PIB do Paraná deve superar média do país | Fábio Campana

PIB do Paraná deve superar média do país

De Cristina Rios da Gazeta do Povo

A economia paranaense cresceu acima da média nacional, segundo projeção do Instituto Paranaense de Desenvolvi­mento Econômico Social (Ipardes). O Produto Interno Bruto (PIB) do estado avançou 8,3%, enquanto a estimativa para o Brasil é de 7,6%. O forte crescimento reverte o fraco desempenho registrado em 2009, quando os efeitos da crise econômica fizeram o estado ter o pior número da série histórica. Naquele ano, a economia tombou 1,2%, bem mais do que a retração nacional, de 0,6%.

“Em 2010, além da safra agrícola recorde, houve uma recuperação do ritmo de produção da indústria”, lembra Julio Suzuki, coordenador de pesquisa do Ipardes. Embalada pelo aumento do crédito disponível, e puxada por setores como veículos, máquinas, equipamentos e alimentos, a produção industrial do estado cresceu 14% em 2010, segundo o IBGE.

As exportações também recuperaram grande parte das perdas de 2009, quando recuaram 26,39%. As vendas externas cresceram 26,31% em 2010 e somaram US$ 14,2 bilhões, puxadas principalmente pela recuperação dos preços das commodities agrícolas. Ainda assim, as vendas externas estão US$ 1 bilhão abaixo dos volumes de 2008.

Commodities

Os cálculos do Ipardes ainda são preliminares e dependem da confirmação do PIB nacional. Se confirmados, a soma das riquezas do estado chegará perto de R$ 205 bilhões em 2010. Para o professor de Economia José Guilherme Silva Vieira, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o Paraná “surfou na onda” do crescimento nacional, mas há características próprias que fizeram o seu resultado ser superior. A primeira delas é a forte relação da economia regional com o agronegócio, que se beneficiou com a demanda da China e da Índia e com a recuperação dos preços internacionais.

“Além disso, no mercado interno, Curitiba e região têm, historicamente, uma proporção maior de pessoas na classe média do que outras capitais. E nem é preciso lembrar que foi o crescimento de consumo da classe média e a entrada de novas pessoas nessa faixa de renda um dos fatores que contribuiu para o avanço da economia no ano passado”, afirma Veira. A construção civil, o mercado imobiliário aquecido e o recorde de geração de empregos contribuíram para o resultado.

De acordo com Vieira, o estado tem a chance de crescer acima da média brasileira também em 2011. Os preços agrícolas e a possibilidade de mais uma safra recorde devem garantir mais um ano positivo para o estado.

No entanto, apesar do avanço do PIB, algumas ameaças ao desenvolvimento do estado permanecem, na avaliação dos economistas. O rápido crescimento das importações, favorecidas pelo câmbio, tende a tirar mercado da indústria nacional de manufaturados, que também viu minguar sua participação no mercado externo por causa do dólar fraco. Gargalos na área de infraestrutura e mão de obra qualificada também são preocupantes.

Outro fator, segundo Julio Suzuki, do Ipardes, é a perda relativa de participação do Paraná no PIB nacional nos últimos anos, fruto não apenas do crescimento dos estados do Nordeste, como também da falta de uma política de desenvolvimento paranaense, que contemplasse a atração de novos investimentos. “Em 2003 o estado representava 6,4% da soma das riquezas nacionais. Em 2009, essa proporção estava em 5,9%”, afirma.


13 comentários

  1. sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 14:27 hs

    Muito bom não só para os Paranaenses mais para o Brasil!

  2. DO LITORAL
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 14:47 hs

    ENTÃO NÃO HAVERÁ DESCULPAS PARA NÃO CUMPRIR OS COMPROMISSOS DE CAMPANHA COM OS EDUCADORES DO PARANÁ, ALEGANDO FALTA DE CAIXA.

  3. Regis Trevizo
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 16:22 hs

    O Ipardes acaba de dar um tiro no pé!

  4. chico
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 16:23 hs

    E AINDA FALAM QUE O REQUIÃO ATRASOU O PARANÁ !!!!!

  5. Nestor
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 18:29 hs

    Não é difícil ganhar do Brasil , se até a Argentina ultrapassou o Brasil , com o famoso pibinho = do lulah

  6. Crow
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 18:33 hs

    Boa Chico

  7. sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 18:46 hs

    Esse é o motivo do record quebrado no porto de Paranaguá.

  8. Sergio Silvestre
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 19:51 hs

    Chico,governo que sai e sempre melhor daquele que entra,e assim por diante e assim caminha a poliitica

  9. S Y N F R O N I O.
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 21:39 hs

    Pois e, apesar da qualidade dos politicos que nos representa, Ja pensaram se
    existise, uns 10% da classe politica polida como um Gustavo FRUET, ninquem
    segurava esse PARANAZAO.

  10. castelão
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 9:37 hs

    Chico tem razão, o crescimento do Paraná é reflexo da política econômica que o Requião praticou, a menor tarifa de água e luz do Brasil,vários incentivos ao pequeno industrial e ao comercio etc. O interessante é que os consumidores a imprensa o teu blog etc. não reclamam e nem um comentário quando vem o aumento.

  11. chico
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 12:31 hs

    Muito se falava do distanciamento do Governo do Estado com as multinacionais, pois esta mais do que comprovado que o incentivo ao pequeno empresário, traz muito mais resultado do q incentivo a essas multinacionais, q única e exclusivamente estão para explorar a mão de obra (barata) dos trabalhadores, muitas vezes multilando-os nas linhas de produção.

  12. Anacleto da Silva
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 21:31 hs

    Tem toupeira que não encherga 1 cm diante do nariz.

    CHICO, se esqueceu que 2010 o requeijão não mandou mais? O Pessutão assumiu em abril.

    Reuquijão só foi atraso. Em 2010 a esperança retornou para o nsosso povo, por isso a melhora.

  13. Chico
    segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 – 11:23 hs

    Então viva o Pessutão, em 8 messes fez tudo isso…
    Esse é o cara nao o Lula .. ahaha
    Pessutao pr presidente em 2014 !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*