Ato na Boca Maldita marca dois anos do caso Carli Filho | Fábio Campana

Ato na Boca Maldita marca dois anos do
caso Carli Filho


Diego Ribeiro da Gazeta do Povo

Uma manifestação de mães que perderam filhos no trânsito feita ontem (7), na Boca Maldita, marcou os dois anos do acidente que matou os estudantes Gilmar Rafael Souza Yared, 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, 20 anos, em Curitiba. O protesto reuniu dezenas de pessoas entre familiares e amigos. Em­­punhando faixas e cartazes, eles deram um abraço coletivo simbólico. “A gente quer dizer para as pessoas que nos importamos e que­­remos que todos se importem”, afirmou Cristiane Yared, mãe de Gilmar e organizadora do ato.

A família Yared aguarda o resultado do recurso da defesa do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho. O pedido tramita na 1.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná e pede a absolvição sumária do ex-parlamentar ou a mudança da acusão de duplo homicídio com dolo eventual para um crime de trânsito. Cristiane aproveitou para pedir às pessoas que, se ingerirem bebida alcoólica, usem táxi para não provocar qualquer acidente. “Usem táxi ou não bebam. São 210 mortes diárias no trânsito no país”.

Teresa Charlamais dos Santos, mãe de um jovem vítima de acidente de trânsito, denunciou o descaso com o caso do filho dela, Flávio, atropelado por um caminhão enquanto pilotava uma motocicleta em Pinhais, em 2008. Desde o acidente, o Instituto de Criminalística não teria entregado a perícia do acidente sob a suposta justificativa de que a responsável pela análise se aposentou.


15 comentários

  1. Borduna
    domingo, 8 de maio de 2011 – 11:34 hs

    Quando a nossa justiça vai agilizar esse caso e meter esse cara em cana….

  2. Sandro
    domingo, 8 de maio de 2011 – 14:24 hs

    só quando vc parar de falar bobagem borduna. entao pelo andar da carruagem vai demorar muito.

  3. José Diniz
    domingo, 8 de maio de 2011 – 17:44 hs

    O Brasil é um Estado de Direito. A Constituição Federal proíbe Tribunal de exceção, o que representa que o Ribas Carli Filho, terá de ser julgado, condenado ou absolvido. Todo pré julgamento não é bom pra nossa democracia. Democracia é exatamente isso, dar chance da pesoa ir à julgamento. Na Ditadura Militar era comum Tribunal de Exceção, mas quem sonhou com a democracia não pode julgar, condenar e sentenciar sem um julgamento justo. É bem claro que surgem os falsos moralistas condenando. Então pergunto, teve um caso logo após o do Ribas Carli onde pessoas morreram num acidente no Batel, desse caso eu não vejo ninguém falando. Eram dois jovens, porque só falam de um deles? Isso pra mim é falso moralismo. Demagogia em cima da desgraça deveria ser crime.

  4. Borduna
    domingo, 8 de maio de 2011 – 18:54 hs

    Caro José Diniz, Vc tem razão, a quem a isso não compete julgar ou mesmo pré-julgar, que não o faça. Mas, o que se cobra de quem cabe e deve julgar, é por que não julga? Essa é a questão. Quanrto aos nomes dos caras do outro acidente, aproveite e dê você nome aos bois…..Por que os omite no seu post?

  5. MARCIA
    domingo, 8 de maio de 2011 – 18:57 hs

    CRIME MEU CARA É O QUE ESSE BEBADO FEZ E QUE SE FAÇA JUSTIÇA

  6. escobar
    domingo, 8 de maio de 2011 – 19:29 hs

    O interessante, Sr Diniz, que nossas carceragens fétidas estão repletas de pessoas que nem uma defesa ridícula tiveram, pessoas miseráveis que quando se dão conta estão a mais de ano presa e nem a primeira audiência tiveram; agora vem vc dizer que o Carli filho, que pode contratar os melhores defensores desse país, está sendo vítima de pré julgamento, num país em que notoriamente os abastados, por mais m… que façam não ocupam nossas prisões, realmente, vc tem que rever seus conceitos, ou deve ser amigo dos Carli.

  7. André
    domingo, 8 de maio de 2011 – 20:53 hs

    Quando é que eu terei o prazer de ler a mensagem de que o assassino foi julgado e foi para a cadeia? Quando?

  8. ANDRÉ
    domingo, 8 de maio de 2011 – 22:45 hs

    ENQUANTO ISSO, LADRÕES DE GALINHA ESTÃO PRESOS E CONDENADOS…. JUSTIÇA É JUSTIÇA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  9. cintia
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 0:20 hs

    quanta enrolação……………

  10. bicho do paraná
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 0:23 hs

    OLHA A CARA DESSE SEM VERGONHA !!!!
    O POVO DE GUARAPUAVA TINHA QUE VER ESTA FOTO AI..
    AINDA METERAM MAIS UM DESSA FAMILIA NO LEGISLATIVO QUE VERGONHA GUARAPUAVA!!!!

  11. Guarapuavano
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 8:48 hs

    Nós Guarapuavanos, não vemos a hora de desse julgamento sair, para que nos esqueçam um pouco. Porque parece que esse é o único acidente com mortes na história do Paraná. Mas como parece que todos pagarão junto com o Carli Filho, que julguem de uma vez!!!!

  12. Servidora de Carreira
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 9:51 hs

    BRASIL olha a tua cara, quero ver quem paga pra gente ficar assim…..CAZUZA

  13. Aninha
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 10:41 hs

    Cristiane Yared precisa se candidatar, mãe forte como nunca vi. É o tipo de mulher que jamais veríamos jogar o carro em cima de 2 jovens inocentes.
    Esse Carli já deveria estar preso a muito tempo, moleque inresponsável, estamos bem atentos a desfecho deste caso!

  14. jaferrer
    segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 10:48 hs

    Fica difícil entender o argumento do José Diniz, confunde direito legítimo de manifestação com cerceamento de direito. É lógico que este caso deve ir a julgamento com total direito de defesa, no entanto o caso é claro. O réu estava embriagado, em alta velocidade em perímetro urbano e com a carteira suspensa por excesso de multas. Todas estas atitudes constituem crime de trânsito, portanto não é pré julgamento, é fato demonstrado por todos os laudos periciais. O que realmente arranharia o estado de direito seria a absolvição em um caso tão claro. Isto sim aconteceu muitas vezes na ditadura militar quando se tratava de figurões ou filhos de políticos ligados ao governo. Os casos eram abafados. Quanto ao outro caso citado, concordo que deve ser esclarecido com o mesmo rigor deste.

  15. segunda-feira, 9 de maio de 2011 – 12:24 hs

    Não sou falso moralista, sou moralista mesmo.

    Ou quem dirige a 190km/h, bêbado, com carteira de motorista vencida não é criminoso?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*