Fim da reeleição e voto facultativo começam a ser discutidos no Senado | Fábio Campana

Fim da reeleição e voto facultativo começam a ser discutidos no Senado

Começa logo mais às 14h reunião da Comissão de Reforma Política. Em pauta, o fim da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos e a instituição do voto facultativo no Brasil. Na terça-feira (15), a comissão realizou a primeira reunião de debates e tomou decisões sobre regras para escolha de suplente de senador e data da posse de cargos no Executivo.

Ambos os temas causam polêmica. No caso da reeleição, os críticos alegam que dois mandatos consecutivos para presidente, governadores e prefeitos favorecem o uso da máquina governamental por parte do governante que busca mais quatro anos no cargo. Já os defensores alegam que o tempo de um mandato é pouco para implementação de um projeto de governo. Em relação à obrigatoriedade do voto no Brasil, muitos senadores defendem o voto compulsório por assegurar uma maior participação de brasileiros nas eleições. Os que querem o voto facultativo argumentam que ele favorece uma participação política mais consciente.

A Comissão da Reforma Política deve concluir as discussões até o início de abril.


13 comentários

  1. Roque
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 12:49 hs

    Nem precisa quebrar muito a cabeça para saber o final disso tudo, deixa tudo como está: voto facultativo para manter o cabresto (ignorantes vão manter os pilantras no poder) e a reeleição. Embora eu concorde com esta última, acho que deveria ser proibido a volta em mandato futuro, como aconteceu com a podridão do Requi aqui nesse Paraná perdido.

  2. Joca Almeida
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 13:25 hs

    O fim da reeleição será um avanço no processo eleitoral e todos os brasileiros ganharão com esta mudança se caso acontecer. Acho que se depender dos nossos políticos não sairá. Quanto ao fim do voto obrigatório será ainda maior a conquista, pois o voto livre representa não só um direito do povo de votar ou não votar, mas uma oportunidade que teremos de realmente valorizar nosso voto e como a fé, teremos esperança ao votarmos, que as coisas erradas e injustiças passem a ser história do passado e esquecidas para sempre.

  3. Marco Aurélio F. Lima
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 13:28 hs

    Devemos acabar também, com a reeleição para o Legislativo. Tem Senador, Deputado e Vereador que está vivendo as nossas custas há decadas. É uma verdadeira vergonha. Na nossa Assembléia, tem Deputado vitalício.

  4. cesares zappa
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 14:07 hs

    Acho que deveria ser estendido o fim da reeleição para os nossos deputados federais e estaduais, daria oxigenação no Congresso Nacional e na Assembléia Legislativa, acabaria a perpetuação de uns políticos no poder.

  5. Zangado
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 14:16 hs

    A racionalidade imporia o seguinte:

    1 – A reeleição tem sido nefasta para a nação, no entanto, o mandato de 4 anos é curto, deveria ser 5 anos.

    2 – Não deveria ser permitido que o eleito parlamentar ocupasse outro cargo senão esse, caso contrário, deveria renunciar o mandato.

    3 – O pleito eleitoral deveria ser unificado – a cada 5 anos de promover eleições gerais no país, para todos oa mandatos eleitorais.

    4 – Nada de suplente ou vice. Inviabilizou-se o titular, nova eleição para o cargo (prefeito, governador, presidente). Se parlamentar, assume o mais votado no pleito efetuado.

    5 – Instituição do voto distrital misto que seja, mas assim vou saber quem me representa na minha região.

    O resto é mudnça meia sola, própria do Principe de Salina do “Il Gattopardo” de Lampedusa.

  6. Delegado de Londrina
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 14:57 hs

    Tem que aprovar o fim da reeleição, inclusive para o legislativo, duvido que isso ocorra. É mais fácil chover dinheiro……

  7. Diogo Almeida
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 15:15 hs

    Quanto a reelição..se nosso representante for realmente bem, não tem o porque de nao ser reeleito. Só nao deveria poder, apos os 2 mandatos, tentar voltar em uma 3ª eleição para o mesmo cargo! Quanto ao voto facultativo, seria a melhor coisa…mas é um sonho utópico, quem votasse se interessaria realmente pelas suas escolhas, teria o minimo de conhecimento…suborno e ameaças não ganhariam mais tantos votos assim…Seria uma maior participação do povo em nossa tao defasada e tragica politica! Porem isso é viver um sonho, duvido que aja interesse dos maiorais em abrir mão de seu poder e de permitir a instrução politica do povo…ainda mais que na reforma politica existem nomes como Sarney, Color, Requiao…que não possuem o menor interesse nestas mudanças…..É dificil nesse mar de lama ter esperanças, mas para mudfar, basta NÓS lutarmos…somos quem poe os “caras” la, somos os verdadeiros patroes, e temos sim o poder de tira los…só falta um “pouco” de boa vontade e união!

  8. SOLANGE LOPES
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 15:42 hs

    É claro que a petezada não querem o voto facultativo, porque se elegem com o voto do bolsa família e dos ignorantes. Quem pensa só um pouquinho não vota nesta cambada.

  9. tony
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 17:12 hs

    Que ótimo, a reeleição se mostrou uma verdadeira tragédia, salvo raríssimas exceções. E o voto obrigatório é coisa de páis atrasado, coisa que queremos deixar de ser. Tony

  10. JR Silva
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 17:18 hs

    É cada qual defende o seu, não é mesmo? Por que os parlamentares não discutem também o fim da reeleição nos cargos legislativos? Pois existem centenas de parlamentares que vivem apenas disso, não tem outra profissão que não a de vereador, deputado ou senador.

    Bando de safados, legislam apenas em benefício próprio.

    Abraços

  11. CAÇADOR DE PETISTAS
    sexta-feira, 18 de março de 2011 – 10:43 hs

    DUVIDO que passe no Senado.
    Os Petistas, querem a manutenção da Ditadura Lulista com a “cumpanhera” Dilma.

  12. jose dos santos
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 15:49 hs

    Realmente temos que acabar com a reeleição já nas eleições de 2012, muitos governantes usam a maquina administrativa em prol de sua candidatura, e quando ganham não faz nada para o povo. O Brasil não está preparado para esse sistema.

  13. ozeias laurentino AparecidaGO
    domingo, 27 de março de 2011 – 19:56 hs

    O fim da REELEIÇÃO LEGISLATIVA, seria o aperfeiçoamento da democracia no BRASIL, e referência para o mundo e fortalecimento dos partidos rumo aos cidadões, e a cidadania. Temos que acabar com OS LEGISLADORES KADAFIS, MUBARAKS E SALEHS DO BRASIL, temos um legislativo na monarquia devemos traze-los para a REPÚBLICA, a república tem ao princípio limitador do poder, em termos de tempo estamos vivendo uma DITADURA LEGISLATIVA. E isso é uma alienação da sociedade ocidental, como é alienada a sociedade oriental no que tange as DITADURAS EXECUTIVAS pra eles é normal, como pra nós é normal ver e eleger os parlamentares 40,50,60 anos. TEMOS QUE LUTAR CONTRA ESSA ANOMALIA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*