Desce à cova a social-democracia tupiniquim | Fábio Campana

Desce à cova a social-democracia tupiniquim

Do Josias de Souza

Durante os oito anos de reinado de FHC foram muitas as tentativas de intrigar o PSDB com o DEM.

Exergava-se no esforço pela separação um quê de civismo. Era preciso salvar a alma do PSDB, ativando-lhe a memória.

O longo convívio fizera o tucanato esquecer de suas origens. Olvidara-se de que, na certidão de nascimento, era social-democrata.

Aos pouquinhos, foi abandonando a castidade, rendeu-se à lascívia, encantou-se com os prazeres do fisiologismo.

O DEM, nessa época ainda PFL, pressentiu que a relação tinha futuro quando leu o Max Weber que FHC esquecera sobre a TV.

Encantou-se com o trecho que falava das duas éticas. Aderiu instantaneamente à “ética da responsabilidade”.

Em vários momentos, o rompimento esteve na bica de acontecer. Emperrava na hora da partilha dos bens.

O pefellê abria mão de tudo, menos do Palácio do Planalto. ACM insinuava que FHC também pertencia ao PFL.

Sem acordo quanto à divisão do patrimônio, o matrimônio foi mantido. Sobreviveu, aos trancos, fora do poder.

Agora, num estreitamento definitivo das diferenças, PSDB e DEM cogitam fundir-se. Diz-se que a fusão virá depois da eleição de 2012.

Fragilizados por um emagrecimento involuntário, as duas legendas vão virar uma. Farão por precisão o que não fizeram por opção.

A pseudosocial-democracia do tucanato, cadáver insepulto, vai finalmente descer à cova. Descansará em paz.

Recomenda-se reservar ao lado espaço para outra sepultura. Ali, no futuro, será enterrado o pseudosocialismo do PT, temporariamente amasiado com o PMDB.


2 comentários

  1. domingo, 1 de maio de 2011 – 10:55 hs

    Quem não sabia que os pregadores do socialismo já viviam e vivem felizes e contentes no sistema neoliberal, capitalista, individualista e precisista. Os verdadeiros socialistas são aqueles que nunca ouviram falar de Weber.

  2. antonio carlos
    domingo, 1 de maio de 2011 – 18:56 hs

    Pena que a fome e a vontade de comer perpassam as duas legendas, senão até acreditaria na verdade desta união. Mas não acredito. As duas legendas estão perdidas, não sabem para onde se dirigir, e correm sério risco de caírem no abismo do nosso esquecimento. Tony

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*