Definido o Conselho de Ética da Assembleia | Fábio Campana

Definido o Conselho de Ética da Assembleia

O deputado Valdir Rossoni (PSDB), presidente da Assembleia, anunciou hoje, durante a sessão plenária, as indicações feitas pelos partidos políticos e blocos partidários dos deputados que irão compor, pelos próximos dois anos, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Legislativo.

O PMDB indicou o deputado Ademir Bier como membro titular do Conselho, ficando o deputado Anibelli Neto como suplente; o PSDB indicou o deputado Francisco Bührer como membro titular, indicando ainda a Cantora Mara Lima como suplente; o PT indicou o deputado Toninho Wandscheer como titular e o deputado Professor Lemos como suplente; pelo PPS foram indicados o deputado Douglas Fabrício como titular e o deputado Marcelo Rangel como suplente; e o bloco formado pelo PSB/PSC/PRB indicou o deputado Pastor Edson Praczyk (PRB) como membro titular e a deputada Marla Tureck (PSC) como suplente.


7 comentários

  1. Deutsch
    terça-feira, 5 de abril de 2011 – 20:16 hs

    Alguem sabe explicar o porquê de um conselho de ética na AL, no senado federal, na camara de veradores? Ética e políticos nunca combinaram.

  2. SAMURAI
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 6:02 hs

    Cimissão de ética ??
    Acho que nem vão ter trabalho … (hehehe)

  3. Luiz
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 10:21 hs

    Conselho de que?

  4. aposentado
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 11:19 hs

    Conselho de ética na assombléia? conta outra cambada.KKKKKKK
    A ética dessa gente vem dentro de pacotes e em espécie, só há divergência quando a quantia é menor que a combinada, não é mesmo Bertoldi?

  5. Estatística
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 12:32 hs

    Raposas cuidando do galinheiro.

    Vale a política do “não voto contra pois ano que vem você pode estar na Comissão e devolver”.

    Me engana que eu gosto.

  6. matahari
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 12:41 hs

    Em programa de rádio DA JOICE ( OLHO NO OLHO), o Rossoni declarou que tem uma lista de deputados que seriam suspeitos de serem os “pianistas” no caso da presença em plenário do Deputado Fabio Camargo. Apertado, praticamente quase nominou os mesmos mas, acabou não revelando os nomes. Em primeiro lugar, sua ação coloca todos os deputados da Assembleía em suspeição. Teriam os mesmos a meu ver, destarte, a obrigação de interpelá-lo judicialmente para que revelasse os nomes sob suspeita. Não o fazendo aceitam a pecha de criminosos, criando assim uma situação de quebra de decôro parlamentar. Caso não haja ação desses citados, o MP ao tomar conhecimento do fato deveria chamar o Presidente da Assembléia à responsabilidade porquanto ele não é um cidadão comum pois, assim agindo, fere a consciência pública que foi atacada pelo ato deleituoso e, clama por saber quem são os dito cujos. Não o fazendo, ou melhor, não revelando esses nomes, o deputado Rossoni incorre ele em quebra de decôro parlamentar; justificando-se a cassação de seu mandato. Isso precisa ser esclarecido urgentemente

  7. Cesar Madera
    quarta-feira, 6 de abril de 2011 – 14:04 hs

    O Rossoni que se cuide a partir de agora.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*