Palocci consulta Osmar sobre cargo no Banco do Brasil | Fábio Campana

Palocci consulta Osmar sobre cargo no Banco
do Brasil

Elizabete Castro do Estado do Paraná

Osmar Dias foi convidado pelo governo federal para ocupar diretoria do Banco do Brasil para o setor agrícola.

O ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, consultou o ex-senador Osmar Dias (PDT) sobre seu interesse em assumir a vice-presidência de Agronegócios do Banco do Brasil. A conversa entre os dois se deu em telefonema esta semana, quando Palocci quis saber o que o pedetista achava da proposta.

A direção nacional do PDT já tem como certa a ida de Osmar para o cargo, que concentra uma fatia considerável dos recursos para o financiamento da agricultura no país. A carteira de Agronegócios do BB tem 1,5 milhão de clientes distribuídos entre agricultores familiares e médios e grandes produtores. O ex-senador prefere ser mais cauteloso.

“O que eu recebi foi uma consulta. Não foi um convite”, comparou Osmar, candidato ao governo do Estado em 2010, numa coligação que teve o PT e o PMDB como aliados no palanque, que foi também o da presidente Dilma Rousseff (PT) no Paraná.

O cargo agrada ao senador, que tem uma experiência consistente na área e vê na posição uma oportunidade para continuar atuando em um setor ao qual sempre foi ligado. Na conversa com Palocci, entretanto, deixou claro que não está à procura de compensação por ter aberto o palanque para a presidente Dilma no Paraná.

“Se for para participar efetivamente e contribuir com o país e o estado, aceitarei. Mas não vou para o governo federal apenas se for para compensar um esforço que fiz na campanha”, afirmou o senador, que tem conversado frequentemente com o ex-presidente Lula, nas últimas semanas, mas garante que a participação no governo não entra em pauta. “O Lula me liga e pede opinião. Nós trocamos ideias sobre muitas coisas. Mas não sobre cargos. Ele nem está nisso agora. E nós sempre nos entendemos”, disse.

A área de agronegócios está num momento particularmente bom, avalia Osmar sobre sua possível nova função. “O agronegócio é importante para a economia do estado. E seria uma posição em que poderia comprovar como sou parceiro dos agricultores, das cooperativas. É um setor em que aproveitaria todo o conhecimento que armazenei em minha vida”, disse Osmar, que deixou o Senado em fevereiro, após cumprir dois mandatos.

A vice-presidência de Agronegócios do Banco do Brasil era um dos cargos para o qual estava indicado o ex-governador Orlando Pessuti (PMDB). O nome de Pessuti constava em uma lista entregue a Palocci pela direção nacional do PMDB.


7 comentários

  1. Juca
    sábado, 26 de março de 2011 – 12:50 hs

    Vai pra casa Ortigao!

  2. Sebastião Bento dos Santos
    sábado, 26 de março de 2011 – 14:41 hs

    Ei voce ai “dilma” me da um carguinho ai. Ei voce ai “dilma” me um carguinho ai. Assim caminha a humanidade (os politicos do Brasil ).

  3. zeruela
    sábado, 26 de março de 2011 – 17:16 hs

    vai trabalhar o requiao te enganou

  4. sábado, 26 de março de 2011 – 18:33 hs

    Prá quem era da COZINHA ,acho que não vai sobrar nem o alpendre

  5. Eder
    sábado, 26 de março de 2011 – 20:03 hs

    O home não tava fora da lista?

  6. domingo, 27 de março de 2011 – 9:55 hs

    ATÉ QUE ENFIM ARRANJARAM-LHE UM CARGO …

  7. Parreiras Rodrigues
    domingo, 27 de março de 2011 – 10:40 hs

    Não podemos dar vazão à autofagia latente na cultura política paranaense. O Estado está bem aquinhoado no governo DR, com dois ministros e uma senadora bastante prestigiada. O aproveitamento do ex-senador Osmar Dias na diretoria do Banco do Brasil, logicamente que será aplaudida pelo setor agrícola.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*