Instituto de Criminalística é alvo de vistoria da OAB-PR | Fábio Campana

Instituto de Criminalística é alvo de vistoria da OAB-PR

Jadson André e Bruno Henrique da Banda B

IC tem 5 mil armas paradas

Depois do IML (Instituto Médico Legal), o Instituto de Criminalística é alvo de uma vistoria da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PR (Ordem dos Advogados do Brasil). Representantes da comissão fazem uma visita a central da Polícia Científica na tarde desta terça-feira (19). O objetivo é avaliar as condições de trabalho, o estado dos equipamentos e instalações e apurar a denúncia de que 5 mil armas estariam paradas no instituto, alem de um grande volume de provas periciais como celulares, chacis de veículos, computadores.

A denúncia foi feita pelos próprios peritos no dia 6 de abril, quando a comissão da OAB-PR fazia vistoria no IML. Problemas como a falta de funcionários e as viaturas inoperantes foram relatadas também nesta ocasião.


“As condições de trabalho dos peritos, o número de funcionários e o grande volume de provas paradas prejudica diretamente a agilidade dos processos judiciais. Viemos aqui para primeiramente falar com a direção do instituto, fazer uma vistoria nas instalação e depois emitiremos um relatório”, disse a vice-presidente da comissão, Isabel Mendes.

Este parecer deve ser enviado a direção da ordem e em seguida encaminhado ao governo estadual, municipal e ao Ministério Público do Paraná. “Estamos aqui para cobrar a qualidade destes serviços que são importantes para a população. A presidência da ordem deverá exigir as providências”, afirmou Isabel.

Ainda de acordo com a vice-presidente da comissão, a vistoria feita no Instituto de Criminalística segue o exemplo do que foi realizado na sede do IML em Curitiba no início de abril.


8 comentários

  1. Ricardo III
    terça-feira, 19 de abril de 2011 – 17:13 hs

    A Polícia Científica, composta dos Institutos de Criminalística e Medicina Legal, foi criada em 16 de outubro de 2001, por força de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional). Antes disso (desde a Constituição Estadual out/1989), a lei pede um diretor geral, aos moldes das Polícias Civil e Militar, que têm o delegado geral e o comandante geral, respectivamente.
    Apesar da lei, o último governo afirmava que não podia implementar o órgão, tendo em vista a falta de julgamento no STF, de adins (ações diretas de inconstitucionalidade) propostas pelo PSL (Partido Social Liberal) e Governo do Paraná (Jayme Lerner). Ocorre que uma coisa nada tem a ver com a outra. Obrigação do Estado é implementar o que a Lei pede. Como já tem quase dez anos as adins, o que se infere é que não serão julgadas. O efeito “ex tunc” (desde sempre) que decorrerá de um julgamento procedente da ação, tornará nulos todos os atos praticadas pelos Institutos ao longo da década. Adins similares de SC e RS foram julgadas e, definitivamente, os órgãos periciais devem ser alocados fora do âmbito da Polícia Civil.
    A secretaria estadual mais apropriada para comportar estes Institutos é a Secretaria da Justiça.
    Com a palavra a PGE.

  2. Milton Santos
    terça-feira, 19 de abril de 2011 – 19:03 hs

    É que o mais importante é fazer a cozinha do palácio.
    Ah, morto não precisa de conforto, pois até hoje, não vimos nenhum morto reclamar do IML.
    Já que o negócio é reformar, mande reformar as viaturas que estão caindo os pedaços, só não me gastem muito, afinal não temos dinheiro para ficar gastando com essas bobagenzinhas tá

  3. Vigilante do Portão
    terça-feira, 19 de abril de 2011 – 19:04 hs

    As armas chegaram ONTEM?

    KKK

    Passaram 8 anos SEM ver NADA.

  4. terça-feira, 19 de abril de 2011 – 23:57 hs

    Falando em IMl, os corpos não vão ser sepultados ?Estão esperando a decomposição ?

  5. Carlos
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 1:27 hs

    Essa comissão da OAB só bate em cachorro morto. Os verdadeiros locais que deveriam ir não vão.

  6. marlon
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 3:12 hs

    E tem funcionáriamde lá que ficou de licença médica por vários meses, por ser as costas quentes!

  7. LÉO
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 8:19 hs

    O LOCAL PELO QUE PARECE VIROU UM PONTO TURISTICO, POIS TODA SEMANA TEM PASSEIOS POR SUAS INSTALAÇÕES. SÓ ESSE ANO A OAB JA PASSEOU PELO IML UMAS DEZ VEZES, OUTROS CURIOSOS COMO VEREADORES E DEPUTADOS TAMBÉM FALTARAM AO SERVIÇO PARA CONHECER O PREDIO DE CABO A RABO, MAS ATÉ AGORA NADA FOI FEITO.
    QUANDO SE ASSUME UMA EMPRESA(GOVERNO), O RESPONSÁVEL ASSUME O ATIVO O PASSIVO E TAMBÉM O IMOBILIZADO, E, A PARTIR DO DIA DA POSSE FICA SOLIDARIO A TODOS OS ACONTECIMENTOS. PORTANTO NÃO ADIANTA JOGAR A CULPA NO ANTIGO RESPONSÁVEL. TEM QUE POR GENTE COMPETENTE PARA ADMINISTRAR TODOS OS SETORES, INVESTIR E FAZER ACONTECER, POIS VISITAS E PASSEIOS NÃO VÃO RESOLVER PISSIRICA NENHUMA.
    O ANTIGO GOVERNO FOI IMCOMPETENTE EM DEIXAR A SITUAÇÃO CAÓTICA, MAIS INCOMPETENTE É O ATUAL QUE NÃO SE MEXE.

  8. maria vitoria
    quarta-feira, 20 de abril de 2011 – 11:41 hs

    Louvável a atuação da OAB através das Comissões. Entretanto, há uma pergunta q não podemos deixar passar, qtas visitas realizadas nos 8 anos de governo Requião/Pessuti? A pergunta é procedente pq se houve visitas e relatórios, agora é momento de apresentar p/ a sociedade o retorno dado e as providências adotadas. Caso contrário, ou seja, se não houve visitas – IML, Setor de Criminalística, etc, o descaso com o dinheiro público somente apareceu agora nesses 3 meses de novo governo, ou somente agora a Comissão da dra. Isabel percebeu a necessidade dessas visitas? Gostaria de uma resposta p/ continuar acreditando nessa Instituição OAB!!!!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*