Prefeito sanciona lei das campanhas educativas | Fábio Campana

Prefeito sanciona lei das campanhas educativas

Foi sancionada pelo prefeito Luciano Ducci a lei que destina 20% da verba de publicidade da Prefeitura de Curitiba para campanhas educativas, uma proposição do vereador Caíque Ferrante.

Com isso, os recursos destinados para atos, programas, obras e serviços, terão, no mínimo, 20% de seu valor aplicado em campanhas educativas que promovam e estimulem a mudança de comportamento em relação à cidadania, meio-ambiente e bem-estar público.

Caíque Ferrante (PRP), o vereador responsável pela proposição, destacou a importância da assinatura da Lei, uma vez que “Há muito tempo as campanhas educativas não fazem parte das ações e propostas oficiais, como foram a Família Folhas, o Zé-Gotinha, Os bichos no Trânsito e tantas outras. Agora poderemos estimular a divulgação das questões de trânsito, de meio-ambiente, de turismo, enfim, mostrar o porque do curitibano sempre se orgulhar da sua cidade”.


4 comentários

  1. VERGONHA NO PARANÁ
    terça-feira, 31 de maio de 2011 – 19:10 hs

    A campanha os bichos no trânsito foi fantástica!!! Surtiu um enorme efeito, percebemos isso nas escolas, com os adolescentes e pais…. Será bem-vinda!!!!

  2. William Gama
    quarta-feira, 1 de junho de 2011 – 10:02 hs

    Deveria ser no mínimo 80%, pois obra que presta fala por si só, não precisa de campanha para ser divulgada. É absurdo ser autorizado usar dinheiro público para fazer campanha política enquanto estão sentado na máquina do governo. Mas quem liga para isso, é migalha para tantos impostos pagos.
    Será que um dia os políticos desse país vão ter coragem para fazer uma reforma que transforme de verdade a sociedade brasileira? Faz uns 3 anos li que o Brasil levaria 300 anos para alcançar o nível de desenvolvimento social dos países desenvolvidos, achei um exagero. Mas hoje em dia, prestando mais atenção em tudo, já acho que pode ser pouco.

  3. Motoqueiro Infernal !!!
    quarta-feira, 1 de junho de 2011 – 12:31 hs

    O ideal seria 50%… e o resto ficava para autopromoção costumeira dos gravatinhas de plantão, mas não se pode negar o prefeito tem sido bem intencionado!

  4. Sadi Melchiades
    quarta-feira, 1 de junho de 2011 – 14:07 hs

    Só 20%? então não precisava de lei. Divulgar essa “façanha” como uma grande virtude é no mínimo ridículo. Está correta a análise do William Gama sobre o tema: deveria ter uma destinação de 80% para as campanhas educativas e outros temas de interesse da coletividade.
    Pelo que se vê, a verba publicitária vai continuar enchendo os bolsos dos publicitários amigos. E no ano que vem, com eleição, a coisa será ainda pior.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*