Nelson Justus pode ter concorrente pelo comando da CCJ | Fábio Campana

Nelson Justus pode ter concorrente pelo comando da CCJ

De Euclides Lucas Garcia da Gazeta do Povo

Dada como praticamente certa, a definição do nome do deputado Nelson Justus (DEM) para a presidência da Comissão de Constitui­­ção e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná pode encontrar resistência entre alguns deputados. Ontem, o líder do bloco formado pelo PSC, PSB e PRB, deputado Leonaldo Paranhos (PSC), anunciou que o grupo vai discutir na segunda-feira pela manhã a possibilidade de lançar um candidato para disputar a presidência da CCJ.

Até agora, somente o nome de Justus está oficialmente colocado como pretendente à presidência da principal comissão da Casa. A CCJ é responsável por analisar a constitucionalidade dos projetos de lei antes de as propostas serem encaminhadas para a votação em plenário. Em tese, o presidente da CCJ pode dificultar a tramitação de um projeto ao não incluí-lo na pauta de votações da comissão.

Indicação do DEM

Na última terça-feira, ficou acertado durante um almoço entre os líderes dos partidos com representação na Assembleia que a presidência da CCJ vai ficar com o DEM. E, entre os cinco parlamentares do partido, a legenda indicou o nome de Justus para o cargo. Ao justificar a indicação, o líder do DEM, Élio Rusch, afirmou que Justus, ex-presidente da Casa, foi o único a se candidatar à vaga.

“Temos ouvido o nome do Nelson Justus, mas essa foi uma indicação do DEM. Não houve decisão da Casa nem dos líderes quanto a quem vai ficar com a vaga”, afirmou ontem Paranhos. “Nada impede que outro nome possa se habilitar a ser presidente da CCJ.” Apesar de garantir que a possibilidade de o bloco disputar a presidência da comissão não tem relação específica com o fato de Justus ser o nome mais cotado para ficar com o cargo, Paranhos lembrou que a Assembleia vive um momento de renovação e de transformação. “Particularmente, defendo uma renovação em todos os setores e isso inclui a CCJ”, disse o parlamentar.

Atualmente, Justus é alvo de investigação do Ministério Público Estadual por suspeita de manter fantasmas no gabinete da presidência. Ele também foi denunciado por improbidade administrativa por autorizar a contratação de funcionários fantasmas em cargos de comissão na Casa quando era presidente do Legislativo. Justus passou a ser investigado pelo MP após a publicação da série de reportagens Diários Secretos, da Gazeta do Povo e da RPC TV, que revelou um esquema de desvio de dinheiro na Assembleia por meio da contratação de fantasmas.

A definição de todos membros das 19 comissões da Assembleia será anunciada no início da sessão plenária da próxima segunda-feira, às 14h30.


11 comentários

  1. manoel j silveira
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 20:07 hs

    No meu entender, acho que ate para dar mais transparencia no processo de mudanças na ALP, pelo seu presidente Valdir Rossoni, outro Dep deveria assumir esta comissao, pois o Dep Nelson justus passou por uma situaçao complicada e ate mesmo para ele mostrar a transparencia do seu mandato.
    Tem Deputados da Base com todas as condiçoes de assumir este posto.

  2. Cajucy
    sábado, 19 de fevereiro de 2011 – 22:25 hs

    É um acinte Nelson Justus pretender, depois de tantos escândalos, ficar com a Comissão de Constituição e Justiça.

    Ele pode ter, ainda, o voto que lhe deu a reeleição. Mas, com certeza, não tem a simpatia dessa mesma sociedade para cargo de tamanha importância.

    Não até que fique provado e detalhadamente até onde vai o seu envolvimento em tudo que foi denunciado.

    Se Justus tiver um pingo de inteligência, fica fora de toda e qualquer área de atrito, mantém-se na qualidade de deputado, e vai limpando a passarela política para, futuramente, tomar novas posições se ficar confirmada a sua inocência.

    Por ora, brigar por cargos e posições demonstra, nada mais nada menos, do que a ânsia de ficar em evidência para apagar ou driblar eventuais comprometimentos do passado recente. Todo cuidado é pouco. Para a sociedade e para o próprio deputado.

  3. Revoltado
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 16:13 hs

    Nem poderia ser deputado depois do que aconteceu na Assembléia.

  4. sabujão
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 17:01 hs

    to sentindo cheiro de maracutaia

  5. Geraldo
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 21:19 hs

    Cajucy e Revoltado, isso é BRAZIL, ZIL ZIL, ZIL!!! e não será diferente, em Brasília, por aqui e em todos esses rinquões desse imenso país, que como bem disse o general De Gaulle: “Le Brésil n’est pas un pay sérieux”!…Lamentável, mas é a verdade.

  6. Julio Cesar
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 21:19 hs

    Seria o fim dos tempos se isso realmente acontecer, Nelson Justus precisa dar explicações dos escandalos na ALPR. O povo Paranaense está de OLHO.

  7. Rodrigo
    domingo, 20 de fevereiro de 2011 – 21:55 hs

    NELSON EU TO COM VOCÊ. NÃO LIGUE PARA O QUE ESSAS PESSOAS DIZEM.

    Parabéns pela escolha na CCJ

  8. Plantada
    segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 – 1:23 hs

    Manchete plantada pela RPC que sempre tenta colocar tudo de ruim nas constas do Justus. Esqueçem do passado e dos responsáveis pelo passado.
    Justus tem experiencia e história política. Não vai ser a administração da Assembleia na gestão 2007-2010 responsável pelos desvios ocorridos desde 1980! Isso é impossível na Justiça. Só é possível no papel de alguns jornais e cabeça de alguns menos inteligentes.

  9. KAROÇO
    segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 – 8:45 hs

    DEPOIS DE TODOS AQUELES ESCANDALO O CARA TA NO CCJ,DEVIA TER VERGONHA NA KARA E FICAR EM CASA.

  10. Cajucy
    segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 – 17:35 hs

    É verdade meu caro Geraldo.

    É o Brasil da politicagem e do desmando, enquanto o povo continua na miséria.

    Esses senhores – também chamados de nobres – parlamentares continuam devendo aos brasileiros. Aliás, eles têm uma dívida imensa a pagar.

    Mas, por enquanto, uma grande parte deles ainda está cuidado dos interesses próprios, dos apadrinhados, dos associados, vinculados, consorciados e apaniguados…

    Um dia, quem sabe, eles se lembrem do povo, do eleitor, do cidadão. Esse mesmo que sofre com a péssima educação, saúde, serviços públicos e por aí vai…

  11. ANA PAULA
    quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011 – 19:47 hs

    CASO DE POLICIA

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*