A casa caiu | Fábio Campana

A casa caiu

Foto Nani Gois

A Assembleia Legislativa do Paraná, passa por uma das maiores faxinas de toda a sua história. A Polícia Militar ocupa o lugar que antes era de uma espécie de milícia com salários que chegavam a R$ 10 mil, o número de funcionários é enxugado com recadastramento dos servidores, surgem suspeitas de grampos telefônicos e a cada dia novas denúncias.

Veja isso e muito mais na Revista Ideias.


31 comentários

  1. NABIL DE PARANAGUÁ
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 17:22 hs

    A BELA E CHARMOSA CASA DOS PODEROSOS CAIU NO COLO DE QUEM ENTENDE E ESTÁ COM VONTADE DE MOSTRAR SERVIÇO E COMPETÊNCIA,E SÓ DEIXAR O HOMEM TRABALHAR.
    VÁ EM FRENTE PRESIDENTE.

  2. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 18:23 hs

    Afe maria,não dá nem pra falar nada vai

  3. SYLVIO SEBASTIANI
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 18:27 hs

    Sepois do carnaval, vou contar uma História da Assembléia, entre muitas que tenho, que um Requerimento de um servidor inativo, sobre seis funcionários nomeados,tem a resposta depois de “18 anos, exatos”. os dois no dia 29 de maio.

  4. ▄▀▄†Ψ REQUEIJÃOΨ†▄▀▄™
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 18:29 hs

    COM VONTADE DE MOSTRAR SERVIÇO: tirar fotinho na frente do prédio…

  5. FILET MIGNON
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 18:46 hs

    POIS É… ROSSONI ESTÁ FAZENDO A FAXINA INTERNA ENQUANTO O POVO PARANAENSE DE FORMA INEXPLICÁVEL, DEVOLVE AS CADEIRAS DE DEPUTADOS A “nelson justus e alexandre khoury”, (COM LETRAS MINÚSCULAS MESMO). Uma vergonha!!!!!

  6. LuAtena
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 18:56 hs

    O dia que cair mesmo… vai ser bonito de ver!!!

  7. SEPULVIDA
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 19:18 hs

    Não faz mais do que a própria obrigação, que já deveria ter feito quando foi primeiro secreotário!!!

  8. Teteca
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 20:06 hs

    Faxina pra imprensa e pros bobos verem. Vai olhar a lista dos comissionados dos Gabinetes do Rossoni e do Plauto !! Não caí nessa, não !!

  9. Borduna
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 20:48 hs

    Quando a faxina vai chegar ao plenário?. Com a palavra os eleitores do Paraná….

  10. NA MOITA
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 20:49 hs

    KKKKKK
    A PIADA DO ANO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    O NELSON JUSTUS E ALEXANDRE CURI CONTINUAM DEITANDO E ROLANDO …KKKKK

  11. coveiro
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 20:55 hs

    Efeito idi ótica!
    Tudo muda para ficar na mesma!
    Quero ver concurso público na ALP e demissão dos não concursados e apaziguados. Quero ver tirar a caterva do Roubanelli e o próprio do governo RIcha. Dúvido.
    Nada vai acontecer a não ser a clássica substituição, saem os teus e entram os meus. É só ver o que acontece nas secretarias e autarquias.

  12. Nilso Romeu Sguarezi
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 22:10 hs

    Antes das ultimas eleições escrevi este artigo que resumidamente veiculado em alguns jornais e que faço questão de repetir aqui, porque me parece atualizadissimo e bate com o que afirmei. Assim escrevi:


    ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA PORQUE ISSO?

    Nilso Romeu Sguarezi
    Ex-Presidente da Assembléia .

    São muitas as pessoas que tem me perguntado o porquê e como foi que ocorreu todo este lamentável estado de coisas na Assembléia Legislativa do Paraná e, que, em bom tempo a Gazeta do Povo e a RPC, denunciaram e cumpriram com o relevante e fundamental papel da liberdade de imprensa – instrumento eficaz pelo qual uma sociedade livre consegue em incessante busca – o aperfeiçoamento das suas instituições.

    Louve-se também o pálido despertar da OAB, que parece, na atual gestão, depois de longos anos de dormência e inaceitável omissão, estar agora retomando a sua tradição de sempre ter estado ao lado dos movimentos populares, que buscaram o Estado Democrático de Direito, e também volta à identificar-se com a sociedade paranaense.

    Mas que a nossa OAB, no PARANÁ QUE QUEREMOS, não apenas fique nesta ação de cobrar e fazer cessar os abusos e a corrupção denunciada, mas não se omita de instar que esta investigação do Ministério Público, não fique como as demais, sem conseqüências e o devido desdobramento punitivo da justiça, assegurando aos acusados, todas as garantias do processo legal que forem levados à justiça.

    Pretende-se passar o Paraná a limpo.

    Então que a OAB mude sua postura também em relação aos demais poderes do estado e não apenas ao legislativo que se mostra fragilizado. Advogados e sua ordem devem estar atentos ao que disse o Ministro Gilson Dipp, Corregedor do Conselho Nacional de Justiça, que revelou ao Brasil: “ O TJ paranaense está entre os piores do Brasil, atrás inclusive de estados mais pobres do Nordeste. É preciso um choque de gestão e planejamento estratégico”.

    Imperioso, portanto lembrar, que liberdade e democracia não são dádivas dos poderosos e oligarcas, mas o resultado da diuturna conquista dos que buscam o ideal de liberdade, fraternidade e igualdade. A omissão da nossa OAB, preocupada que estava em apenas administrar seu vultoso orçamento, contribui para que chegássemos ao atual estado de coisas em que somos considerados piores que os estados mais pobres do nordeste.

    Que o próprio MP se pergunte também, porque a instituição que já tinha investigações efetuadas em alguns casos, principalmente dentro do Governo do Estado do Paraná, inclusive denúncias escritas e fundamentadas como aquelas do ex-procurador Luiz Henrique Bona Turra, não foram apuradas, mas ilegal e despoticamente demitido o denunciante, se omitiu do seu papel de fiscal da lei.

    É preciso que o nosso Ministério Público, não se contente em ficar apenas pinçando casos isolados, mas tenha planejamento e estratégias para o enfrentamento direto e objetivo do crime organizado que atua dentro do próprio governo e é a causa e a geratriz destes desmandos dos poderes estaduais, sobejamente conhecida e comentada nos bastidores.

    Lamentável, pois, que também o MP, tenha vindo a reboque do clamor popular, nesta questão da Assembléia e ainda se espera o mesmo em relação aos demais poderes, porque é notoria a fadiga da sociedade que não suporta mais a ladainha do “nunca na história deste pais” ou do “eu não sabia de nada” enquanto de forma tão acintosa, descarada e deslavada a corrupção se alastra, levando à descrença e falta de confiança nas nossas instituições e governantes, pois aí esta a prova da insegurança que todos vivem com a quebra do sigilo fiscal das pessoas, como se isso fosse mero caso de delinqüência funcional.

    Mas voltemos a nossa Assembléia, agora em que são retomadas as investigações.

    Sem falsa modéstia, pela experiência de ter sido Presidente da AL, ter lá exercido três mandatos, onde boa parte da minha vida se passou – da qual só tenho orgulho por ter estado ao lado de gente honesta e decente, quando demos nossa cota de resistência e contribuição pela reconquista da democracia, inclusive como um dos subscritores da nossa Constituição, sinto-me no dever de participar desta discussão que envolve a Assembléia Legislativa do Paraná.

    A questão é de cidadania e ordem publica.

    A mobilização que se estruturou e se organizou na sociedade, com milhares de participantes, só será legitima e autêntica, se além de exigir a punição dos responsáveis em processo com ampla defesa, como estão tendo para caracterizar como medida básica da nossa democracia, também se busque conscientizar o eleitor para exigir dos atuais e futuros parlamentares a necessária e indispensável reorganização institucional da estrutura administrativa do Poder Legislativo.

    Votou-se uma lei de transparência ante o clamor das ruas é verdade, mas isso não basta.

    É fundamental entender que existe uma causa geradora destas irregularidades a qual, ao lado da reforma política, impede o Poder Legislativo Brasileiro, de ser o autentico porta-voz e representante do povo.

    Ouso dizer que não basta apenas a renovação dos nomes do parlamentares, por mais salutar e imperioso que seja, se a causa determinante não for extirpada, dotando nossos legislativos de sistema moderno de administração e profissionalização com pessoal qualificado e permanente, recrutado e vindo exclusivamente de concurso público e sem apadrinhamento político.

    Imperioso, antes de tudo dizer e reafirmar que não existirá democracia representativa, sem um parlamento forte, livre e independente, que possa traduzir com fidelidade e autenticidade as aspirações e princípios éticos da população que representa, para que seus membros tenham autoridade moral ao fiscalizar os demais poderes e tornarem-se dignos da imunidade que a Constituição os reveste, quando no exercício do mandato e falando em nome do Povo.

    Como disse João XXIII, “as instituições serão o que forem os seus dirigentes”, mas também temos que entender que o homem sempre é e será fruto do meio onde vive, daí decorre ser necessário entender e saber que a maioria das nossas casas legislativas ainda resistem com estruturas arcaicas e ultrapassadas, sem sistemas de controles internos e de transparência, situação que cria o circulo vicioso e o caldo de cultura, facilitando estas práticas e abusos.

    O pior disso tudo, se nada for feito, é que se avoluma a descrença na classe política, porquanto cresce o ceticismo e perde-se a esperança na democracia, quando passamos a ser vitimas dos salvadores, dos pais e mães da pátria, porque é neste ambiente contaminado que alguns encontram ambiente propicio para pregarem soluções golpistas e autoritárias.

    Note-se que o que aconteceu na Assembléia Legislativa do Paraná, também aconteceu no Congresso Nacional e, via de regra, em muitas outras assembléias e câmaras municipais.

    Ora, se no Senado Federal o diretor da casa tinha até sala secreta, pagaram-se horas extras sem trabalho e fabricavam-se passagens aéreas para serem comercializadas, também aqui na Nossa Assembléia, face a falta de uma estrutura institucional adequada à exigência da modernidade, da transparência e da efetiva finalidade do parlamento, se oportunizou que nestes últimos vinte anos, aberrações e abusos fossem cometidos, tais como os de partir de apenas uma dezena de automóveis, na década de 80, se chegasse a ter mais de centena e meia, na década de 90, mais que dobrou o numero de funcionários, sem se realizar um só concurso publico, em clara violação a determinação do art.37,II da Constituição Federal e art.27, II, da Constituição do Paraná e o que é mais espantoso, procuradores foram nomeados e aposentados sem terem sido advogados, chegando a nomearem-se menores e se eternizando os maiores de 70 anos, cujo afastamento é compulsório, como determina o art.40,II da CF.

    Volto a insistir, não bastará apenas a punição exemplar dos culpados, nem a devolução dos valores ilicitamente conseguidos, nem mesmo uma expressiva renovação na próxima legislatura e a simples publicação dos atos, se não forem estancadas as causas que permitiram e facilitaram para que isso viesse acontecer, tanto na AL, como nos demais poderes, ou seja “um choque de gestão e planejamento estratégico”.

    Urge a imediata realização de um concurso público para renovar e estabelecer novas práticas, fixar as responsabilidades e deveres funcionais, corrigir os defeitos e assegurar com estabilidade e garantias do Estatuto do Funcionário Público, a seleção de pessoas competentes, honestas e treinadas, como esta mesma Assembléia já teve no passado, pois é esta a causa e geratriz da corrupção e dos abusos do poder político.

    Quem já passou por um parlamento sabe que é este pessoal parasita, via de regra sem qualificação, que se eterniza nas direções das casas legislativas, que inventam e fabricam aquelas emendas mandrakes que criam os marajás do serviço público, ou leis que tem endereço para favorecerem pessoas e interesses escusos.

    Ora, esta nação não pode mais conviver com este tipo de parlamento, porque é ali que se fazem as leis e onde o POVO precisa continuar acreditando que pode buscar e encontrar ressonância pelos objetivos basilares inscritos no Preâmbulo da nossa Constituição, de nos “ assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida na ordem interna e internacional, como solução pacífica das controvérsias” , vale dizer, o Parlamento não deve ser uma casa onde se escamoteie a verdade e se entregue o poder na mão de gente sem qualificação e preparo.

    Uma coisa é a presença transitória e temporária da pessoa física do deputado que passa pelo parlamento no cumprimento do mandato eletivo, outra coisa é a instituição do Poder Legislativo – permanente e que deve estar adequadamente estruturada para acompanhar o tempo e a evolução da sociedade que se moderniza e avança.

    A ironia e paradoxo é que sob um conceito correto e idealístico do exercício do mandato, mesmo os bons e honestos parlamentares que existem, acabam sendo os grandes prejudicados, quer pela generalização que se tende a fazer, ou porque que não dispõem de um corpo preparado de funcionários que lhes possam prestar assessoria compatível e indispensável para abordar o universo dos vários ramos do conhecimento humano, como economia, ciência das finanças, política, história e sociologia, indispensáveis na feitura das leis e regramento de uma sociedade cada vez mais complexa e evoluída.

    Por outro lado, se ressentem os nossos parlamentos, via de regra, como a AL, da fundamental assessoria jurídica do processo legislativo, em que os conhecimentos teóricos, doutrinários e filosóficos, sempre devem estar embasando a produção das leis, ou justificando a indispensável fiscalização do Poder Executivo que cabe ao parlamentar exercer, por isso a existência da imunidade parlamentar – garantia que lhe permite assumir e sustentar posições antagônicas e controladoras dos outros poderes.

    Evidente que nunca poderia ter-se chegado onde se chegou, mas a triste verdade é que da análise dos fatos e do correr do tempo, os abusos vieram se acumulando e multiplicando e com isso, além dos abusos, a corrupção se alastrou, porque a omissão dos parlamentares e de todos se instalou, inclusive da própria imprensa que tinha relações pouco ortodoxas com os poderes do estado.

    O movimento pela ética na política é salutar, mas seria ingênuo imaginar que basta apenas a renovação dos deputados estaduais para que uma nova realidade aconteça.

    Note-se que quando escândalo maior que este o do mensalão foi montado no Congresso Nacional e até hoje os acusados desfilam belos e formosos na sustentação do governo que foi o mentor e financiador do esquema, nada mudou e agora se anuncia uma investida do próprio presidente para aumentar a eleição dos seus deputados os mesmos que deixaram de fazer e operar uma mudança de costumes e restaurar a ética e decência no Congresso Nacional, enquanto belo e formoso o pai da pátria dizia não saber de nada.

    Finalmente, vale lembrar que quando o Presidente Kennedy, demitiu o todo poderoso Alan Dulles, eterno diretor da CIA, foi naquele momento e só então que o povo americano tomou conhecimento que não era o anjo que se pensava, mas sim o malandro que se aproveitava do poder.

    A experiência nos ensina: “O poder corrompe”, disse Lord Acton, “e o poder absoluto corrompe absolutamente”, daí ser imperioso que na administração das casas legislativas tenha que se instituir mecanismos de controle e transparência para seus dirigentes.

    Infelizmente é o que ocorre entre nós, pois em muitas das eleições das mesas diretivas das casas legislativas, com raras exceções é claro, são alguns destes eternos diretores, que elegem parlamentares e não estes que nomeiam os diretores, é isso mesmo: não são os deputados que indicam os diretores, mas estes que elegem aqueles deputados das mesas diretivas para que eles permaneçam no controle.

    O recadastramento dos funcionários da nossa Assembléia, como se anunciou, é uma medida correta, mas por si só, não cumpre e nem supre, muito menos satisfaz a exigência constitucional do concurso público.

    Ainda tem deputado decente no Paraná, talvez até a maioria (que constrangida pelo espírito de corpo e pelas iniciativas louváveis que foram tomadas – como a diminuição daquela frota imensa de carros de luxo) sentem-se inibidos em tomar medidas contra seus próprios pares.

    Seria leviandade e linchamento público, colocar todos como farinha do mesmo saco. Separe-se o joio do trigo e deste se faça o alimento para uma nova assembléia.

    Mas não basta impedir apenas a reeleição da mesa. Tem é que PROFISSIONALIZAR o quadro permanente dos funcionários de carreira do legislativo e separá-los dos cargos em comissão dos gabinetes parlamentares.

    Enfim, tem a nova assembléia que sair das urnas desta eleição, imediatamente que contratar uma entidade de reconhecida idoneidade para dar um choque de gestão e de administração na casa, com funcionários recrutados e qualificados em concurso publico, devidamente treinados e submetidos a uma estrutura e regulamento onde não exista mais o apadrinhamento do quem indica, do cargo comissionado, mas única e exclusivamente do profissionalismo, planejamento e transparência.

    Vamos as urnas fazer a nossa parte, escolher os melhores e mais qualificados”.

    Por isso republico este comentário para enfatizar que “AS INSTITUIÇÕES SÃO O QUE FOREM SEUS DIRIGENTES’…
    começa bem a NOVA DIREÇÃO.

  13. Raul
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 22:29 hs

    Será que o povo de Londres vai ser recadastrado? Dizem no lado de dentro da Alep que tem assessoras morando lá!

  14. DO LITORAL
    sexta-feira, 4 de março de 2011 – 23:08 hs

    O GAROTO PROPAGANDA DA REVISTA IDÉIAS, SÓ FALTOU FAZER A FAXINA NOS DEPUTADOS ALEXANDRE CURI E NELSON INJUSTUS.
    MIDIA PARA TOLO ENGOLIR.

  15. FRALDINHA
    sábado, 5 de março de 2011 – 8:55 hs

    FILET MIGNON, SÓ VC PARA ACREDITAR NA FAXINA… A ÚNICA COISA QUE OCORREU POR ENQUANTO FOI UM GRANDE APOIO DA MÍDIA AO ATUAL PRESIDENTE. DAQUI A POUCO ARREBENTAM O CIDADÃO E ELE VOLTA A REALIDADE. IMPRESSIONANTE É VER A IGNORÂNCIA DO POVO EM NÃO ENXERGAR QUE O ATUAL PRESIDENTE FOI O PRIMEIRO SECRETÁRIO E QUE SEU DIRETOR GERAL POR DOIS ANOS FOI O TAL BIBINHO. PORQUE O MESMO RECUOU NOS ATAQUES CONTRA O ANIBELLINHO? PORQUE SERÁ QUE ELE NUNCA FALOU MAL DO BIBINHO E DO ALEXANDRE KHURY? INFELIZMENTE O MESMO POVO QUE ELEGEU TODOS ESSES DEPUTADOS SÓ LEÊM AS MANHCETES NO JORNAL E NÃO TEM RACIOCÍNIO CRÍTICO.

  16. PIER
    sábado, 5 de março de 2011 – 9:13 hs

    Essa faxina e so de fachada, tem muita coisa por traz de tudo isso, uma delas (200% em cima de cargos comissionados) VERGONHA, gostaria de saber onde anda aquela menima que foi estudar na INGLATERRA na gestao de alguem quando era primeiro secretario. VCS SABEM QUEM ERA ELE? E UM REU CONFESSO MAS NADA ACONTECE CONTRA ELE. (QUE COSTAS HEIMMMM ).

  17. OSSOBUCO
    sábado, 5 de março de 2011 – 10:36 hs

    Tucano fazendo faxina em administração do DEM, não vai dar em nada! São compadres!

  18. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 11:26 hs

    O ex-deputado, presidente da Assembléia e Constituinte Nilso Sguarezi, (re) postou artigo na sexta às 22,10 da noite.

    Observo que nenhum dos comentaristas que o sucederam, leram Sguarezi que dá uma verdadeira aula de “Como deveria ser…”

  19. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 11:34 hs

    Quanto às críticas a Rossoni, independente de sua participação em mesas diretoras anteriores, independente de falhas por ele praticadas – manutenção do piloto, por exemplo, o importante é a sua decisão em colocar um paradeiro em tudo o que se conhece de errado na Casa.

    Os comentários deveriam ser, sim, de cumprimentos, para incentivá-lo nessa cruzada e de sugestões, pois sim.

  20. LOBO-GUARA
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 12:04 hs

    ah..ah..ah…ahh piada… só pode ser piada!!! será que os ocupantes dessa casa tem moral e ética pra reformar algo??? na minha terra há um ditado que diz que quem deixa rabo na estrada não pisa no rabo do outro.. ah ah.ah.ah. me engana que eu gosto!!

  21. rock
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 12:18 hs

    Pare com isso Parreiras, quer dizer que voce esta assistindo um filme de farwest e desde o começo o bandido esta assaltando bancos e com isso fica podre de rico e ja achando que não precisa mais de grana resolve entregar alguns de seus antigos comparsas para a justiça desde que essa faça vista grossa para o seu passado e o perdoe e não lhe peça para devolver nada e ainda lhe condecore pelo bom serviço prestado. Vamos Parreiras voce acredita em regeneração deste bandido, o do filme claro? Não va entender errado se não vou responder processo.

  22. ivanowski
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 13:08 hs

    . E essa matéria com o VALDIRZÃO na capa, quanto custou à “Casa do Povo”????

    Alguém pode me DIZER??????

  23. Patobranquense irritado
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 13:45 hs

    Que memória curta tem o Sguarezzi
    Ele deve ter esquecido os meninos que trabalhavam em seu gabinete e que tinham que devolver parte do seu salário.Se esqueceu eu posso lembgrasr o nme de pelo menos uma dúzia
    Vá dormir Nilso, você já mamou bastante

  24. César
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 14:36 hs

    pelo menos o Rossoni tá fazendo algo, coisas que ninguem fez até hoje que é mostrar as maracutaias da assembléia. claro que tem muita coisa p fazer Rossoni, exemplo é o Anibelli ser contratado sem concurso que vc silenciou-se…
    quero ver oq vai acontecer e espero q sejam tomadas as medidas corretas em relação aos atos corruptos e aos corruptores.

  25. ÉTICO
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 14:40 hs

    Postei comentário sobre a matéria e sobre os ensinamentos do Senhor Nilso Sguarezi.
    Inicialmente aprovado o comentário chegou a constar e posteriormente foi extraido do blog.
    Eram só perguntas. Mas se o administrador do blog preferiu tirá-lo do ar, paciência.
    Procurarei e tentarei continuar sendo “ÉTICO”.

  26. aposentado
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 14:51 hs

    Explicação de ex-presidente, não tem sentido, senão tem que chamar o falecido, e outros que o sucederam, e ninguém deve nada, eu acho que vão colocar todos os cidadãos honestos na cadeia, por ofenderem as “excelências”
    Conversa prá boi dormir, limpeza para debaixo do tapete não nos serve.

  27. jobalo
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 14:59 hs

    O rossoni , em alguns casos ate que esta indo bem, mas parece que aquela coisinha chamada empafia, subiu na cabeça, ele esta ficando torturantemente insuportavel, menos dditassoni, não se esquça daquele caso da jornalista que teve que estudar entre aspas no exterior, porque alguem bem chegado a voce descobriu, e foi um deus nos acuda, Administre com segurança e mais cautela voce tem telhado de vidro.

  28. anonimo
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 16:33 hs

    NIlso, parabens pelo comentário, se forem mexer naquilo vai sair cada caveira, muita genti vai tremer, quanto ao VARDIZÃO, ele deve estar falando….EU ESTOU/ESTÃO PAGANDO……..

  29. Marcos
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 17:01 hs

    Que faxina? Me engana que eu gosto.

  30. Crente
    quinta-feira, 10 de março de 2011 – 20:41 hs

    Pede prá ele devolver todos os cartões do Itaú de laranjas que o piloto do avião dele conduzia prá resgatar o dinheiro do povo todo dia de pagamento na Assembléia. O Exmo DePUTAdo está se fazendo de limpo?
    Quanta mentira…quem acredita nisso, na limpeza da ALP?
    Só os que devem algo aos pulhas.

  31. Nilso Romeu Sguarezi
    sexta-feira, 11 de março de 2011 – 12:52 hs

    Ilustre PATOBRANQUENSE IRRITADO:
    Tenho a tranquilidade de poder explicar e dar contas da minha gestão na Assembléia, por isso assinei artigo e estou pronto para responder a qualquer dúvida.
    Mas convenhamos, seu IRRITADO – se é que voce existe, primeiro saia do anonimato e faça o favor de dar os nomes dos que tinham que devolver o salário e especialmente para quem devolviam.
    Faça um bem aos leitores do Blog e a opinião publica e especialmente aos meus amigos e eleitores que sempre me prestigiaram…se identifique com rg.cpf, que eu mesmo levarei ao MInisterio Publico a tua denuncia, para que ela seja devidamente apurada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*