Delegado diz que 'caso Evandro' foi uma farsa para acusar família Abagge | Fábio Campana

Delegado diz que ‘caso Evandro’ foi uma farsa para acusar família Abagge

Foto: divulgação PC

Delegado aponta quem seria o culpado

Sergio Silva e Antonio Nascimento da Banda B

Na semana em que Beatriz Cordeiro Abagge (43) será julgada, pelo caso da morte de Evandro Ramos Caetano, ocorrida em abril de 1992, na cidade de Guaratuba, litoral do Paraná, em um suposto caso de magia negra, o delegado de polícia Luis Carlos Oliveira, atual responsável pela Delegacia de Crimes contra o Patrimônio, que investigou o caso na época, defende que a versão que consta nos autos não passa de uma farsa montada para incriminar Beatriz e as outras seis pessoas acusadas do crime.

Para Oliveira, uma encenação foi montada na intenção de prejudicar a família Abagge. O prefeito de Guaratuba, na ocasião, era Aldo Abagge, pai de Beatriz e casado com Celina Abagge, também suspeita do crime contra o menino Evandro. “O verdadeiro responsável disso, que cresceu com um sentido de vingança, é Diógenes Caetano. Ele cresceu acreditando que o motivo da separação dos pais teria um sido um caso que o pai, ex-prefeito de Guaratuba, teria vivido com Celina Abagge, quando ele era ainda um adolescente. Foi o Diógenes quem causou tudo, que levou e induziu a polícia ao erro. E a polícia, a partir do momento em que se deixou levar, não tinha mais retorno”, afirmou o delegado.


Ainda segundo Luis Carlos Oliveira, as confissões assinadas por Beatriz e Celina, foram obtidas sob tortura. “Beatriz e Celina foram torturadas e seviciadas, e somente confessaram o crime por este motivo”, disse Oliveira. O delegado concluiu, após as investigações da época, que Evandro pode ter sido sequestrado, para ser vendido no exterior, por quadrilhas que, na época, praticavam este tipo de crime. Mesmo fim, de acordo com o delegado Luis Carlos, de Leandro Bossi, outro menino que também desapareceu do município de Guaratuba, em fevereiro de 1992.

O julgamento de Beatriz Abagge acontecerá no 2.º Tribunal do Júri de Curitiba, atuando na acusação a promotora Lúcia Inez Giacomitti Andrich.Além de Beatriz, a mãe dela, Celina Cordeiro Abagge, também deveria ir a novo júri popular, mas por já ter mais de 70 anos ficou inimputável pela legislação brasileira.

Ambas protagonizaram, em 1998, o mais longo júri da história do Brasil (34 dias) e foram absolvidas. O Ministério Público recorreu e conseguiu a anulação daquele julgamento. Dos outros cinco acusados (todos homens), três foram condenados a penas superiores a 18 anos de prisão e dois foram absolvidos.

O caso

Segundo a denúncia da promotoria, na noite de sete de abril de 1992, o menino Evandro Rogério Caetano, na época com seis anos de idade, teria sido sacrificado em um ritual de magia negra. Sete pessoas são acusadas pelo crime: Celina e Beatriz Abagge; os pais de santo Vicente de Paula Ferreira e Osvaldo Merceneiro; Davi dos Santos Soares, Francisco Sérgio Cristofonili e Airton Bardelli dos Santos, ligados à prática de magia negra.

O menino teria sido sequestrado na véspera do crime, por Celina e sua filha Beatriz e levado para um galpão da serraria de propriedade de Aldo Abagge, onde se realizaria o rito satânico.

“O local onde o ato foi realizado era escuro, iluminado apenas por sete velas brancas, sete velas pretas e sete velas vermelhas. Durante o ritual, Osvaldo cantava hinos em louvor a “Exu”. À medida que ia sendo retirados os órgãos da criança, Celina ia fazendo pedidos de proteção e vitória, ou seja, proteção no comércio, para abrir o lado financeiro e força na política”, disse Vicente de Paula Ferreira, em depoimento.

No final do rito, as tigelas de barro, ou alguidares, contendo os órgãos do menino, teriam sido colocados numa “casinha”, do tamanho da casa de um cachorro, construída no quintal para essa finalidade (uma espécie de pequeno templo dedicado a Exu).

O primeiro julgamento deste caso, ocorrido em 1998, foi o mais longo da história do Brasil, durando 34 dias. As rés, naquela ocasião, foram absolvidas. Em 2004, um novo julgamento terminou com a condenação de três pessoas. O pai de santo Osvaldo Marceneiro (43), e o pintor Vicente de Paula Ferreira (54), foram condenados a 20 anos e dois meses de prisão, por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado. O terceiro acusado, o artesão Davi dos Santos Soares, 42, foi absolvido do crime de sequestro, mas culpado pelo homicídio. Sua pena foi estipulada em 18 anos e oito meses de prisão.


30 comentários

  1. Pedro Rocha
    segunda-feira, 23 de maio de 2011 – 19:34 hs

    Curioso o depoimento do delegado Luiz Carlos. Por que, só agora, tantos anos depois, é que aparece essa versão? –
    Eu lembro muito bem ter visto e ouvido as acusadas no programa do então Cadeia. Se a confissão foi feita sob tortura, pelo menos ali, na frente das câmeras, não havia nenhuma coação, e elas, por sua vez, nada contestaram, e pior, perderam a melhor oportunidade do mundo pra botar a boca no mundo, clamando por justiça, e denunciando seus algozes. Não o fizeram. Pelo contrário, suas respostas admitiam o crime.
    Lembrando ainda, que quem literalmente mandava no Paraná à época era o Anibal Khoury,..; e o julgamento foi anulado ao se constatar inúmeras irregularidades, todas benefiando as acusadas!
    Que é estranho, é!

  2. antonio carlos
    segunda-feira, 23 de maio de 2011 – 21:03 hs

    Quem forçou também a barra foi o governador da época, que fez de tudo, ou quase, para incriminar as rés. Nem vou citar o nome do maldito, porque quem quiser saber que procure. Tony

  3. Bruno
    segunda-feira, 23 de maio de 2011 – 21:29 hs

    Ah tá!

    Teoria da conspiração então!

    Todo mundo de Guaratuba sabe que essa história é veridica e que elas são culpadas!

    Vai dizer que foi o Diogenes que matou a criança agora?

    Era só o que faltava mesmo!

  4. mirrynho lins
    segunda-feira, 23 de maio de 2011 – 22:48 hs

    Então quem matou Evandro….

  5. KAROÇO
    terça-feira, 24 de maio de 2011 – 9:36 hs

    ISSO DEVERIA VIRAR FILME.”GUARATUBA MACABRA”.

  6. elis
    terça-feira, 24 de maio de 2011 – 13:26 hs

    cadê a prova do crime??? Isso nunca apareceu…que história triste..
    Quanta ignorância fazer macumba com o corpo alheio…façam com os seus então!

  7. Elimara
    terça-feira, 24 de maio de 2011 – 14:47 hs

    Xiii campana…esse troço de macumba pra ganhar política naum acontece só aí por estas bandas naum…aqui em Guarapauava…..tem político que é chegado numa macumba……
    E olha que só ele naum percebeu que tudo está voltando em dose dupla pra ele???

  8. Irmãos Naves
    terça-feira, 24 de maio de 2011 – 15:08 hs

    A sociedade tem uma atração obscena por fatos que envolvem política, religião e o sobrenatural, nesse mundo onde todos falam tudo e sobre tudo, não é estranho que essas pessoas sejam julgadas como bruxas, por simples impressões ou antiapatias. Ninharias cotidianas se transformam em prova e o populacho se compraz com seus prejulgamentos e seu sadismo judiciário. Esse processo contém inúmeras irregularidades, o que faltou foi coragem para anular essa vergonha, e criar uma investigação idônea e criteriosa sobre os fatos. Quem leu o processo sabe que as mulheres jamais confessaram o crime, essa confissão só existe na cabeça dos idiotas que por ouvir dizer atiram pedras para todo lado, Não esqueçam que as “autoridades” envolvidas na investigação foram defesnetradas do serviço público: João Ricardo Noronha, delegado que investigou e também questionou as investigações,
    foi afastado da policia pelo seu notório envolvimento na CPI do Narcotráfico, Valdir Copetti Neve, oficial da PM, foi preso e condenado por torturar pessoas humildes em Ponta Grossa, ele foi o pm que colheu as confissões de três dos acusados, em local que até hoje ninguém sabe, Francisco Moraes SIlva, médico legista, foi afastado do IML por estar envolvido em escandalos sexuais. Na época dos fatos Valentina Andrade, aquela que foi presa no Para, por castrar crianças estava em Guaratuba, o inquérito que a investigava e todo material apreendido com ela sumiu do fórum de Guaratuba e nunca ninguém investigou. Dizem que os sete acusados estavam no local e mataram a criança, se é verdade por que três foram absolvidos com confirmação pelo Tribunal de Justiça, dois condenados e uma ainda vai a julgamento, ora se todos estavam juntos a contradição é absurda, ou todos são culpados ou todos inocentes. Da maneira como os políticos da época divulgaram os atos, a verdade pouco importa. Jamais haverá alguém com coragem para enfrentar esse processo e mostra à sociedade o que aconteceu. Lembro que outras autoridades públicas e eclesiasticas já pediram a revisão desse caso.Hojé após dezenove anos, esse julgamento somente mostra a cara do Judiciário brasileiro, lento e incompetente.

  9. Dreyfuss
    terça-feira, 24 de maio de 2011 – 15:33 hs

    Não foi só o Delegado Oliveira que se manifestou pela inocência dessas pessoas, outros delegados já o fizeram, Adauto Abreu de Oliveira e Leila Bertolini que investigaram o caso pelo grupo Tigre na época, afirmaram várias vezes em júízo que não havia provas contra os acusados. A versão do delegado Oliveira é a mesma a dezenove anos, inclusive no primeiro julgamento em 1998 na cidade de São José dos Pinhais ele disse a mesma coisa e não foi desmentido. Inocentes ou não, depois de tanto tempo, todos perderam muito, pois “Justiça tardia é injustiça qualificada” , lamentavel que fatos dessa importância sejam tratados dessa forma pelo Judiciário.

  10. Ricardo III
    quarta-feira, 25 de maio de 2011 – 12:45 hs

    Acho, sinceramente, que tudo não passou de armação política. Dizem que o prefeito de Guaratuba, na época, era a bola da vêz para ser arrasado. Não acredito, sobre hipótese alguma, que os fatos trazidos a público sejam verdadeiros. A sanha que levou alguns a cometer a injustiça contra essas infelizes pessoas, é própria de psicopatas inconsequentes.

  11. JORGE CAETANO NASCIMENTO
    quarta-feira, 25 de maio de 2011 – 19:06 hs

    EU MORAVA EM GUARATUBA NA EPOCA, E TAMBEM ACHO QUES OS SETE ACUSADOS SÃO INOCENTES, O GOVERNADOR DA EPOCA ERA INIMIGO DO PREFEITO, QUE ERA PAI DAS ACUSADAS, E LOGO QUE ELAS FORAM PRESAS O GOVERNADOR, DECLAROU QUE TODOS ERAM CULPADOS, E NÃO DEIXOU QUE O CASO DESSE UMA REVIRAVOLTA, ACHEI ESTRANHO TAMBEM QUE O CORPO DA CRIANÇA FOI DEIXADO SEM SER ENTERRADO, E COM AS CHAVES DA CASA, BEM FACIL DE SER ENCONTRADO. SE ELES FOSSEM CULPADOS, TERRIAM QUE SEREM BEM BURROS DE DEIXAR O CORPO DESSE JEITO, TERIAM MIL LUGARES PARA SUMIR COM O CORPO, O ULTIMO SERIA NAQUELE LOCAL.

  12. Tatiane
    sexta-feira, 27 de maio de 2011 – 8:34 hs

    É impressionante o fato de que crianças são maltratadas, estupradas, mutiladas, mortas por pessoas cruéis com problemas psquiátricos graves, e nada é feito. Só sabem culpar religiões. Mas e a investigação? Não foi feita? Nnguem tem certeza de nada? Como pode a população julgar antes da justiça? Como podemos pensar em teorias de conspiração antes das provas? Como podemos sentar e lamentar julgando os envolvidos antes da justiça?
    Enquanto a justiça não mudar, nada será feito. Esses casos devem correr em segredo de justiça, e somente após a conclusão da investigação ser levado a público, com evidencias, e certezas, em respeito a familia da criança, em respeito ao acusados que merecem uma condenação justa (de preferencia em um manicômio) e principalmente em respeito a vítma inocente.
    Como pode um caso ter ficado na dúvida por 19 anos? Como pode uma familia ficar em luto, sem paz, por tanto tempo? Não imagino uma dor maior.

  13. não vou me identificar
    sexta-feira, 27 de maio de 2011 – 16:13 hs

    Conheço tais pessoas, sei muito bem que são pessoas que fariam tais coisas, sempre agiram com maldade, e o espiritismo vc esta ligado direto com o Diabo, portanto só pode dar tais resultados.
    E onde a fumaça pode sim haver fogo, não estou dizendo que fizeram , se bem que a maioria ja forma julgados e condenados, mas a conduta fala mais alto , portanto acho que não é difícel de ter acontecido.

  14. Anônimo
    sábado, 28 de maio de 2011 – 0:45 hs

    isso é fato…a verdade esta guardada…a justiça divina que nao cometera erros sabera julgar severamente os envolvidos…agora uma frase antiga fica a calhar….me diga com quem andas que eu te direi quem és…

  15. Diogenes
    segunda-feira, 30 de maio de 2011 – 15:27 hs

    Sou o autor do livro “A Verdadeira História do Caso Evandro” Caso alguém, depois desta condenacao, ainda tiver dúvida quanto a serem ou não culpadas, é só pedir que eu mando uma cópia do livro. Isso sem precisar pagar nada, pois acima de tudo está o interesse na divulgacao da verdade.

  16. Revoltado
    quarta-feira, 18 de janeiro de 2012 – 3:40 hs

    Esse Luis Carlos de Oliveira e um dos policias mais corruptos que nosso estado ainda tem, super corrupto, charlatao!!! Quanto ganhou ou qual seria seu interesse em ainda mecher neste caso? Isso e curioso, corrupto, malvado e doente!!

  17. Luciano
    quarta-feira, 18 de janeiro de 2012 – 11:13 hs

    Eu não consigo entender como o delegado so vem agora dizer isso, acho que todos temos o direito de saber a verdade sobre esse caso e principalmente a familia do menino. Se as mulheres não são culpadas quero ver o valor idenizatorio que o estado vai pagar a elas por todo esse sofrimento que elas passaram, mas se elas forem culpada e conseguirem escapar elas lembrem que vão ter o julgamento final delas depois com Deus.

  18. Solange
    quarta-feira, 18 de janeiro de 2012 – 15:21 hs

    Não consigo, sinceramente, entender o delegado Luiz Carlos Oliveira, essa teoria de complô contras as madames de Guaratuba, não cola, e não tem fundamento.
    As pessoas são capazes de tudo para se manter no poder, e ou, não perdê-lo de maneira alguma, nem que seja pago com a vida de uma criança.
    Vão lá em Guaratuba e entreviste a mãe dessa criança, que até hoje não consegue abrir as janelas da sua casa.
    Eu creio na culpa das acusadas.

  19. leonardo
    segunda-feira, 3 de setembro de 2012 – 11:00 hs

    muito estranho a pericia ir no locau do crime e não achar nada nem um vestigio de sangue vcs menos pode ver os casos da tv que sempre é achado um rastro de sangue mesmo que e pessoa tenha limpado e como naum foi achado,como pode acusar sem provas,c forao vitimas de torturas..eu acho essa historia uma mentira e tanto naum c mata criança.na umbanda

  20. Juliana
    sexta-feira, 31 de maio de 2013 – 11:46 hs

    Também moro em Guaratuba e ACHO que os Abagges são inocentes. Não acredito que eles tenham feito isso com o Evandro! O prefeito Abagge tinha muitos inimigos na época um em principal que muitas pessoas dizem ser o culpado dessa atrocidade.
    Enfim, nunca ninguém vai saber realmente a verdade, só podemos achar, achar e achar. O único que sabe é Deus!

  21. sodré
    segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014 – 15:20 hs

    sei não mas… ha indicios que o delegado de algum tempo atraz não é flor que se cheire…

  22. Diógenes
    sábado, 27 de agosto de 2016 – 16:36 hs

    O delegado Luiz Carlos de Oliveira, que tanto defendeu os assassinos, e que em vinte anos nunca apresentou nenhuma prova da sua teoria, foi preso em 03/04/2013, pela “Operação Vortex” realizada pelo Ministério Público e Gaeco, quando esta, investigava um esquema de extorsão sobre proprietários de desmanches de veículos. ,

  23. Maria
    terça-feira, 3 de abril de 2018 – 2:21 hs

    Como foi feita a acusaçao? Foi baseado em que?

  24. MARCELO BIASSUSI DA LUZ
    terça-feira, 27 de novembro de 2018 – 19:05 hs

    Procurem o projeto humanos na internet. É um podcast com todo o caso Evandro.

  25. Gabriela Gonçalves
    sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019 – 21:55 hs

    Diógenes, sei que seu comentário foi há muito tempo, porém gostaria de me aprofundar mais sobre o caso. Eu aceito uma copia do seu livro!

  26. Marcos Souza
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 18:45 hs

    Assim como a Gabriela, teria interesse em uma cópia do Livro.

  27. Rosinei
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 9:47 hs

    Diógenes, tenho interesse na cópia do seu livro.

  28. Oliveira
    domingo, 17 de março de 2019 – 14:13 hs

    Aceito uma cópia do livro para estudo do mesmo.
    ivansouzamkt@hotmail.com
    pode ser a versão digital se assim houver

  29. Josias
    segunda-feira, 25 de março de 2019 – 17:53 hs

    Caros, o Diógenes colocou o livro no site da Amazon, por 2 reais e 40 centavos: https://www.amazon.com.br/Verdadeira-Hist%C3%B3ria-Caso-Evandro-ebook/dp/B00KVITUVQ/ref=sr_1_fkmrnull_1?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=caso+evandro&qid=1553547169&s=gateway&sr=8-1-fkmrnull

  30. ANDERSON
    segunda-feira, 10 de junho de 2019 – 10:47 hs

    BOA TARDE: LI ESTA MATÉRIA JÁ À LAGUM TEMPO ATRÁS, ASSIM TENDO O CONHECIMENTO DESTA “TRISTE” HISTÓRIA.

    PELO QUE ENTENDI, O EVANDRO FOI MOTIVO DE RITUAL SATÂNICO PELA UBAMDA.

    RESPEITO TODO TIPO DE RELIGIÃO, MAS TENHO CONHECIMENTO QUE DENTRO DESTA RELIGIÃO ACONTECE ISSO. ACHO QUE VOCÊ SACRIFICAR SERES HUMANOS E ATÉ ANIMAIS, UM “PECADO MUITO GRANDE”. COMO É QUE ELES ENTENDEM QUE ISSO É NORMAL E É NECESSÁRIO FAZER ISSO. ISSO TEM QUE SER BANALIZADO DE UM VEZ POR TODAS, SE NÃO ISSO NUNCA VAI ACABAR.

    E SE ANALISAR, ISSO É COISA MUITO “RUIM” E “INACEITÁVEL”. TUDO PODE SER MUDADO!!!!!!!

    OLHA QUE QUISER TER UMA AMIZADE COMIGO PODE ESCREVER PRO MEU E-MAIL. MORO NO CENTRO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO QUE É UMA DAS CIDADES DA REGIÃO DO ABC PAULISTA NO ESTADO DE SÃO PAULO.

    MEU E-MAIL: andersonandredossantos1979@outlook.com

    RESPONDEREI À TODOS E PASSEM O MEU E-MAIL PRA TODOS QUE PUDEREM!

    ABRAÇO ANDERSON!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*