Jaime Lerner e a Batalha do Paraguassu | Fábio Campana

Jaime Lerner e a Batalha do Paraguassu

Jaime Lerner para a Revista Ideias de julho

Depois de excomungar o petit pavé em Curitiba, começaram a atacar os bares com mesas na calçada, características do encontro e da camaradagem do povo brasileiro. Ainda mais nos curitibanos, com tantas consoantes nos sobrenomes, que precisam mais diálogos, mais conversa para melhor se entenderem.

Já não vejo mais as calçadas com os desenhos de Poty, nem as nossas árvores protegidas pelas grades dos “Pont à Mousson”. Daqui a pouco só vão permitir restaurantes e cinemas em shopping centers; talvez até entendam que passarinho é economicamente inviável.

Quem será o assessor de sacanagem que assopra à burocracia afoita essa ação belicosa. Talvez o mesmo que ajudou a fechar a Pedreira Paulo Leminski e o Beto Batata.

Conheço o Prefeito e sei que não é coisa dele. É homem sensível.

A única explicação é algum representante de uma minoria ressentida e mal-humorada. Tem homenzinho solene no pedaço querendo exercer autoridade, para acabar com a alegria, a convivência e a tolerância. Nessa hora é que afloram as legislações absurdas, ou a má-interpretação dos bem intencionados.

Foi-se o tempo em que a Prefeitura é que colocava as mesas na calçada para estimular os bares e restaurantes a promoverem o encontro.

Em nome do curitibano cordial, deixem o bar Paraguassu em paz.


21 comentários

  1. PARANA NETO
    domingo, 3 de julho de 2011 – 14:19 hs

    ….O BARULHO E O DESRESPEITO ÁS FAMÍLIAS PREDOMINNA NOS DOIS CASOS…..FORNECER ÁLVARA PARA O BETO BATATA FAZER O QUE FAZ…É VERGONHOSO….LITERALMENTE VERGONHOSO PARA UMA PREFEITURA QUE SE DIZ PREOCUPADA COM NORMAS DE RESPEITO A CIDADANIA…..QUANTO A PEDREIRA ELA É FAN-TÁSTICA PARA OS TRAFICANTES DELIVERY….ALÉM DE TODA
    A DESTRUIÇÃO DE CALÇADAS E O RUÍDO ENSIDERCEDOR !!!!
    ESTA COLUNA E SEU COLUNISTA TEIMA EM DEFENDER O
    QUE NÃO DEVE…..!!!!!!!…..MELHOR GUARDAR O SILÊNCIO!!!!
    PARANA NETO.

  2. Aranha
    domingo, 3 de julho de 2011 – 14:31 hs

    Típico da turma do PSDB, atira a pedra e esconde a mão!

  3. Agostinho Creplive
    domingo, 3 de julho de 2011 – 14:33 hs

    Jayme Lerner mostra mais uma vez sua visão de grande urbanista une a arquitetura com o ser humano, por favor defenda essa tese existem outro locais lindos em Ctba que estão com a mesma luta, conheço os proprietários do Paraguassu e sei a luta diária para deixar aquele local que no passado serviu p drogados hj um dos locais mais charmosos de Ctba Parabens gr abraço

  4. Fabio Forselini
    domingo, 3 de julho de 2011 – 16:56 hs

    Aa osbservacoes de Jaime Lerner são pertinentes, pois denotam uma tendência geral de nossas autoridades mudarem a todo momento os feitos dos administradores passados… para mim mais gastos publicos…
    Em Pato Branco estão retirando da praca central todo o peti pavé que dava um ar diferente, bucólico, cultural e bonito para a nossa cidade…também não querem mais permitir mesas em frente aos bares na cidade… de fato, infelizmente, ainda a falta de cultura e inteligência continua escancarada em nosso país.

    Fabio Forselini
    Advogado em Pato Branco

  5. domingo, 3 de julho de 2011 – 17:36 hs

    DEIXEM CURITIBA EM PAZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Cida
    domingo, 3 de julho de 2011 – 17:59 hs

    Jaime Lerner,
    Desculpe-me se não estou entendendo o que quis dizer sobre ” excomungar o petit pavé”, mas se a reclamação for pq é muito escorregadio em dias de chuva, acredite: estão certos. É bonito e etc, é verdade. Mas prefiro caminhar com segurança.

  7. Marcelo Araújo
    domingo, 3 de julho de 2011 – 19:01 hs

    O Jaime Lerner já pode se candidatar ao posto de Itamar Franco das araucárias.

  8. João Luiz Zucoloto
    domingo, 3 de julho de 2011 – 20:12 hs

    Estou de acordo com o Sr. Jaime Lerner, é um absurdo o que esta acontecendo em Curitiba, algumas pessoas estão querendo acabar mesmo com os melhores lugares para se frequentar em Curitiba.

  9. Eustaquio
    domingo, 3 de julho de 2011 – 20:42 hs

    e ainda que nada foi dito sobre os binarios !!!

    curitiba vem agonizando dentro de uma bolha insufilmada, parada num semaforo qualquer, num congestionamento qualquer…

  10. Luciano
    domingo, 3 de julho de 2011 – 21:50 hs

    Parana Neto…. você está precisando de férias… não nos contamine com seu “mau” humor…

  11. pedivela
    domingo, 3 de julho de 2011 – 22:53 hs

    Deixem a Cultura de Boteco de Curitiba em Paz…..daqui a pouco vão proibir as reuniões na Boca Maldita!!!

  12. Chico 1
    segunda-feira, 4 de julho de 2011 – 9:33 hs

    a cada dia que passa as péssoas desta cidade tem menos espaços como o citado, td em nome do urbanismo e código de postura. São as pessoas servindo ” a lei” e não a lei servinvdo as pessoas.
    Qualquer cidade sabe que deve haver cada vez mais espaços nas calçadas não apenas para o pedestre andar, mas para haver maior socialização e convivência social. É, deste jeito, como vamos fazer na COPA 2014?

  13. PARNANGURA
    segunda-feira, 4 de julho de 2011 – 9:59 hs

    Deixem CWB em paz ….os revoltados que se mudem , mesa na calcada sol de inverno …esta e CWB que queremos …..nao esta que os loucos estão tentando fazer …….

  14. ANDRÉ
    segunda-feira, 4 de julho de 2011 – 20:47 hs

    Muito triste é que ninguém da Prefeitura faz nada, deixa as coisas serem tomadas pela BURROCRACIA, lamentavelmente nossa cidade perde.

  15. MARCOS MICHIELIN
    terça-feira, 5 de julho de 2011 – 9:09 hs

    Muito engraçado ….Curitibano vai p/ França , acha chamoso os Cafés e Restaurantes de RUA , vai p/ Argentina procura os Cafés e Restaurantes com áreas abertas p/ calçadas e parques ! Aqui em Curitiba , os mesmos que viajam buscando este conforto la fora, fecham ou mandam fechar os únicos espaços que ainda existem e que podemos ver , ter e usufruir sem Pagar em Euros ou Dolar . Parabéns PARAGUASSU pelo espetacular Paisagismo!

  16. Queiton Oliveira
    terça-feira, 5 de julho de 2011 – 9:44 hs

    Endosso as palavras do Jaime Lerner, pois, não há nada mais charmoso e atraente do que as mesas nas calçadas num dia de sol. Mas, a questão é “Não existem leis para regulamentar este tipo de situação? Sim existe! Então a pergunta que todos deveriam fazer é “Porque alguns são beneficiados por estas leis e outros prejudicados?” Nós, enquanto cidadãos, devemos cobrar para que a lei seja aplicada de igual a todos. E nos questionar e anunciar caso isso não esteja acontecendo.
    Deixem Curitiba em PAZ!

  17. daniela
    quarta-feira, 6 de julho de 2011 – 22:58 hs

    Bem, esses mesmos curitibanos que não gostam de mesas nas calçadas em nossa Capital, vão para Paris, Amsterdan, Roma e acham os bistrôs, cafés, bares com mesas nas calçadas magníficos e chics, vá entender. . .

  18. segunda-feira, 18 de julho de 2011 – 16:03 hs

    Curitiba morre aos poucos. Já se foi o jacaré do Barigui, o Parque Alvorada, os lugares para shows…e a cidade cada dia com mais idiotas que querem silêncio em uma metrópoli. Se é silêncio, mudem-se para uma pequena cidade do interior ou se internem em um hospital.

  19. Tiago Chiminazzo
    terça-feira, 29 de novembro de 2011 – 17:55 hs

    Curitiba, que ja foi sinonimo de inteligência urbana, parece não só ter estagnado como estar andando para tras no que diz respeito a tendencia evolutiva de qualquer cidade civilizada.Depois de Lerner a cidade foi lentamente se perdendo em governos populistas cada vez mais acéfalos,culminando no eminente caos viário que se desenha e nestas movimentações reacionárias cegas surdas e mudas dignas da santa inquisição que nos tiraram a pedreira( Pedreira não rodeio sim?) e estão tentando asfixiar qualquer forma de convivência urbana amistosa e pacífica. Sr. Paraná feche-se em sua masmorra medieval e nos deixe viver em paz.Curitiba para os Curitibanos, ontem hoje e sempre.

  20. Anônimo
    terça-feira, 29 de novembro de 2011 – 19:15 hs

    Paraná Neto que tal trancar-se em casa e não nos contagiar com esse humor negro… Curitiba agradece!

  21. Marcio Leandro
    terça-feira, 29 de novembro de 2011 – 19:43 hs

    Uma das coisas bacanas numa grande cidade é você poder ir num boteco e sentar numa mesa na calçada, com amigos, vendo o movimento e jogando conversa fora. Também é legal não precisar ir para Sampa, Rio, Floripa e POÁ para ver grandes shows, simplesmente porque as famílias “ordeiras” da cidade não gostam de tumulto e movimento perto de suas casas e os burocratas da prefeitura assinam embaixo.
    Acordem, Curitiba cresceu e precisamos cada vez mais de lugares para as pessoas poderem se confraternizar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*