Seguranças demais | Fábio Campana

Seguranças demais


Do Política em Debate
Em post no Twitter, o ministro Paulo Bernardo reclama do excesso de segurança para o encontro da presidente Dilma Roussef e o presidente Barack Obama. “Pena essa segurança toda, impedindo que o povo assista ao momento histórico”, escreveu.


20 comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 19 de março de 2011 – 18:14 hs

    O que é isso Bernardão, você acha que OBAMA, não tem conhecimento da cirminalidade no Brasil? Você esqueceu Bernardão que o Brasil conseguiu o recorde alarmante de superar vários países em guerra com 2.000.000 (dois milhões) de assassinatos no período de 10 anos com a media de 200.000 (duzentos mil) crimes por ano.

    Pois é Bernardão, superamos a guerra do golfo, superamos a guerra entre palestinos e israelenses e muitas outras guerras que aconteceram desde a existência do homem. Oito anos do populista Lula da Silva e nada se fez para combater a criminalidade Bernardão, somente falácia pois, a impunidade no Brasil, tornou-se uma coisa crônica, onde grande parte das autoridades brasileiras fazem parte de todo esse complexo criminal.

    Bernardão, é um grande erro pensar que a criminalidade esta ligada diretamente a falta de emprego, a miséria e a outras mazelas pois, todos nos sabemos que muitos países da África em condições bem piores que o Brasil, possuem o índice de criminalidade muito inferior ao nosso.

    Entendeu agora BERNARDÃO, qual o motivo de tamanha cautela em relação a segurança para OBAMA, ou ainda não caiu a ficha?.

  2. OSSOBUCO
    sábado, 19 de março de 2011 – 18:20 hs

    Tem gente que está esquecendo de tomar o remedinho para oligofrenia, né hunter?

  3. coveiro
    sábado, 19 de março de 2011 – 18:35 hs

    País de terceiro mundo com políticos de quinta categoria não inspiram confiança nem no Osama quanto mais no Obama.
    Aqui até terrorista da Alcaida é precavido, tanto é que não apareceu nenhum até agora, Basta os que já temos.

  4. cezar
    sábado, 19 de março de 2011 – 18:49 hs

    Em brasilia se gritar em portugues, espanhol, alemão, italiano,japones ou sei lá o que pega ladrão n fica um meu irmão. Os americanos estão mais do q certo. Brasilia é o centro da corroupçãoou to errado?

  5. cidadã
    sábado, 19 de março de 2011 – 19:11 hs

    Brasil o pais de balas perdidas, merece dos visitantes toda cautela.

  6. Gerson Martins
    sábado, 19 de março de 2011 – 19:42 hs

    O grande problema do Brasil e o receio do OBAMA não tanto com a segurança pessoal, e sim a corrupção dos politicos que estariam em volta dele.

    Num país da impunidade, tanto de bandidos boca de porco como com bandidos de colarinho branco, o OBAMA está certo, tem que se precaver mesmo.

  7. Cajucy
    sábado, 19 de março de 2011 – 20:26 hs

    Gostei dos discursos da presidente Dilma. Em todos eles afirmou, em outras palavras, a importância de se manter um bom relacionamento com os Estados Unidos, além de uma aproximação cada vez maior e mais profícua.

    Ou seja, Dilma disse tudo o que o ex-presidente Lula e o pessoal do PT condenavam – desde a criação do partido.

    Ou seja: viu-se agora que tudo era apenas uma questão de retórica. De palanque, de atiçar à massa. Dilma colocou tudo em pratos limpos…

    E agora José? Dirceu!

    Em tempo: Bernardo no Twitter apenas enche lingüiça. Afinal, o presidente da Nação mais poderosa do mundo não pode dar chance ao azar, né?

    Principalmente com tanta gente maluca com e sem interesses políticos…

  8. Zangado
    sábado, 19 de março de 2011 – 20:53 hs

    Momento histórico para o Brasil ? Só se for para que tem uma cadeirinha de ocasião no poder e se acha o máximo por ver Obama. Ora, visitas presidenciais são assuntos de rotina diplomática. Doze horas em Brasilia dá a exata dimensão da importância da visita, nada mais. Eles vieram com os bolsos cheios de dólares vender seviços. Já que a Copa não foi para Chicago, Chicago vem faturar na Copa. É só isso.

  9. Borduna
    sábado, 19 de março de 2011 – 21:28 hs

    Oh Caçador de Petistas; Abraham Lincoln, John Kenedy, Ronald Regan escapou, mais Martin Luther King foram todos assasinados no Brasil, é? Presidentes se matam nos Estados Unidos……

  10. Deutsch
    sábado, 19 de março de 2011 – 22:22 hs

    Com toda essa bandidagem a solta, qual é o presidente do 1º mundo que não tomaria todas as precauções?
    Ainda bem que o lula não vai estar lá, senão até a carteira o Obama precisaria deixar nos EUA.

  11. Geraldo
    sábado, 19 de março de 2011 – 22:42 hs

    É só olhar a quantidade de capangas de terninho preto que fazem a segurança dos babacas Rossoni e Plauto Guimaraes para saber se houve exageros para o Obama…

  12. domingo, 20 de março de 2011 – 9:29 hs

    Os deputados paranaenses ja pensam em fazer CPI pra ver se houve excesso de segurança.

  13. Tiago
    domingo, 20 de março de 2011 – 11:02 hs

    O povo assistiu o momento histórico pela TV! E os baderneiros do PT também…

  14. Paulo César
    domingo, 20 de março de 2011 – 11:23 hs

    BARRADOS NO BAILE
    Teve muito petista graúdo, como o Mercadante, que não entraram no palácio para ver o Obama.

  15. Marcos
    domingo, 20 de março de 2011 – 13:10 hs

    A maioria dos comentaristas parece achar que os americanos são gente finíssima (Aproveitando o problema do Japão, foram os americanos que lançaram duas bombas sobre eles sem nenhuma justificativa ou motivo pois a guerra já estava decidida) e também parecem que acham normal que visitantes cuspam na nossa cara dentro da nossa casa. Por favor se informem melhor e tenham vergonha na cara.

  16. OSSOBUCO
    domingo, 20 de março de 2011 – 14:43 hs

    Não é à toa que os homens e mulheres do governo norte americano precisam de tanta segurança quando viajam pelo mundo. Fazem tanta guerra e geram tanto ódio que onde quer que vão não podem ter certeza de que não existe alguém pronto para matá-los.

  17. OSSOBUCO
    domingo, 20 de março de 2011 – 15:57 hs

    Agora que os EUA estão dispostos a proteger manifestantes civis de ditadores sanguinários, os EUA vão bombardear a Arábia Saudita e o Bahrein também?

    Ou vai ser de novo dois pesos, duas medidas? Só mais uma desculpa pra roubar petróleo?

  18. Sergio Silvestre
    domingo, 20 de março de 2011 – 19:28 hs

    Antigamente os ingleses,franceses e holandeses usavam seus piratas para assaltar os navios mercantes ,e com isso hoje agiotando pelo mundo são muito ricos sem produzir bulhufas.
    Os americanos fazem quase a mesma coisa,só que usam o própio povo dos paises de origem com conspirações propagandistas.Com isso conseguem estar no topo da economia mundial fazendo guerras ,aniquilando regimes contrários.
    Daqui a pouco pelos comentários acima vamos ter uma revolta interna se começarmos a achar muito petróleo e o povo estiver com o mesmo pensamento.

  19. Sidnei Belizário de Melo
    domingo, 20 de março de 2011 – 22:05 hs

    Como todos os PTistas que nada entende de sua pasta acabam querendo se meter na área de outros. A segurança de um estadista deve ser prioridade em qualquer nação, o Ministro da Comunicação deveria cuidar do caos da telefonia no Brasil, e da internet para o povo gratuito. Acredito que o Ministro deveria querer colocar alguém de sua confiança para chegar perto do presidente Obama, e sua carteirada de Ministro não deu certo ahha….dae da critica…..

  20. Deixa eu esclarecer
    segunda-feira, 21 de março de 2011 – 10:59 hs

    Poucas pessoas tiveram a visão comercial global como o Lula.
    Os EUA sempre foram um “parceiro” comercial do Brasil
    Só que o Brasil sempre ficou em posição passiva e os EUA em posição ativa.
    Isto é: o Brasil sempre foi espezinhado pelos americanos em termos comerciais.
    A mudança do foco comercial do Berasil para outros países fizeram aquilo que o Lula sempre quiz:
    Que os EUA respeitassem a nossa economia. O Lula sempre quis negociar em mesmo patamar, mas o poderio americano nunca deixou.
    Agora os americanos veem o Brasil como um parceiro ideal, isto é em mesmas condições de negócios.
    Aplicamos um verdaderoo “morde e assopra” nos americanos do norte.
    O Lula “mordeu”, mostrando que não dependemos totalmente deles e a Dilma “assoprou” mostrando que poderemos fazer bons negócios.
    Política externa é assim, a médio e longo prazo.
    Se não fosse o Lula, o Obama viria para o Brasil para nos “empurrar” o lixo tecnólogico que sempre nos empurraram.
    Mas agora a coisa é diferente.
    Um grande tento para a diplomacia e o governo Lula/Dilma

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*