Justiça deve decidir nos próximos dias sobre aposentadoria de Requião | Fábio Campana

Justiça deve decidir nos próximos dias sobre aposentadoria de Requião

Da Joice Hasselmann

A justiça pode decidir nos próximos dias se o senador Roberto Requião vai continuar a receber a aposentadoria especial para ex-governadores. O benefício havia sido suspenso pelo governador Beto Richa em 21 de março, mas na última quarta-feira o desembargador Antônio Loyola Vieira decidiu que a pensão voltasse a ser paga a Requião. Nos próximos dias o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), Miguel Kfouri Neto irá julgar o recurso da Procuradoria-Geral do Estado contra a liminar que garantiu o pagamento. Ele poderá decidir sozinho sobre o recurso ou levar o caso para a decisão do pleno do Órgão Especial, que reúne 25 desembargadores. Não há previsão de quando o presidente do TJ irá se pronunciar.


3 comentários

  1. Adoniran
    segunda-feira, 18 de abril de 2011 – 15:28 hs

    Repetindo um comentário antigo mas que serve muito bem, dessa vez não pelo bloqueio de suas contas mas pelo fim dessa mamata que é aposentadoria de governador…

    Dicas de leitor para amenizar a vida de Requião

    Algumas dicas de um leitor do blog, o Adoniran, para o Requião que chora miséria porque teve as contas bloqueadas pela Justiça: ele pode se cadastrar no Armazém da Família e lá fazer suas compras com até 35% de desconto, pode almoçar no Restaurante Popular pagando apenas R$ 1,00 e, ainda, pode se cadastrar na FAS e adquirir o Vale Vovô, uma cesta básica mensal para idosos carentes. Além do que, já tem idade para circular de graça no transporte coletivo.

    postado em 1º de setembro de 2008.

  2. luis
    segunda-feira, 18 de abril de 2011 – 15:28 hs

    Aposto mil contra um que o nobre desembargador não vai decidir sozinho. Vai dividir o pepino com os outros 25. Eles só decidem alguma coisa sozinhos quando é a favor dos bancos ou das grandes empresas. Porque $erá?

  3. SAMURAI
    segunda-feira, 18 de abril de 2011 – 17:22 hs

    Que a justiça seja feita. Esta é uma das tantas aberrações que vemos
    e nada podemos fazer. O trabalhador comum não aposenta antes de
    completar a idade devida mesmo tendo completado oitocentos anos de
    contribuição. É o país das discrepancias que cansamos de ver.
    E os políticos navegando nesta maré de absurdo !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*