 hs

    Se for verídico esta informação, devolução do valores pagos indevidamente e proceso e cadeia nos que fizeram as maracutaias e também em quem se beneficiou-se.

  7. Cicero Oliveira
    terça-feira, 19 de julho de 2011 – 23:22 hs

    Tudo na AL do Paraná é irregular, inclusive os deputados.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*