Senado aprova financiamento público para as campanhas | Fábio Campana

Senado aprova financiamento público para as campanhas

Por 12 votos a 5, a Comissão de Reforma Política do Senado, aprovou a adoção do financiamento público de campanha eleitorais em todos os níveis. Apesar das divergências sobre o sistema, a maioria da comissão entendeu que o financiamento público é a forma que combina mais com o voto em lista fechada, aprovado na semana passada. Esse foi o principal argumento do PT, defensor das duas propostas.

“Seria mais barato para o Estado brasileiro o financiamento público do que o sistema que existe hoje, porque hoje os financiadores são empreiteiras, bancos, prestadores de serviço que guardam relação de interesse com o Estado brasileiro”, disse o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).


8 comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS
    terça-feira, 5 de abril de 2011 – 19:47 hs

    Para os ladrões do PT, financiamento público de campanha, seria a tampa do pinico de capeta, com cadeado do inferno. Imaginem a divisão do nosso dinheiro nas mãos dos políticos, sem contgrole e com a medida da justiça poetista, Dilma e aloprados, iriam deixar algum trôco, para partidos de oposição? assim, seu lulinha, filho do filho do barril, seria presidente na próxima eleição, sem nenhuma dúvida.

    Acordem brasileiros, acordem para esta imoralidade chamada PT, o câncer do Brasil.

  2. marcio jose nunes teixeira
    terça-feira, 5 de abril de 2011 – 20:09 hs

    TEM GENTE QUE ACREDITA QUE O FINANCIAMENTO PUBLICO RESOLVE A ROUBALHERIA E O CAIXA 2.

    TRANSPARENCIA VAI RESOLVER, INFORMACAO DIARIA,NA INTERNET, DOACAO DE PESSOA FISICA E JURIDICA…DEDUCAO NO IRENDA..\

    PARTIDO JA RECEBE O FUNDO PARTIDARIO, PROPAGANDA NA TV E RADIO DE GRACA,, AINDA QUEREM MAIS…

  3. Escritor - Curitiba
    terça-feira, 5 de abril de 2011 – 23:44 hs

    Maravilha!
    Agora, além dos políticos continuarem recebendo dinheiro das grandes empresas por detrás dos panos – como sempre ocorreu – agente vai ajudar com a nossa parte!!

    Uma lástima……………….

  4. quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 11:01 hs

    E como será coibida as doações dessas mesmas empresas citadas na matéria através do famoso Caixa 2?

  5. Joãozinho
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 12:34 hs

    E a roubalheira vai continuar…também,o que esperar deste governo?

  6. Roque
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 12:44 hs

    Agora a contabilidade vai ficar assim:

    1) Caixa 1 = Financiamento público
    2) Caixa 2 = Antigo caixa 1, o que as empresas davam e era contabilizado.
    3) Caixa 3 = Antigo caixa 2

    Captaram? Ou vai ser preciso desenhar?

  7. Ibn Aziz
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 14:27 hs

    Se o intuito é moralizar, por que não começam proibindo doação de pessoa jurídica para campanhas políticas ? O contribuinte pagando os descalabros políticos compulsoriamente, é como o capeta gosta!

  8. marcelo
    quarta-feira, 17 de agosto de 2011 – 12:18 hs

    segundo o livro CARREGANDO O ELEFANTE (gratuito) essa é uma das etapas de um novo brasil. Caixa dois e tres, podem ate existir, mas sera mais facil notar a diferença quando notarmos a presença de marketeiros maquiando mals politicos.
    Corrupção zero é impossivel, mas pelo menos estamos no caminho certo. AVANTE BRASIL

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*