Licitação do lixo de Curitiba tem deságio de R$ 15 milhões | Fábio Campana

Licitação do lixo de Curitiba tem deságio
de R$ 15 milhões

A Prefeitura de Curitiba concluiu a licitação da coleta de lixo e varrição com deságio de R$ 15 milhões e ampliação dos serviços. A Cavo venceu a concorrência e o contrato é de R$ 629,7 milhões para 60 meses. O novo contrato prevê a ampliação do número de equipes e novos caminhões, que serão monitorados por rastreamento eletrônico.

A Cavo vai colocar mais 15 caminhões, mais 3 barcos, 2 carretas, 3 carrinhos elétricos, uma máquina varredeira, além de mais pessoal na limpeza de ruas e rios, além das roçadas. Todos equipamentos têm sistema de rastreamento para fiscalização.

A empresa fará serviços de coleta e transporte de resíduos domiciliares e de varrição; coleta seletiva de resíduos sólidos recicláveis (programas Lixo que não é Lixo e Câmbio Verde); coleta indireta de resíduos domiciliares; varrição manual e mecanizada; varrição e lavagem de feiras-livres; raspagem de cartazes e lavagem de calçadões; limpeza especial; limpeza de rios (programa Olho d`Água); coleta, transporte e destinação para tratamento de resíduos tóxicos domiciliares; e manutenção e monitoramento do aterro sanitário de Curitiba.


9 comentários

  1. PAULO
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 17:47 hs

    ALGUMA DUVIDA PAIRAVA DE QUE A CAVO GANHARIA ESSA “LICITAÇÃO”?

  2. Revoltado
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 18:52 hs

    Desagio?
    Então isto quer dizer que o governo anterior pagava muito carro?

  3. Zé Araucária
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 19:25 hs

    Olha que bom q a Cavo..ganhou de novo a licitação, estou em Pontal do Sul, bem q ela poderia vir pra cá e ver a sujeira q esta aqui,bem na praia que da acesso aos Barcos, tem lixo de tudo qto é tipo…tem prefeito aqui…quem deve cuidar da limpeza…principalmente em um ponto turístico tão lindo como este….ah só pra avisar a travessia até a Ilha do Mel esta R$ 23 pilas por pessoa, ida e frida…Boa Páscoa a todos e a vc tbem Fabio Campana.

  4. Impedimento
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 19:46 hs

    A Prefeitura do Município de Curitiba está impedida de contratar a CAVO com fundamento na Constituição do Estado do Paraná que impede a contratação de quem comprovadamente desrespeita o meio ambiente. Há uma Ação Civil Pública contra o aterro do Cachimba que demonstra que o mesmo é poluente e a CAVO é a operadora.

  5. Zangado
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 19:54 hs

    Esse pessoal da Cavo – equipe SePaRe – passou o mes inteiro tocando a campainha de minha residencia na hora de recolher o lixo pedindo “gratificação de Páscoa” …

    Pelo jeito a Cavo está fazendo deságio mesmo …

  6. Motoqueiro Infernal !!!
    quinta-feira, 21 de abril de 2011 – 8:42 hs

    e terá lucro…

  7. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 21 de abril de 2011 – 9:17 hs

    Paulo: As outras perderam. A CAVO é empresa referencial. Você acha que se houvesse “marmelada” as outras não chiariam?

    No meu bairro, o Bom Retiro, observo o trabalho da empresa. Atende as exigências.

    Mas, convenhamos, para que Curitiba fosse realmente uma cidade limpa, precisaria haver uma cooperação de muita gente.

    O número de Sujismundos ainda é impressionante.

  8. LIXO ZERO
    quinta-feira, 21 de abril de 2011 – 13:28 hs

    Em Borás, na Suécia, a maior parte dos resíduos sólidos gerados pela população de cerca de 64 mil habitantes é reciclada, tratada biologicamente ou transformada em energia (biogás), que abastece a maioria das casas, estabelecimentos comerciais e a frota de 59 ônibus que integram o sistema de transporte público da cidade.

    Em função disso, o descarte de lixo no município sueco é quase nulo, e seu sistema de produção de biogás se tornou um dos mais avançados da Europa.

    “Produzimos 3 milhões de metros cúbicos de biogás a partir de resíduos sólidos. Para atender à demanda por energia, pesquisamos resíduos que possam ser incinerados e importamos lixo de outros países para alimentar o gaseificador”, disse o professor de biotecnologia da Universidade de Borás, Mohammad Taherzadeh.

    Taherzadeh falou durante o encontro acadêmico internacional Resíduos sólidos urbanos e seus impactos socioambientais, realizado em São Paulo.

    Promovido pela Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a Universidade de Borás, o evento reuniu pesquisadores das duas universidades e especialistas na área para discutir desafios e soluções para a gestão dos resíduos sólidos urbanos, com destaque para a experiência da cidade sueca nesse sentido.

  9. quinta-feira, 21 de abril de 2011 – 14:46 hs

    Então o ex prefeito Richa pagava um absurdo pela coleta de lixo,será que vão pedir CPI para poder investigar o prefeito anterior?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*