Ministério das Cidades aprova andamento das obras do Rio Ressaca | Fábio Campana

Ministério das Cidades aprova andamento das obras do Rio Ressaca

As obras de revitalização do Rio Ressaca foram visitadas nesta segunda-feira (13) por representantes do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal. Executadas pela Prefeitura de São José dos Pinhais, as obras estão atualmente na primeira das três fases do projeto, que tem por objetivo controlar o problema das enchentes e da poluição, além de retirar as famílias das áreas de risco.

A área total atingida pela revitalização compreende os 13 km2 da bacia hidrográfica do rio Ressaca, que abrange os bairros Cidade Jardim, São Cristóvão, Centro, São Pedro, Pedro Moro e Itália, localizados no lado direito da BR 376; e Boneca do Iguaçu, Águas Belas, Cruzeiro, Ouro Fino e Costeira, no lado esquerdo da rodovia.

A primeira etapa das obras, que está em desenvolvimento, compreende o trecho que vai do Portal de São José dos Pinhais até a Avenida Rui Barbosa. A previsão é que essa fase seja finalizada no segundo semestre deste ano.

A revitalização do Rio Ressaca tem como meta reduzir as cheias e a poluição do rio, bem como retirar as famílias que construíram suas casas às margens do rio, proporcionando a elas moradia digna e fora da situação de risco. Ao final das três etapas, a cidade vai ganhar um parque urbano, com espaços ajardinados e equipamentos de lazer e recreação.

Para o gerente de projetos da área de drenagem do Ministério das Cidades, Valdeci Medeiros, a obra de revitalização do Rio Ressaca está bem encaminhada, dentro das expectativas do projeto. “É uma obra muito complexa. Tivemos uma avaliação bem positiva, está tudo bem encaminhado”, afirma.

Ao todo, 211 famílias serão reassentadas ao longo dos três trechos do Ressaca. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Habitação, já foram reassentadas 46 famílias das áreas de risco iminente: 15 das 38 do primeiro trecho; 13 das 25 do segundo trecho; e 18 das 23 do terceiro trecho de obras. A Prefeitura instituiu o aluguel social, um benefício mensal no valor de R$ 500 pelo período de um ano. Para ter direito a esse benefício é necessária emissão do laudo pela Defesa Civil, atestando o risco, e ainda um documento da Secretaria de Assistência Social, comprovando a dependência da moradia dessas pessoas.

Além disso, serão feitas 89 desapropriações no primeiro trecho que receberão indenização. Ao todo, 47 já foram negociadas.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*