PDT foi excluído por não estar '100% afinado com governo', diz ministro | Fábio Campana

PDT foi excluído por não estar ‘100% afinado com governo’, diz ministro


Dilma se reuniu no Planalto com 15 líderes da base aliada na Câmara.
Nove deputados do PDT votaram contra a proposta do governo para o mínimo.


Nathalia Passarinho Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff realizou nesta quinta-feira (2), no Palácio do Planalto, uma reunião com líderes dos partidos da base aliada na Câmara dos Deputados para agradecer a aprovação da proposta do governo de reajuste do salário mínimo para R$ 545.

Dentre os 15 líderes de partidos da base, não estava o do PDT, Giovanni Queiroz (PA). Segundo o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, o PDT não foi convidado para participar da reunião por não estar “100% afinado com o governo”.

Nove deputados do partido do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, se aliaram à oposição na votação de emendas que aumentavam o mínimo para R$ 560 e R$ 600. “A reunião de hoje foi uma reunião em que a presidenta convidou os líderes que estão 100% afinados com o governo. […]. Não foi retaliação porque não trabalhamos com retaliação. O PDT continua no governo”, disse Luiz Sérgio.

O presidente em exercício do PDT, Manoel Dias, afirmou nesta quarta que o partido não pretende entrar em confronto com o Planalto. “Nós não estamos em confronto com o governo. Essa decisão [de não convidar o PDT para a reunião no Planalto], não sei se foi dela [Dilma], mas foi uma atitude do governo que não nos cabe avaliar. A maioria da bancada do PDT votou com o governo na discussão do salário mínimo”, afirmou Dias, que ocupa a presidência em substituição a Lupi, que está licenciado do cargo.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que lista de convidados para a reunião com Dilma foi feita por ele, com anuência da presidente. “Em um regime presidencialista, a decisão é sempre tomada pelo presidente. Eu convidei os líderes e eu não convidei o PDT, mas essa é uma decisão solidária, que envolve todos os níveis”, afirmou. Ele também ressaltou que o PDT foi excluído da reunião por não ter demonstrado afinamento com o governo.

“Essa reunião foi dos líderes da base que se colocaram 100% com o governo, que defenderam o governo desde a abertura dos trabalhos no Congresso Nacional”, disse. Questionado sobre a “dissidência” de dois deputados petistas que defenderam a aprovação de um reajuste que elevasse o mínimo para R$ 560, Vaccarezza afirmou: “Mas a postura do líder do PT foi muito firme [em favor da proposta do governo].”

De acordo com o deputado, Dilma agradeceu a “lealdade, fidelidade e empenho” dos líderes da base na aprovação do mínimo.

Conselho Político
Vaccarezza e o ministro de Relações Institucionais disseram ainda que a presidente decidiu restabelecer o chamado Conselho Político da Coalizão, grupo criado no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e formado por líderes e presidentes de partidos da base aliada.

“O mais importante da reunião de hoje é que a presidente comunicou aos líderes que vai restabelecer o Conselho Político como fórum privilegiado de debate”, disse Luiz Sérgio. Segundo Vaccarezza, a decisão de recriar o Conselho Político demonstra a intenção de Dilma de aumentar o diálogo com o Congresso Nacional. O grupo terá o objetivo de debater os principais projetos do governo e a agenda na Câmara e no Senado.

“A presidente deixou claro que vai fazer parte da rotina do Congresso Nacional”, afirmou Vaccarezza. O deputado disse ainda que os parlamentares presentes à reunião não protestaram contra o corte de R$ 18 bilhões nas emendas parlamentares previstas no Orçamento de 2011.

“Todos os deputados já sabiam dos vetos no Orçamento e sabiam que haveria contingenciamento. Isso não era novidade”, disse.


8 comentários

  1. Konrado
    quarta-feira, 2 de março de 2011 – 18:35 hs

    No próprio partido dos PeTralhas houve 2 deputados que não votaram na proposta do governo. Assim mesmo, pela matemática dos petistas houve 100% de adesão do pt. Não aprenderam fazer contas de porcentagem?

  2. jobalo
    quarta-feira, 2 de março de 2011 – 21:53 hs

    O pdt tem que ter mais vergonha na cara, e abanddonar de vez essa petezada, , mas o grande problema , é o lupi, que não quer largar a teta de jeito nenhum, o cara mais murrinha esse carioca dduma figa.

  3. CAÇADOR DE PETISTAS
    quarta-feira, 2 de março de 2011 – 22:27 hs

    Pau na quadrilheira, se deixar crescer mais, estaremsos contribuindo para com a manutenção da Ditadura da Libia e outros paises Comunistas. Acordem, pau no PT.

  4. Anônimo
    quinta-feira, 3 de março de 2011 – 0:26 hs

    quero parabenizar os 9 dep do pdt que provaram estar do lado dostrabalhadores agora essa pelegada do pt deveriam ter vergonha na cara e mudar a sigla do partido falam tanto em democracia e na verdade na cumprem o que falam e juntos com esse partido dos trambiqueiro iimfelizmente esta o psc com o deputado maisw votado nesta eleicao ratinho honre os votos que voce recebeu nao seja hipoclita

  5. ivanowski
    quinta-feira, 3 de março de 2011 – 1:00 hs

    . Acho que o PDT deveria deixar a base do Governo e partir pra oposição JÁ.

    . ISSO CHAMA-SE COERÊNCIA. Afinal, o Partido que tem o Ministro do Trabalho ñ pode aprovar um mísero salário de $ 545.

    . Ir ao encontro do Presidente Dilma, p/ comemorar a aprovação de 1 salário miseravel como esse, é simplesmente VERGONHOSO.

  6. TÁCITO
    quinta-feira, 3 de março de 2011 – 8:44 hs

    Too trabalhador brasileiro deveria ter em mãos essa noticia, se reuniram para agradecer a aprovação do mínico vergonhoso, a não convocação do PDT poderá até beneficiar o partido, pois na proxima eleição os trabalhadores saberão quem é quem, acho que os PETRALHAS já estão começando a ver o barco afundar.

  7. Tony
    quinta-feira, 3 de março de 2011 – 12:10 hs

    O PDT se matou, e vai levar junto toda a cupinchada aboletada nos cargos públicos. Agora quero ver o urtigão conseguir alguma coisa da companheira. Tony

  8. Mirian Waleska / Dois Vizinhos
    quinta-feira, 3 de março de 2011 – 15:38 hs

    Se o Gov. Leonel Brizola tivesse vivo, o PDT não tinha compactuado com a DILMA/PT
    Coitado do Brizola deve estar de bruços no caixão de vergonha…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*