O rombo do padre Roque e Requião | Fábio Campana

O rombo do padre Roque e Requião

Na última quinta o desatino do Padre Roque Zimmermann na gestão da Secretaria de Estado do Trabalho custou na primeira parcela de precatórios trabalhistas de pequeno valor a bagatela de R$ 963.100,66. Foram pagos cada um dos trabalhadores deixados ao léu pela empreiteira de mão de obra – Orbral – de Caucaia no Ceará, contratada pelo petista durante o período de Roberto Requião, no cargo que ganhou como prêmio por o ter apoiado no segundo turno de 2002.

O resultado é que os trabalhadores não receberam o salário nem suas contas de FGTS foram depositadas, a empreiteira recebeu em dia e declarou falência depois e nunca mais ninguém foi penalizado nem pelo TCE (cuja inspetoria de controle era a do atual presidente do tribunal) e seis anos depois, a conta foi espetada para que Beto Richa pagasse pelos improbos.

E o que é pior – o rombo ainda é maior, pois outras varas do trabalho de Curitiba já reconheceram o direito dos trabalhadores receberem da empresa e por falta de alguém ser penalizado, o Estado é também penalizado por ter contratado uma empresa inidônea.

Roque Zimmermann deve achar que isto é uma distribuição de renda ou a Carta de Puebla de Requião.


24 comentários

  1. CLOVIS PENA -
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 18:20 hs

    Tudo por uma causa ! Nós pagamos esta conta. Sem dúvida.

    Se a conta do padre foi esta, imagine as dos de outros credos.

    Credo !

  2. PERCI LIMA
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 18:24 hs

    TIVE O DESPRAZER DE CONHECER ESSE PADRE SAFADO NUMA CERTA OCASIÃO. TENHO-O COMO IMPROBO, MENTIROSO E UM FALSO RELIGIOSO.

    IMAGINEM SE ESSE JAGUARA NÃO FOSSE PADRE, O QUE NÃO FARIA, ENTÃO? PADRE, POIS SIM, É O MEDONHO EM PESSOA E BATINA, É MOLE?

    E ELE ERA OU É DO PT, PARTIDO DOS TRABALHADORES, E NÃO OS PAGA, PADRECO SAFADO ESTE, NÃO PAGA OS TRABALHADORES, DEVE SER UM PARENTE LONGINQUO DO STALIN.

    CADEIA NESSE PESTILENTO, JÁ!!!!!

  3. segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 18:25 hs

    E para o Padre Roque e ao Requião, não sobra nada !!!!!!!!!!

  4. João
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 18:40 hs

    Em cada vez que Requião esteve à frente do governo do Estado deixou rombos astronômicos para os seus posteros pagarem. Na realidade quem pagará seremos nós trabalhadores pagantes de impostos.
    Como decorrência do último período a conta será maior ainda, pois a cada dia aparecem novas e astronômicas contas a pagar.

  5. Amelio ral aas
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 19:38 hs

    O richa tá parecendo coronél de zona ,paga tudo,em um mes e meio de governo,já pagou as pingas do requião,os suchis do taniguchi,os remédios de pressão do lerner,tá pagando até mico,porque com essa choradeira,acho melhor ele inventar uma secretaria do choro(ainda mais se tiver um parente para empregar,e na prefeitura,não deixou nada para o ducci pagarmora meu, faz o que prometeu,e trabalhe,que só com choradeira,não vai iludir o povo não.

  6. Delegado de Londrina
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 19:54 hs

    Cadeia nesse padreco e no gardenal….acabaram com o Paraná…..e aproveita e inclui aí o anaozinho de pelúcia que comprou as viaturas superfaturadas……CADEIA NELESSSSSSS.

  7. Simões
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 20:13 hs

    É ridículo mesmo, o padreco e o requeijão escolhem mal a empresa, esta quebra e sobra tudo no fiofó do povo do Estado do Paraná. Eles que paguem a conta foram os responsáveis.

    A justiça brasileira também tem umas teorias inacreditáveis, porquê o Estado é que tem que pagar se a empresa quebrou? O dinheiro do estado tem dono sim, isso é injustiça pura e simples.

    Bom depois do Título de Eleitor não valer de nada nas eleições, vai se esperar o quê dessa gente.

    Esse Brasil não tem mais jeito.

  8. segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 20:19 hs

    ele safado se intitula de Padre,nada a haver porque deixou o sacerdocio, pela roubalheira da politica, padre e pastou, quando deixa o exercisio do ministerio e troca pela politica, TROCA DEUS PELO SATANAS

  9. antonio carlos
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 20:23 hs

    Mas como é que o atual presidente do TCE não viu anda de errado na tal empreeiteira? Agora quem vai pagar a irresponsabilidade dos contratantes somos nós, os contribuintes. Será que o ex-secretário, o ex-desgovernador e o chefe da inspetoria responsável pela fiscalização da falida empreeiteira, não podem ser chamados a dar explicações? ACarlos

  10. Elias Pereira
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 20:36 hs

    Nunca deu pra entender porque o Requião
    bancou este padre incompetente e que
    sempre trabalhou contra o Programa
    Leite das Crianças.
    Requião sabia da malandragem e manteve o
    imoral no cargo. Por que?

  11. Christiano Fernandes
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 20:37 hs

    Por estas e outras razôes que o Beto Richa tem que fugir da tal da terceirização, assim como o diabo corre da cruz. Melhor mesmo é criar postos de trabalhos sob a fiscalização dos órgãos estadual. Se depender de empresários particulares e outros fiscalizarem, os resultados continuarão sendo os mesmos. Maracutaia atrás de maracutaia. Se não me engano, a terceirização de mão de obra dentro dos orgãos federais, estaduais e municipais, estão com os dias contados. E o órgão que não se preparar, vai viver dias de caos administrativos. Portanto, que o Beto não imite o Dr. Alkmin em SP.

  12. segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 21:18 hs

    O grande moralista reque esta caindo e pagar, ainda tem imbecis que acreditam nele

  13. ZECA
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 22:01 hs

    O JORNALISTA RESUSCITOU ESSE PADRE CASTRISTA,AGORA NO OSTRACISMO POLITICO, MORA AQUI EM PONTA GROSSA, NUMA VILA QUE TEM O NOME DELE, PARA DIZER QUE E POBRE, MAS MANTEVE SEU CARGO DE PROFESSOR DA UEPG

  14. souza
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 22:29 hs

    O Requião e o padre dele – aquele gaúcho, meio brizolla meio
    outra coisa impublicavel, não arcarão com este prejuizo, que
    certamente ficará com o contribuinte paranaense.

  15. jobalo
    segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 – 22:51 hs

    O problema não é ser padre , e sim ser do pt tá explicado. onde tem pt tem ladrão.

  16. QUADRILHA
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 8:36 hs

    Mais uma conta a pagar deixada pela quadrilha que assolou o Paraná…

  17. Anônimo
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 8:40 hs

    Eu não fale, este Padre roque é a cara do PT.

  18. JR Silva
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 9:36 hs

    Por que será que não fico surpreso ao ver notícias como esta? Se tem o Roberto “Maria Louca” Requião no rolo é porque o troço é “fedido”, aliado ao PT então…

  19. terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 11:08 hs

    E depois vem o sr.Requiao falar de economia no senado, vai comer mamonas…….

  20. qosmiotech
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 11:53 hs

    Eu recebi a minha parte….

  21. Vigilante do Portão
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 12:52 hs

    Padreco,
    Ppilantra.

    Mais uma “Herança Maldita” do governo Requião.

    Há pouco, a RPC deu a notícia de que alguns moradores de condomíni do litoral, ganharam na justiça uma ação contra a Sanepar.

    Vão pagar, apenas pelo consumido, não mais a “taxa”.

    A sentença manda DEVOLVER valores pagos indevidamente.

    Vai sobrar para o Beto Richa.

  22. Cajucy
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 14:24 hs

    Por essas e outras é que eu sempre digo. Lugar de padre, pastor, bispo, cooperador e outros da hierarquia da igreja devem mesmo é ficar no templo, orando, pedindo, clamando pelos mais necessitados ao Deus Pai Todo Poderoso, e não entrar na política e começar a fazer politicagem.

    Padre Roque até que tinha um bom conceito antes de assumir cargo público. Incompetente na administração pública, ele fez da sua Pasta o que, por certo, não faria no setor eclesiástico.

    Trocou às mãos pelos pés e encheu o bolso dos safardanas amigos e, supostamente, os do rol dos que distribuem o que não lhes pertence.

    E aí? Aí sumiu do mapa… É fácil. Quando a porca torce o rabo o pessoal da maracutaia some, escafedeu-se…

    Um dia volta e faz-de-conta que nada aconteceu. Que foi tudo um grande engano. Sempre confiando na memória fraca do povo descamisado.

  23. jose
    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 – 14:25 hs

    Aécio Neves processa André Vargas e pede R$ 500 mil
    8 fev 2011 – 11:23

    Do blog do Josias de Souza, hoje, na Folha Online:

    Aécio move ação judicial contra petista: ‘R$ 500 mil’

    O senador tucano Aécio Neves levou às barras dos tribunais o deputado petista André Vargas, secretário de Comunicação do PT federal.

    O processo foi aberto em outubro do ano passado. Só agora, porém, a notícia veio à luz. Na ação, o grão-duque do tucanato pede indenização de R$ 500 mil.

    Aécio acusa Vargas de tê-lo caluniado ao afirmar, em plena campanha presidencial, que ele mandara confeccionar um dossiê contra José Serra.

    A encrenca é subproduto do dossiegate, como ficou conhecido o caso da quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB e da filha de Serra, Verônica.

    Extraídos das máquinas da Receita, os dados fiscais foram parar em documento que circulou no comitê eleitoral de Dilma Rousseff.

    Em notas penduradas no twitter, Vargas atribuiu as violações fiscais a uma suposta encomenda de Aécio ao repórter Amaury Ribeiro Jr..

    Vargas insinuou que o petista Fernando Pimentel, amigo de Aécio, levou os dados para dentro da campanha de Dilma.

    Pimentel, hoje ministro do Desenvolvimento, desmentiu Vargas. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, pediu à PF que inquirisse Amaury Jr..

    Ouvido pela polícia, o repórter admitiu que pagara pelos dados extraídos ilegalmente dos computadores do fisco. Disse que realizava uma apuração jornalística para o diário ‘Estado de Minas’.

    Declarou que as informações foram furtadas de seu laptop num flat de Brasília. Atribuiu o furto ao petista Rui Falcão, da coordenação da campanha de Dilma.

    Na versão de Amaury, o jornalista Luiz Lanzetta, contratado pelo PT, o havia procurado para integrar um grupo de inteligência do comitê de Dilma.

    Embora alegue que não chegou a trabalhar para a campanha, Amaury participou de reunião em que se tentou estruturar um esquema de espionagem.

    O encontro foi às manchetes. Um delegado aposentado da PF, Onézimo de Sousa, disse ter recusado oferta monetária para bisbilhotar Serra.

    Exposta no noticiário, a estratégia foi abortada. O PT rescindiu o contrato com Luiz Lanzetta. A PF abriu um inquérito, mas, até hoje, não divulgou os resultados.

    É contra esse pano de fundo que corre o processo em que Aécio Neves reivindica reparação pelos danos morais que André Vargas lhe causou.

    O petista despejou em seu microblog coisas assim: “Eles [os tucanos] privatizam, mandam dinheiro para o exterior… O Aécio produz dossiê contra o Serra e o PT é culpado?”.

    Ou assim: “Quem produziu o dossiê foi o Aécio, com sua vontade de disputar a Presidência”.

    Agora, Vargas tem a oportunidade de provar as acusações em juízo. Se não conseguir, talvez seja sentenciado a levar a mão ao bolso.

  24. roque w. zimmermann
    quarta-feira, 27 de julho de 2011 – 22:21 hs

    A política tem seu lado obscuro, e não acredito que Padre Roque tenha lesado o Estado do Paraná, são ciúmes políticos dos adverssários.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*