Proposta do PPS impede senador de virar ministro | Fábio Campana

Proposta do PPS impede senador de virar ministro

O PPS quer evitar que a vontade do eleitor seja manipulada após as eleições e permita, por exemplo, que uma pessoa eleita para o Senado deixe o cargo para assumir um ministério e abra espaço para seu suplente, que ganha um mandato de oito anos sem ter obtido um voto sequer.

Pela proposta do partido, que será analisada durante a votação da reforma política, o parlamentar que desejar exercer um cargo no Executivo terá de renunciar seu mandato. Se for deputado, assume o primeiro suplente mais votado dentro da coligação. No caso de senador, o suplente só exercerá o mandato até a próxima eleição, seja qual for, quando a população elegerá um novo senador.

As propostas fazem parte de um conjunto de 11 pontos defendidos pelo PPS na discussão da reforma política. “O partido acredita que essas alterações privilegiam a decisão soberana do eleitor manifestada nas urnas. Temos ouvido muitas reclamações de pessoas que votaram em um candidato para deputado e depois ele assume um posto no Executivo. A questão da mudança da suplência de senador também é uma bandeira que o PPS levanta há muito tempo”, explica o líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno.

No caso do Paraná, se essas alterações já estivessem valendo, não seria possível a senador Gleisi Hoffmann (PT) assumir a Casa Civil, abrindo espaço no Senado Federal para o seu suplente Sérgio Souza (PMDB).

Além dessas alterações, o partido defende ainda o fim das coligações nas eleições proporcionais, a adoção do voto distrital misto, o segundo turno em cidades com mais de 50 mil eleitores, o fim da reeleição para prefeitos, governadores e presidente, a possibilidade candidatura avulsa, financiamento público de campanha e alteração na distribuição das sobras eleitorais.


17 comentários

  1. Jose Roberto
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 17:37 hs

    Pois ele tb deveria propor o fim da reeleição para deputados estaduais, federais e para vereadores.

  2. Ana
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:08 hs

    Belo projeto!!!!!!
    E como diz acima o Sr. Jose Roberto, dentre os que citou,outros tantos devem ser apresentados para acabar com esta “mamata” dentro dos Legislativos.

  3. NORTE DO PARANA
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:12 hs

    PERFEITO

  4. anonimo
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:15 hs

    O Rubens Bueno, deveria aproveitar e incluir o fim da reeleição em todos os níveis, de vereador a presidente, aí queria ver neguinho ter que trabalhar, não ficar vendendo coligações partidarias, etc.etc…..

  5. SAMURAI
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:27 hs

    Acho corretíssima a proposta. Não há o menor sentido um suplente
    assumir a vaga de senador sem votação nenhuma.
    Os que foram eleitos já fazem besteira pra valer. Imaginem um órfão
    de votos !!

  6. Indignado
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:33 hs

    Deveria propor o mesmo para deputados, já que a exemplo o Paraná é motivo de vergonha, com deputados secretários e gabinetes mantidos abarrotados de assessores…

  7. terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:35 hs

    Concordaria com o Dep. Federal Rubens Bueno se fosse para todos os níveis. Pois, o projeto dele veio agora somente porque a Senadora Gleisi assumiu a casa civil. Porque ele não reformula o projeto e inclui todos.

  8. Luís adolfo Kutax
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:47 hs

    E quantos outros casos semelhantes ocorreram em momentos anteriores e nunca houve o interesse pela mudança.
    Se agora, o jovem senador já está tão invejado, imaginem a hora que efetivamente começar a trabalhar.
    Bom levar para Brasília um vaso com “espada de São Jorge”, outro com “pimenteira”, outro com “arruda”, e para garantir um pouco de “sal grosso benzido”
    Parabéns, mas cuidado, se trabalhar demais vai ser criticado….
    Abraços Pessuti e Sérgio….

  9. GENTE
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 18:52 hs

    PODE. DESDE QUE RENUNCIE AO MANDATO. ASSUME O OUTRO CANDITADO MAIS VOTADO. NÃO IMPORTA O PARTIDO.

  10. PinheiroFino
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 20:00 hs

    Engraçado….

    Por que o PPS não entrou com este pedido há 5 meses atrás, quando o César Silvestri largou sua vaga de deputado federal e assumiu a SEDU aqui no Paraná?

    Guarapuava ficou sem deputado federal.

    Mas, se não me engano, ele tomou posse, né? Sabem o que significa tomar posse né?
    Significa que ele continua recebendo o salário de deputado federal, mesmo licenciado e que ele pode ir e vir, vir e ir, a qualquer hora, a seu belprazer.

    Por que vocês não corrigem primeiro seus erros para daí tentar corrigir o dos outros?

    Demagogia pouca é bobagem hein PPS !!!!!!

    Medo também né! Estão se borrando por conta da Gleisi ganhar projeção e tirar o pirulito de vcs……..

  11. Margo
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 20:49 hs

    Eita vergonheira… Pensa que tô abusada… Votei na Gleisi e elegi o gafanhoto…

    Registro aqui meu protesto de eleitora…

    E a caterva panssutiniana tá que tá… só no poder…

  12. Hamilton Luiz Nassif-Londrina
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 21:10 hs

    Sempre aparecem novas regras,quando o interêsse não é de utilidade para os dirigentes de partidos. Sendo assim,que não haja mais reeleições em todos os níveis.Aí todos vão BERRAR pois,fere as garantias institucionais.Moleza faz parte do cotidiano político brasileiro!!!

  13. wal
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 22:05 hs

    esse povinho do ppsinho são invejosos kkkkkkkkkkkkkkkk deixa a gleisi trabalhar laia

  14. OSSOBUCO
    terça-feira, 14 de junho de 2011 – 22:54 hs

    Mas que oportunista, hein? Deveria fazer uma proposta proibindo político beócio de se reproduzir!

  15. Pedro Neto
    quarta-feira, 15 de junho de 2011 – 9:29 hs

    Isso é uma medida apenas para tentar atacar a Ministra Gleisi, que entrou agora na Casa Civil…

    Por que o PPS não se manisfesta neste sentido quando o então deputado César Silvestri, deixou a cadeira para assumir a SEDU? pimenta nos olhos dos outros é refresco.

  16. Polêmico
    quarta-feira, 15 de junho de 2011 – 10:13 hs

    Totalmente absurda.
    O certo seria mudar a Lei para que o suplente fosse o próximo mais votado e mais nada.

  17. O povo tá cançado de mentiras!
    quarta-feira, 15 de junho de 2011 – 11:18 hs

    O problema é o seguinte….é que o Senador, não é do PPS, se fosse, não entrariam com esse projeto de lei.
    O PPS, aqui no Paraná, e o tipo de partido que sai correndo sozinho e chega em segundo lugar !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*