O mistério da reprografia | Fábio Campana

O mistério da reprografia

Ao romper o contrato da reprografia, o governo do Estado quebrou uma franquia muito lucrativa para alguém. O governo anterior pagava por 8.250.000 cópias, mas usava 6.000.000. A pergunta que não quer calar é uma só: Para o bolso de quem ia essa diferença? Os valores envolvidos estão longe de ser desprezíveis. A diferença mensal, que fazia a alegria de alguém, era de R$ 337.500,00.


16 comentários

  1. Karina
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 18:13 hs

    Deve ser para um bolso parecido com aquele que recebe grana da CONSILUX!!!

  2. M.A.S
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 18:27 hs

    Ou seria para comprar o vinho para o quentão da festa junina.
    Talvêz esse dinheiro tenha ido pro bolso do Santo Antonio.
    Será…………

  3. Polêmico
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 18:33 hs

    Com menos de 50% deste valor o governo poderia ele mesmo fazzer este serviço.
    Mas ai quem lucraria com isto?
    Quem deixaria de ganhar com esta tercerização do serviço?

  4. Luiz Antonio
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 18:37 hs

    Que tal perguntar para quem redigiu esse belo contrato……..(csa Civil, Secretaria de Administração etc…

  5. geraldo luz
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 19:56 hs

    vindo da turma do requião, aquele moralista rastaquera, isso não me surpreende.

  6. segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 20:22 hs

    E NA ASSEMBLÉIA??????????????????????????????

  7. alaor
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 20:45 hs

    Pro bolso de quem vai todo mundo sabe, principalmente os deputados,,Agora quero saber se tem homem de verdade para denunciar.

  8. coveiro
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 20:46 hs

    Qual o nome da gráfica ou do ginete proprietário?

  9. Gastão
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 21:42 hs

    HO VOVO KARINA. A SENHORA NÃO PRESTOU ATENÇÃO NA NOTÍCIA OU É OUTRA VIUVA DO REQUE-MEQUE.

  10. Peterson, from Miami
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 21:54 hs

    Parecido com o que recebe da CAVO, da DATAPROM, dos pedageiros…..

  11. Peterson, from Miami
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 22:02 hs

    Sem brincadeiras, mas se for verdade, mais uma denúncia que deveria ser encaminhada ao MP. Assim como a tal farra do ICMS do Pessuti.
    Se o atual governo não denunciar, será conivente. Descobriu falcatrua, manda pra frente.

  12. LUIZ
    segunda-feira, 27 de junho de 2011 – 22:32 hs

    COM A COTRAN ISSO NÃO ACONTECE NÃO…

  13. HENRY
    terça-feira, 28 de junho de 2011 – 8:52 hs

    ISSO COM A MAIOR CERTEZA DO MUNDO, IA, OU AINDA ESTÁ INDO PARA OS BOLSOS DO “bob req” E DO “panssutão”. SECOU A TORNEIRA.

  14. antonio
    terça-feira, 28 de junho de 2011 – 9:06 hs

    Nos parece que o contrato não foi rompido. Segundo noticia a Gazeta do Povo, alteraram-se alguns valores mas o contrato continua em vigor.
    A diferença de preço entre uma cópia que se tira na rua e uma da empresa contratada são os impostos e obrigações sociais em dia, que estas estão sujeitas.
    As de rua não pagam impostos e normalmente são operadas pelos prórpios donos.

  15. Luiz Antonio
    terça-feira, 28 de junho de 2011 – 11:06 hs

    Vcs estão comentando somente as copias em preto e branco, é bom conferir as cópias coloridas. ANTONIO, as de ruas pagam impostos sim e, e as dos contrato são operadas pelos funcionários da casa que tbm pagam obrgações sociais, etc ( vc é funcionario do contratado ou……????????..)

  16. Pedro Costa
    terça-feira, 28 de junho de 2011 – 11:07 hs

    Para o BOB RIQUELME e seus amigos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*