Adiada votação de projeto sobre dupla função de motoristas | Fábio Campana

Adiada votação de projeto sobre dupla função
de motoristas


Foto: Valquir Aureliano

Da Banda B

Foi adiada por sete sessões a votação em segundo turno do projeto de lei do vereador Denilson Pires (DEM), proibindo que motoristas do transporte coletivo de Curitiba exerçam a dupla função de conduzir o veículo e também cobrar as passagens. A razão foi justificada na tribuna pelo vereador Algaci Tulio (PMDB), durante a sessão plenária desta quarta-feira (20). De acordo com o vereador, para acabar com a dupla atribuição de alguns motoristas é preciso modificar a lei 10.333, de 2001, que dispõe sobre a instalação de equipamentos de bilhetagem eletrônica no transporte coletivo público da capital.

Tulio esclareceu que o artigo 2º da lei determina a manutenção dos cobradores nas estações-tubo, terminais de transporte e no interior dos coletivos. Porém, faz ressalvas quanto àqueles que atuam nos micro-ônibus. “Precisamos, primeiramente, alterar esta lei, que permite os micro-ônibus sem o cobrador”, informou o vereador, reiterando que o objetivo do Legislativo é buscar todas as alternativas e realizar os estudos necessários para encaminhar o projeto ao Executivo de maneira que possa ser sancionado.

O pedido de adiamento foi aprovado por unanimidade. Foi unânime também o reconhecimento do mérito da matéria e o comprometimento em estudar uma forma de dar continuidade à proposta.

Em aparte, Denilson Pires disse não estar feliz com a necessidade de adiamento do projeto, mas que a luta é de 14 anos. “Sei que não perdemos a batalha e sim tivemos que recuar para poder alcançar nosso objetivo, resolvendo uma grande injustiça”, finalizou.

Objetivo

O objetivo do projeto de lei, de acordo com Pires, é prevenir acidentes e proteger a saúde do trabalhador. “É absolutamente incompatível obrigar o condutor a efetuar a cobrança de passagens ao mesmo tempo em que precisa cumprir horário neste trânsito mais arriscado a cada dia”, avaliou, durante a apresentação da proposta em primeiro turno, lembrando que os prazos de viagem impostos pela Urbs, que gerencia o setor na cidade, são rigorosos. “Se ocorrem atrasos, os motoristas são penalizados.”


7 comentários

  1. Dino Cesar
    sexta-feira, 22 de abril de 2011 – 19:39 hs

    Eu desafio o legislativo municipal a aprovar este projeto, porque duvido que os nobres vereadores irão contra os empresários, tiveram a oportunidade de se posicionarem ao lado do trabalhador e fizeram sua escolha, agora cabe nós simples mortais se lembrarem deles no ano que vem, aliás essa câmara municipal passou da hora de uma renovação.

  2. Oportunistas
    sexta-feira, 22 de abril de 2011 – 19:40 hs

    Tudo isto não passa de espelulação barata.

  3. Murilo Álvaro Viezzer
    sexta-feira, 22 de abril de 2011 – 23:26 hs

    O motorista cuida do troco, do trânsito, do horário, das portas no desembarque, e o pior é quando teme ser assaltado, pois está ali sozinho, é um alvo fácil…

  4. justiceiro
    sábado, 23 de abril de 2011 – 9:51 hs

    Em numerosas cidades do Brasil os micro onibus, onde eles existem, são operados sem cobrador, pelo pequeno número de passageiros que comporta, com grande sucesso como acontece nesta Capital.
    A aprovação dessa lei demagógica, caso ocorra, vai gerar mais aumento de custos operacionais desses ônibus e com isso, o consequente aumento no preço dessas passagens.
    Será que nossos vereadores não percebem isso?

  5. Parreiras Rodrigues
    sábado, 23 de abril de 2011 – 13:36 hs

    O lóbi das empresas funcionando…

  6. José Diniz
    sábado, 23 de abril de 2011 – 19:39 hs

    Quero de público enaltecer o excelente trabalho do vice-presidente do Sndimoc, Dino Cesar. Dizer ainda que, sua luta aguerrida, seu carisma e sua coragem, somadas com essa categoria que admiro e respeito, farão toda diferença. Dinio Cesar, um líder com cheiro de povo.

  7. MÍRIAM
    sábado, 23 de abril de 2011 – 19:43 hs

    dupla função , duplo salário .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*