55% dos municípios brasileiros podem ficar sem água em 2015 | Fábio Campana

55% dos municípios brasileiros podem ficar sem água em 2015

Da Agência Brasil

Dono do maior potencial hídrico do planeta, o Brasil corre o risco de chegar a 2015 com problemas de abastecimento de água em mais da metade dos municípios. O diagnóstico está no Atlas Brasil – Abastecimento Urbano de Água, lançado hoje (22) pela ANA (Agência Nacional de Águas). O levantamento mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez.

Considerando a disponibilidade hídrica e as condições de infraestrutura dos sistemas de produção e distribuição, os dados revelam que em 2015, 55% dos municípios brasileiros poderão ter déficit no abastecimento de água, entre eles grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre e o Distrito Federal. O percentual representa 71% da população urbana do país, 125 milhões de pessoas, já considerado o aumento demográfico.

“A maior parte dos problemas de abastecimento urbano do País está relacionada com a capacidade dos sistemas de produção, impondo alternativas técnicas para a ampliação das unidades de captação, adução e tratamento”, aponta o relatório.

O diretor-presidente da ANA, Vicente Andreu, explica que o atlas foi elaborado para orientar o planejamento da gestão de águas no País. Segundo ele, como atualmente mais de 90% dos domicílios brasileiros têm acesso à rede de abastecimento de água, a escassez parece uma ameaça distante, como se não fosse possível haver problemas no futuro.

“Existe uma cultura da abundância de água que não é verdadeira porque a distribuição é absolutamente desigual. O atlas mostra que é preciso se antecipar a uma situação para evitar que o quadro apresentado (de déficit) venha a ser consolidado”, avalia.

De acordo com o levantamento, as regiões Norte e Nordeste são as que têm, relativamente, os maiores problemas nos sistemas produtores de água. Apesar de a Amazônia concentrar 81% do potencial hídrico do país, na Região Norte menos de 14% da população urbana é atendida por sistemas de abastecimento satisfatórios.

No Nordeste, esse percentual é de 18% e a região também concentra os maiores problemas com disponibilidade de mananciais, por conta da escassez de chuvas.

O documento da ANA calcula em R$ 22,2 bilhões o investimento necessário para evitar que o desabastecimento atinja mais da metade das cidades brasileiras. O dinheiro deverá financiar um conjunto de obras para o aproveitamento de novos mananciais e para adequações no sistema de produção de água.

A maior parcelas dos investimentos deverá ser direcionada para capitais, grandes regiões metropolitanas e para o semi-árido nordestino.

Além do dinheiro para produção de água, o levantamento também aponta necessidade de investimentos significativos em coleta e tratamento de esgotos. O volume de recursos não seria suficiente para universalizar os serviços de saneamento no País, mas poderia reduzir a poluição de águas que são utilizadas como fonte de captação para abastecimento urbano.


9 comentários

  1. Zangado
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 14:03 hs

    Antes era sem lenço nem documento … agora é sem água.
    Estamos melhorando !

  2. CAÇADOR DE PETISTAS
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 14:36 hs

    Sem água, sem luz, sem telefône, sem combustivel, sem educação, se segurança, sem hospitais públicos. Há oito anos estamos abandonados pelo governo populista petista.

  3. VLemainski
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 14:39 hs

    Olha aí os anunciantes do apocalipse. Qualquer brasileiro, atrevés de uma campanha ecomoniza até mais de 20% de águe e energia. Falem para esse pessoal que são muito carentes de criatividade e, ainda, que exageram…

  4. Mirian Waleska
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 17:26 hs

    Sempre disse que a minha vizinha lava demais a calçada… olha aí ó.

  5. PERLINZÃO
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 18:33 hs

    PRÁ QUE ÁGUA, VOU BEBER PINGA MESMO. SE VAI FALTAR ÁGUA, CANA É QUE NÃO VAI.

  6. terça-feira, 22 de março de 2011 – 20:47 hs

    Derosso ta soltando fogo pelas Ventas e ta perseguindo vereadores do próprio partido, ta mau humorado não se conforma, devido suas intenções terem fracassado
    pela derrota pra fruet sobre convenção do partido , anda abatido e preparando plano pra surpreender

  7. vanguarda
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 20:54 hs

    Gozado,

    São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte (Minas Gerais), Distrito Federal, Rio Grande do Sul, são administrado por PETISTAS ?, problemas de abastecimento são estaduais (pelo menos acho que as empresas de água os são)

  8. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 22 de março de 2011 – 21:54 hs

    Todo governo populista não se importa com obras que pensam não render votos, como as de saneamento, por exemplo.

    Obra enterrada – canos, tubos, não aparece, não dá voto.

  9. MÍRIAM
    quarta-feira, 23 de março de 2011 – 9:18 hs

    ISSO É ALARMANTE E PREOCUPANTE!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*