Parceria estimula instalação de barracões industriais no Paraná | Fábio Campana

Parceria estimula instalação de barracões industriais no Paraná


Uma parceria entre secretarias do governo do Paraná vai dar mais
agilidade ao trabalho de implantação de barracões industriais, a
partir de um diagnóstico unificado das necessidades municipais. O
assunto foi discutido nesta segunda-feira (16), em Curitiba, pelos
secretários do Desenvolvimento Urbano, Cezar Silvestri, e da
Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros.

“A ideia é incentivar os prefeitos a implantar e financiar esse tipo
de obra, que permite um rápido retorno aos municípios por meio do
aumento na arrecadação e também da criação de empregos e geração de
renda”, disse o secretário Cezar Silvestri.

Para o secretário Ricardo Barros, a construção de barracões
industriais é um fator importante para atrair investimentos e
favorecer o crescimento populacional das pequenas cidades paranaenses.
“Iniciada a obra, ao mesmo tempo em que busca empresas, a prefeitura
oferece curso de qualificação e capacitação de mão de obra”, explicou
Barros.

Além disso, disse Barros, os incentivos fiscais do governo Beto Richa
garantem total apoio à atração de investimentos. “As negociações com
os empresários agora são individuais, com uma análise feita caso a
caso. Estamos bastante animados com a atração de novas empresas para o
Paraná”, afirmou Barros.

A nova política fiscal do governo do Estado alterou o percentual do
ICMS a ser diferido, que agora varia de 10% a 90%, inclusive para
cidades que não possuíam o benefício. A mudança no prazo de dilação do
ICMS é outra novidade. Fixado por decreto, o tempo de dilação era de
quatro anos, mais quatro para pagamento. Com a nova política, o
período foi flexibilizado e varia de dois a oito anos, e até oito anos
para recolhimento.

De acordo com o superintendente-executivo do Paranacidade, Roberto
Dimas Vasconcellos Del Santoro, o projeto arquitetônico de um barracão
industrial da Secretaria do Desenvolvimento Urbano é modular e pode
ser adaptado de acordo com as necessidades de cada município.

Também participaram da reunião os assessores técnicos da Secretaria da
Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Mário Lessa Sobrinho e
João Percy Hohmann.


6 comentários

  1. luiz de paula
    terça-feira, 17 de maio de 2011 – 7:43 hs

    Rápido retorno?
    Ué se uma empresa grande vem leva 20 anos para pagar os impostos e nos barracões vai ter que sair pagando?

  2. osni gomes
    terça-feira, 17 de maio de 2011 – 9:41 hs

    só gostaria de saber se não é o mesmo projeto de alguns anos atrás que a prefeitura iniciou e depois esses barracões ficaram abandonados deve se pensar melh0or……………….

  3. JOÃO DO PLANALTO
    terça-feira, 17 de maio de 2011 – 9:45 hs

    Olha só…
    O Deputado Federal Cezar Silvestri, titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná (SEDU), vai conseguir implementar em Guarapuava, sua cidade natal, um projeto que o atual prefeito, Fernando Ribas Carli, prometeu e não executou: barracões industriais.
    A promessa de Carli, não concretizada, era desenvolver polos industriais em diferentes setores. A economia de Guarapuava, com quase 2 séculos de existência, ainda é baseada no setor primário. A região que mais investe em industrialização é a do distrito de Entre Rios, sede da maltaria Agromalte (maior da América Latina) e da Cooperativa Agrária. Os moradores de lá não se cansam de reclamar do abandono da Prefeitura.
    Agora, com o projeto do secretário Cezar Silvestri, a Administração Fernando Ribas Carli vai ter a possibilidade real de implantar uma proposta séria e viável – sem os “delírios” que habitualmente sacodem a Administração Carli, com seus projetos mirabolantes e nada conclusos.
    Parabéns secretário Cezar Silvestri. O Paraná e Guarapuava, em particular, merecem este novo projeto, a exemplo da Universidade Tecnológica e outros que por certo virão.

  4. João Ninguém
    terça-feira, 17 de maio de 2011 – 11:34 hs

    O Barros não saiu do palanque, ainda está em campanha! O problema é que o tal programa de barracões industriais já existe desde que o Renato Adur foi secretário da SEDU, em 2003!
    Outro problema é a política de incentivos que agora vale para todo o estado. Antes, era apenas para as cidades pobres – que precisam se desenvolver – agora, como vale para todas, onde vocês acham que as indústrias vão querer se instalar? As regiões pobres do estado vão virar um cemitério de barracões industriais.

  5. Sergio Silvestre
    terça-feira, 17 de maio de 2011 – 13:59 hs

    Barracões com preço do m2 de apto nocentro

  6. Carlos Guaratuba - Pr
    sexta-feira, 20 de maio de 2011 – 22:53 hs

    Tenho acompanhado o desenvolvimento do Paraná, mais vejo que nossos governantes têm esquecido do Litoral do Paraná e em especial Guaratuba onde não se vê desenvolvimento em nem um sentido, Saneamento, Saúde, Educação onde a Prefeitura e a câmara de Vereadores não estão preocupados com o turismo que é a maior fonte de renda dos moradores dessa região, Guaratuba não tem um empresa não te vida própria onde os moradores aqui possam sobreviver fora da temporada já ouve empresa com enterece em se estalar por aqui mais a Prefeitura não deu apoio algum agora vem a eleições novamente será se a mesma prefeita consegue se eleger .

    OBS: Atenção Paranaense o litoral não é meu e nem seu é de todos nós Paranaenses precisamos fazer com que Guaratuba enfim todo o litoral do Paraná seja o melhor lugar pra trazer sua família vamos juntos cobrar nossos governantes principalmente esse Ferry boot que já deu o que tinha que da ou será que esse Ferry Boot esta rendendo pra alguém !!!!!

    Guaratuba pede socorro espero que alguém leia e se interessa a ajudar não a mim e sim nosso litoral.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*