Tráfico usa militares para combater PF no Rio Paraná | Fábio Campana

Tráfico usa militares para combater PF no Rio Paraná

Revista Veja revela que agentes paraguaios recebem propina para deixar contrabando passar pelo rio. Militares atacaram policiais brasileiros

Do Bonde

Agentes informaram que a Marinha do Paraguai tem recebido propina de traficantes para deixar passar contrabando pelo Rio Paraná. Reportagem da Revista Veja, publicada nesta sexta-feira (25), revela um sério problema diplomático na fronteira entre Brasil e Paraguai. O cenário é o Rio Paraná, rota do tráfico no Estado. Um agente da Polícia Federal que atua em Guaíra, enviou um e-mail na sexta-feira da semana passada (18) pedindo socorro à Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), em Brasília. Ele informou que, em pelo menos três ocasiões recentes, oficiais da Marinha paraguaia trocaram tiros com policiais brasileiros – acobertando traficantes e contrabandistas no Rio Paraná.

A reportagem revela que o presidente da Fenapef, Marcos Wink, procurou o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) – que foi relator da CPI que investigou, em 2006, o tráfico de armas no Brasil.

Em e-mails aos quais o site de VEJA teve acesso, agentes da Delegacia Especial de Polícia Marítima (DEPOM) de Guaíra informam que a Marinha paraguaia tem recebido propina de traficantes e contrabandistas para disparar armas de grosso calibre contra policiais brasileiros. O objetivo seria permitir – em troca de propina – que o tráfico de drogas continue a agir impunemente na região.

Num e-mail enviado em 21 de março, um dos agentes de Guaíra afirma que nos últimos dois anos houve no mínimo cinco confrontos entre a Marinha paraguaia e a PF. Também conta que uma licitação, aberta para a compra de uma lancha blindada para a PF de Guaíra, foi interrompida sem motivos aparentes.

Uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo publicada em maio de 2010 confirma que não foi a primeira vez que forças brasileiras e paraguaias protagonizaram um tiroteio na região. Nela, um delegado da PF afirmou terem ocorrido, desde março daquele ano, mais de 20 confrontos entre a Marinha paraguaia e agentes federais brasileiros em Foz do Iguaçu. Em um só dia três tiroteios foram registrados.

A Fenapef informou que os tiroteios estão cada vez mais frequentes porque os policiais brasileiros estão frustrando muitas travessias de barcos criminosos pelo Rio Paraná (As informações são da Veja).


13 comentários

  1. Sidnei Belizãrio de Melo
    sábado, 26 de março de 2011 – 14:38 hs

    A marinha do Brasil veria estar presente para fiscalizar nossa fronteiras, e um absurdo que nossos policiais sejam atacados por uma força militar paraguaia, e nâo agimos com rigor. Em operações policiais civis na fronteira temos relato de ataques de fuzis pelo exercito paraguaio, e agora pela marinha Paraguaia, e um absurdo. Acredito que o Itamarati deva imediatamente tomar uma posiçâo contra o crime organizado que jã envolve instituições do governo Paraguaio. Conheço muitas autoridades serias no Paraguai, mais tem excessões, porém vejo que hoje o problema maior é equipar nossa policia federal, policia Civil, e Militar na fronteira, dando armas mais efizazes, é o acionar a Força Area Brasileira no caso de ataque isntitucional por um navio de guerra paraguaia.

  2. MÍRIAM
    sábado, 26 de março de 2011 – 15:09 hs

    QUE NOVIIIIDAAAADEEE! É O PODER PARALELO EM AÇÃO.

  3. NAIMAR
    sábado, 26 de março de 2011 – 17:13 hs

    Não vai dar em nada, o Lugo também é “Companheiro” e o Governo Brasileiro não vai fazer nada. Fizeram o que até agora a respeito das nossas Refinarias na Bolívia. Amigo é Amigo, Companheiro é Companheiro.

  4. Na Ativa
    sábado, 26 de março de 2011 – 17:22 hs

    Faz muito tempo que isso esta acontecendo….vem pra cá que vcs vão descobrir a realidade da fronteira….

  5. Mustafah
    sábado, 26 de março de 2011 – 18:35 hs

    Grande novidade, isso acontece todos os dias em algum lugar da fronteira, ao memso tempo que policiais da PM e PC do Paraná se vendem para os bandidos na fronteira, sem que ninguem faça nada para reverter essa situação. Enquanto isso o grande e intleigente Ministro da Justiça faz o quê, fica criando gabinete de gestão integrada, o tal GGI que para nada serve, a não ser para interminaveis reuniões sem resultado algum, fica falando de pacto contr ao crime organizado enquanto a PF vai encerrar a operação Sentinela no mês de abril por falta de dinheiro, de gasolina, de pagamento de oficina e ficar com os policiais recolhidos nas Delegacias por falta de verba. É BRINCADEIRA.

  6. cezar
    sábado, 26 de março de 2011 – 19:09 hs

    Enquanto o ministro cardoso faz reuinião durante o dia o crime organizado faz reunião à noite e madrugada adentro.

  7. tony
    sábado, 26 de março de 2011 – 19:23 hs

    Que coisa incrível, a PF descobriu só agora que a polícia paraguaia é corrupta. Poxa vida, pensava que só eu fosse otário, e acreditasse na honestidade da polícia. Mas a nossa PF não pode falar muito, se espremerem só um pouquinho, a coisa começa a feder do lado brasileiro também. Tony

  8. Marcos
    sábado, 26 de março de 2011 – 21:35 hs

    O SIDNEI B DE MELLO DEVERIA SABER QUE NÃO HÁ CRIME SEM CORRUPÇÃO DE POLICIAIS CIVIS, MILITARES E FORÇAS ARMADAS.INCLUSIVE VOCE SIDNEI JÁ SERVIU UMA FORÇA E AGORA SERVE A OUTRA E DEVE SABER MUITO BEM COMO FUNCIONA SUA INSTITUIÇÃO, JÁ É DE ANOS QUE SE TEM CONHECIMENTO DO QUE ACONTECE NA FRONTEIRA, ISTO JÁ [É COISA DE ANOS, NÃO ADIANTA DAR EXCELENTE LOGÍSTICA SE NÃO TIVERMOS PESSOAS HONESTAS COM VÁRIOS HS PARA TRABALHAR. QUANTIDADE NÃO É QUALIDADE

  9. Dirceu
    domingo, 27 de março de 2011 – 11:31 hs

    A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná também se omite nesta questão. As Polícias Civil e Militar do estado não se fazem presente nas cidades de fronteira. Como exemplo cito as cidades de Altonia, São Jorge do Patrocínio e Francisco Alves, que fazem limites com o rio paraná, por onde atracam barcos e mais barcos carregados com drogas, armas e todo tipo de contrabando, e seguem por estas cidades, mas…. nestas cidades existe apenas um único soldado de plantão, para fazer patrulhamentos, atender ocorrências e sofrer c´riticas de ser conivente com o crime na fronteira.

    Outras cidades menos importantes na estragégia de combate aos crimes desta natureza tem efetivo satisfatório e conta com dezenas de policiais sem ter o que fazer….

    É hora de repensar, a vinte anos atrás, nestas cidades de fronteira haviam pelo menos vinte policiais em cada lugar, hoje,,,,, tres apenas que se revezam em turnos isoladamente….

    Vergonhaaaaaaa

  10. Antonio Carlos Dos Santos
    domingo, 27 de março de 2011 – 16:28 hs

    O Brasil é o país da esperança, do futuro e a terra prometida dos políticos corruptos. É a vergonha de uma nação, encarnada nas autoridades constituidas. Quem são os verdadeiros pa trocinadores de campanhas políticas? Quais os interesses desses patrocinadores?.Por que tanta gente se escreve e concorre a eleições partidaria? Por que tantos partidos? partidos e repartidos? Assim cresce a politicagem cancerigena deste país maravilhoso.
    Um povo bom, sofredor, alienado politicamente e intelectualmente analfabeto. Que engole qualquer coisa que lhes enfiam goela abaixo. Vide a cultura rasteira que se gabam e os ídolos que exaltam. É de da pena, o pior é que estamos no mesmo barco (brasil), ame ou deixe-o.
    Tivemos um ex-presidente que agradou a Gregos e Troianos. Bom de discursos, mas na prática se rendeu aos anti-patriotas do passado (empreiteiros, políticos sem ética, etc.) por conta da governabilidade. Um verdadeiro vale tudo, uma mão lavada, lava a outra. Essa máxima nunca foi desprezada.
    Colocar o trem no trilho, em meio a tantas denuncias de corrupções, tantos interesses bi, tri-laterais e tanta gente com o rabo preso, é difícil. Ninguém de sã consciencia paga para ver. Se não houver uma reforma nos poderes constituidos (legislativo/ executivo, capitalista e judiciario), só um teremoto acompanhado de um tsiname, para da fim a essa maldita praga brasileira.

  11. DO LITORAL
    segunda-feira, 28 de março de 2011 – 0:15 hs

    ESTÁ NA HORA DAS AUTORIDADES BRASILEIRAS CRIAREM VERGONHA NA CARA E FAZER VALER A SOBERANIA NACIONAL.

  12. Midrashim
    segunda-feira, 28 de março de 2011 – 10:04 hs

    O Mustafah está muito enganado com os componentes da POLICIA CIVIL, e a da POLICIA MILITAR quanto a cumprimento de suas missões, a Policia paranaense apesar do seu efetivo caótico tem feitos várias apreensões na fronteira, e muitos “primos” não vendem mais na lojinha as mercadorias contrabandeadas, aumentando a arrecadação de imposto para o benefício do povo brasileiro.

  13. Sidnei Belizário de Melo
    segunda-feira, 28 de março de 2011 – 21:15 hs

    Prezado Marcos:
    O efetivo que hoje temos na fronteira para patrulhar o rio que banha as margens exclusivamente brasileiras numa extensão de 332 Km entre Brasil e Paraguai e inviável . Besteira dizer que não há crime sem corrupção, falácias. Quem prática o crime de latrocínio não corrompe ninguém, mata para roubar, o homicida simplesmente mata por diversas motivações, desculpe-me poderia dar vários exemplos de crimes que não precisa de corrupção para existir, e sim falta de investimento dos governos na prevenção, e na investigação dos crimes já executados. Confio nos companheiros policiais, confio nas instituições do meu país. Quem atacou a nossa policia foi a marinha do Paraguai, quem esta em suspeição e aquela instituição e não do meu país.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*