CPI das falências já iniciou os trabalhos | Fábio Campana

CPI das falências já iniciou os trabalhos


A CPI das falências começou seu trabalho itinerante na última segunda-feira (14) pelo município de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Amanhã, o deputado Fábio Camargo estará na Câmara Municipal de Londrina, ao lado do presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), participando da Audiência Pública de Prestação de Contas da Assembleia para falar sobre a atuação da CPI das Falências.

O objetivo da CPI, presidida pelo deputado Fábio Camargo (PTB), é averiguar a razão da demora dos procedimentos falimentares e apuração de diversas denúncias de irregularidades, desde alienação e uso irregular de ativos de massas falidas, até proveitos tidos com nomeação de Síndicos (Administradores Judiciais) para a condução dessas falências.

“A comissão apurou que apenas uma família administra mais de R$ 15 bilhões em falências no Estado, e com indícios de irregularidades”, afirmou Camargo.


13 comentários

  1. Borduna
    quarta-feira, 16 de março de 2011 – 20:08 hs

    Será q também vão analisar a falência do Legislativo do Paraná?

  2. Emerson
    quarta-feira, 16 de março de 2011 – 20:52 hs

    Ótimo. Tem que analisar com cuidado mesmo. Qualquer advogado sabe da caixa-preta que envolve os processos falimentares. Só que não pode dar a cara a bater, sob pena de prejudicar seus clientes nas varas de fazenda publica e falências. Espero que a CPI atue de forma isenta e competente. E que os sindicos atuais sejam mudados.

  3. quarta-feira, 16 de março de 2011 – 21:15 hs

    Gostaria de saber o nome da familia, será que é possível?

  4. KINGSTON
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 8:24 hs

    A experiência já é grande no ramo.

  5. Dr. Carlos Conrado
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 9:16 hs

    15 bilhões administrados por uma única família. Alguém sabe o nome do Juíz que nomeu esta família para tantos casos ?

  6. quinta-feira, 17 de março de 2011 – 9:23 hs

    Mais uma vez vemos os “despojos de guerra” sendo distribuidos entre os amigos do rei, é impossivel ao simples mortal entender acertos que acontecem nos corredores do poder, como “eminências pardas” conseguem o que ninguèm, ninguém mesmo, consegue, é vergonhoso, criminoso, imoral, ilegal… Alguma coisa precisa ser feita URGENTEMENTE, basta de conchavos na calada da noite para “dividir, se locupletar” do erário público, porque a conta dessas “pseudas” falências vai cair no bolso de todos nós… Já pagamos impostos demais!!!… E sempre ele está ali, embutido em tudo!!!… No preço final dos produtos que compramos, serviços, enfim… Em tudo!!!… Esperamos que essa CPI não seja mais um circo, ou simplesmente “pano de fundo” para se conseguir doações para a próxima campanha, esperamos…

  7. S.O.S Politica Paranaense
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 10:04 hs

    Um falido moralmente estar numa CPI destas, só no Paraná mesmo.

  8. aposentado
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 11:25 hs

    E as falências das “excelências” também serão minuciosamente conferidas, duvido até depois de morto.
    CPI é sinônimo de inveja, na partilha das “vantagens” que o sistema político arcáico e predador do nosso Brasil,oferece aos que comandam a politicagem, digo nos tres poderes.

  9. The White Dust
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 11:48 hs

    Fabio Camargo presidindo uma CPI dessas?
    Huummmm aí tem!!

  10. Ernesto
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 11:58 hs

    Protestos contra ditaduras não ocorrem apenas no Oriente Médio.

    Mas a imprensa brasileira se finge de morta, escondendo a notícia sobre os protestos de cidadãos ingleses contra uma ditadura da informação.

    O povo inglês quer mais REGULAÇÃO e INTERVENÇÃO do governo para impedir que o império mediático de Rupert Mordoch assuma o controle da imprensa britânica, comprando quase metade de toda a mídia do país (coisa pequena perto do que já foi a Globo no Brasil), e controle boa parte da notícia que os ingleses podem ver, ler e ouvir.

    Já recolheram 360 mil assinaturas pela internet, e esperam chegar a 500 mil para pressionar o governo Britânico.

    A News Corp, de Murdoch, é dona de um império de imprensa mundo afora, incluindo a ultra-direitista Fox estadunidense. Já foi sócio das Organizações Globo, no Brasil, na subsidiária SKY-TV.

    O ex-sócio da família Marinho é acusado de fazer uso de seu império midiático para enfraquecer governos democráticos, promover divisão, intolerância e guerra.

    Quando estes mesmos protestos contra o oligopólio de mídia acontece no Brasil, Globo, Veja, Folha e Estadão bradam com o bordão “tentativa do governo de censurar a imprensa” e blá, blá, blá.

    Num país desenvolvido como o Reino Unido, uma inequívoca democracia ocidental, onde acontece a mesma coisa, os jornalões em papel e na TV preferem esconder a notícia para não “estragar o bordão” dos barões da mídia daqui.

    Quem quiser dar uma mão aos trabalhadores ingleses contra o PIG deles, o abaixo assinado é uma campanha mundial (portanto aberta a brasileiros), neste link aqui:

    Em português: http://www.avaaz.org/po/stop_rupert_murdoch_3/?twi

  11. policia
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 12:38 hs

    Será a família Simão (Rubens, Marcelo e Fabio), poxa 5% de 15 bilhões….hummm…que maravilha heim…Mas e o juiz que nomeia?
    O CNJ deveria dar uma olhadinha na 1ª vara. Ah, tem familia importante no judiciario do Paraná.

  12. Cleverson Lima
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 13:32 hs

    o Camargo entende mesmo de falências né?!

  13. ivanowski
    quinta-feira, 17 de março de 2011 – 13:38 hs

    . E a massa falida da “Assombléia” .
    . Quando se criará uma CPI p/ investigar e propor medidas s/ a “Assombléia”, quando, me diga, Dep Camargo???
    . Se ñ se fizer essa CPI, as outras ñ darão em nda. Ninguém acredita.

    . ainda + essa: Tem linguiça embaixo dessa farofa. rsrsrs

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*